MENSAGEM ao LEITOR
CONHEÇA QUEM ESCREVE

BEM-vindo ao Fatos & Fotos de Viagens, um blog sem jabá e não vulgar

        EXISTE no viajar e no escrever relatos de viagens um terreno fértil para demonstrações de arrogância. É algo simplesmente disseminado. Tanto no mundo virtual quanto na literatura. Mas o que o maravihoso mundo da viagens precisa é de mais viajantes humildes, não de "especialistas" caga-regras que determinam de tudo: desde como arrumar sua mala ao único tipo que você deve comprar, do lugar que você tem que ir, caso contrário sua viagem será uma merda. Nunca tão maravilhosa como a dele. As classificações dos lugares também. Tem sobrado superficialidade a egocentrismo. Autores assim não percebem que tudo é muito subjetivo e pessoal, que a experiência e o prazer de alguém não será necessariamente igual ao de outro.  Sobretudo as necessidades.

      A blogosfera "profissional e "monetizada" vulgarizou-se e tornou-se banal. Carecemos de gente que escreva para motivar e inspirar, para alargar horizontes, de viajantes que "mostrem" os lugares em vez de "ensinarem" a viajar. Moderadamente, ponderadamente, sem afetação típica de deslumbrados que viajam pela primeira vez em classe executiva e precisam espalhar para o mundo em resenhas risíveis. Ao contrário, a blogosfera

       ESTE blog, ao contrário, não fez concessões à vulgarização dos blogs depois da "profissionalização" e da monetização de alguns. Ao contrário, este é um blog singelo, simples, pequeno, inexpressivo na blogosfera, não despesperado por audiência nem seu autor se dedica mais à sua divulgação nas redes sociais do que à escrita. Tento dar graça à leitura e consolidar algo que prezo muito: confiabilidade, credibilidade.

        COMECEI a viajar tarde, você sabe. Por falta de dinheiro. Até que um dia viajei pela primeira vez ao exterior. Eu tinha 35 anos. Fui assim apresentado ao então desconhecido mas fabuloso mundo das viagens. Jamais, todavia, pensaria visitar mais de 60 países, alguns muito improváveis à época. Irã, Uzbequistão, Myanmar, Etiópia, Quirguistão entre eles. Mas foi recentemente que compreendi que as viagens ficam pra sempre, não as coisas. E que é por esse mundo ser tão diverso, por cada país ser tão diferente, que me parece tão atraente e divertido.

       NÃO sou escritor profissional. Tampouco jornalista. Mas invejo esses profissionais por dominarem o idioma, a gramática e as palavras.  Ainda assim, faço meu melhor, meu caro, estimado, raro e precioso leitor. Então, peço-lhe que considere algo: que mesmo escrevendo com sensibilidade e responsabilidade, incorro em erros. Se quiser, aponte-os. Tanto gramaticais quanto de digitação. Como tenho revisor profissional, antes de publicar dou curso a incansáveis revisões. E também submeto-os ao crivo de minha esposa. Ainda assim, alguns nos escapam.

      SOU brasileiro, empresário e casado com a Emília do blog "A Turista Acidental" e desde que a conheci (e antes mesmo de nos casarmos), tornou-se a "mais-que-perfeita" companheira de vida, de idéias, de projetos e ideais, sobretudo encantadora, adorável e inspiradora companhia de viagens e de aventuras. Com ela compreendi o que significa "prazer de viajar". Foi (e continua sendo) minha melhor fonte de inspirações e de motivações. Tanto que qualifico minhas viagens como "antes e depois" da Emília e "antes e depois" da Índia. Foi com ela que percebi o que quis dizer Érico Veríssimo com "Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado certamente chegará mais longe." Somos pais de gêmeos - uma menina e um menino - nascidos em julho de 2015, e de um filho de 34 anos do meu primeiro casamento, em quem o gosto pelas viagens pareceincorporado. Não sou avô, mas as coisas estão bem encaminhadas neste sentido.

       HOJE com 64 anos (boa parte deles dedicados à família e ao trabalho), foi apenas aos 35 que pude começar a viajar internacionalmente. Desde então visitei 61 países, entre os quais alguns dos mais fascinantes e com os sítios mais admiráveis do planeta. Felizmente, para alguns deles ainda a salvo do turismo de massa, cujos excessos arruinam qualquer lugar. Em março de 2006, quando iniciei este blog, o fiz como meio de comunicação com a família e amigos. Anos mais tarde eu descobri o poder de contar histórias em textos e fotografias, e logo ele tomou outro rumo, provavelmente porque os leitores gostavam dos textos e das fotos, ou então porque na época havia pouquíssimos blogs.

       FIZ cerca de 90 viagens internacionais, voei por 40 cias. aéreas diferentes (algumas extintas) em 391 vôos para fora do Brasil e dentro de outros países e em todas as classes possíveis. Segundo Haroldo Castro - jornalista-fotógrafo-escritor que já esteve em 160 países -, o maior viajante que conheço, em seu teste "Viajologia" que se pode fazer em seu site, que considera não apenas a quantidade de países visitados, mas lugares, monumentos e patrimônios, além de transportes, experiências e situações difícieis porque passam os viajantes, alcancei "Mestrado em Viajologia". Mas isso não é nada diante de gente que lá já "graduou-se" em pós-doutorado.

Escrevo este blog sob uma perspectiva lúcida e sem concessões à monetização sem critérios

        Eliminei o contador de visitas deste blog quando marcava mais de 6 milhões. Audiência hoje em blog é decadente. Viajar, escrever e publicar algo que inspire e icentive o leitor é o que mais me motiva. NUNCA como blogueiro interventor nas viagens alheias, ou caga-regras dizendo como alguém deve viajar e que tipo de mala usar e essas chatices que definem as pessoas homogeneamente.Parece ser o que traz os leitores até aqui. Ou porque gostem de fotografia, para além da leitura odepórica, como eu. E por este blog não ter captulado à ambição e vaidade que levou tantos autores de blogs à monetização sem critérios, sobretudo enganando leitores, cada dia torna-se menorzinho e menos importante. Se continuarem assim, os blogs precisarão ser reinventados. Este aqui nasceu livre e assim será até morrer. Por enquanto estou sempre por aqui. Nem que seja em pensamento. Só não sei até quando.

         Agradeço a visita e os comentários e desejo boa viagem aos leitores.

Em tempo: este blog não integra nenhuma associação disfarçada de incentivos à monetização. Mas se um dia fundarem a ABBLI (Associação Brasileira de Blogs Livres e Independentes), por favor, me convidem!

#blogsemjaba

COMENTÁRIOS
RSS - Quer subscrever?
AddThis Feed Button

Share/Bookmark

VIAJE neste blog

Fotos de viagens
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« Pearl Harbor (Oahu, Hawaii) | Main | Como locomover-se em Oahu? »
Quinta-feira
Dez072006

A região da North Shore

O momento de sair de Waikiki e Honolulu para passear pelo restante da ilha sempre chega. Depois de uns dois ou três dias você vai querer conhecer Hanauma Bay e a North Shore – o que muitos turistas não fazem. É hora de alugar um carro e explorar a ilha! É claro que você pode fazer isso de ônibus, pelo sistema TheBus.

01 Hawaii 136.jpg

Vista aérea (de helicóptero) de Hanauma Bay

Em contraste com Honolulu e Waikiki, a região denominada Oahu's North Shore permanece rural e relativamente natural também na hospedagem. As principais e maiores cidades dessa região são Hale'iwa e Waialua, com acomodações limitadas a casas de aluguel, por serem regiões residenciais e comerciais.

01 Vo Helicptero Oahu_26.jpg

Vista aérea de Hale'iwa e das Waianae Mountais

A leste de Hale'iwa ficam Kahuku e Turtle Bay, onde situa-se o Turtle Bay Resort, este sim, um tradicional resortão americano de luxo, mas muito dirigido a quem quer ficar no golf e no resrt, sem passear pela ilha.

Costa do Germaines.jpg

A Costa Leste de Oahu

O lado oeste de Oahu é pouco visitado, porém sua aridez e difculdades relativas de acesso preservaram as belíssimas paisagens tipicamente havaianas. Ali encontram-se alguns pequenos lodges, opções de hospedagem mais econômicas, não muito turísticas, mais descoladas. Todavia, nesta região destacam-se os ótimos JW Marriott Ihilani Resort & Spa e o Makaha Resort (dirigido aos praticantes de golfe), situado na base das Waianae Mountains.

01 Hawaii 082.jpg

Sunset Beach, uma das praias da North Shore, a "Meca" do surf mundial

Oahu, especialmente a North Shore, é a ‘Meca’ do surf mundial, além de algo assim como “destino espiritual” do povo do surf. Milhares de surfistas de todo o mundo desembarcam na temporada de ondas (novembro a março, predominando as Big Waves em dezembo), seja para simplesmente surfarem e testarem seus limites no estilo free surf, quanto para participarem dos campeonatos.

01 Vo Helicptero Oahu_14.jpg

Vista aérea de Waimea Beach Park

Extendendo-se por 20 milhas (cerca de 32 quilômetros) as praias da North Shore de Oahu têm infindáveis opções de lazer para todos os tipos e gostos, desde prainhas de águas calmas para crianças até as mais violentas, como Pipe Line.

01 Vo Helicptero Oahu_42.jpg

Área residencial na North Shore

Para os que realmente entendem de surf e conhecem Oahu, há dezenas de pontos na Costa Norte apropriados e radicais, os melhores picos de surf, como Avalanche, Haleiwa, Pua’ena Point, Laniakea, Jocko’s, Leftover’s, Alligator Rock, Mariuana’s, Pinballs, Impossibles, Rubber Duckies, Log Cabins, Rockpile, Off the wall, Back Door, Pupukea, Outside Pipeline, Ehukai Beach Park, Gas Chambers, Rocky Point Lefts, Kammieland, Sunset, Backyards, Stone Zone, Velzyland, entre outros preferidos dos experts.

01 Vo Helicptero Oahu_16.jpg

Nos meses de Dezembro e Janeiro o mar da North Shore produz monstruosas ondas ou mesmo ondas menores, mas igualmente perigosas. Recomendo que observem atentamente os avisos e bandeiras que todas as praias colocam na areia, informando as condições do mar e osperigos específicos de cada praia. Mesmo que o verão traga águas mais tranquilas, convém tomar cuidado em certas praias.

01 Hawaii 023.jpg

Praia de Makapu'u

Todas as praias têm uma razoável infra-estrutura: banheiros, duchas e salva-vidas, além de estacionamento.

North Shore

Extendendo-se por quase 20 milhas, o litoral da North Shore de Oahu proporciona muitas paisagens belíssimas e diferentes aspectos geográficos, todos ora margeando um mar azul turqueza, ora serpenteando as montanhas.

01 Vo Helicptero Oahu_10.jpg

Trecho final da North Shore, com Mukuleia Beach ao fundo

A partir de Waikiki, siga pela Kalakaua Avenue até o Kapiolani Park e já começará a ter uma visão bem diferente da que teve até então, o outro lado de Oahu, a árida South shore. O panorama aqui é mais “lunático”, com rochas vulcânicas bem pretas e “esponjosas” num contraste lindíssimo com o verde da vegetação, o azul do céu e do mar, com alguns cactos espinhosos.

01 Hawaii 112.jpg

Estrada para a North Shore, em Halona Blowhole, o trcho chamado de "South Shore"

Alguns chamam esse trecho de South Shore, outros de Sandy’s (nome da praia mais adiante, boa para o bodyboarding, mas os locais a chamam de Ka Iwi, que significa "the bone" (osso), sem dúvidas, por causa das ondas “cachote” que arrebentam violenta e repentinamente bem perto da praia, as chamadas “quebra-ossos”. As praias aqui são relativamente compridas e largas nas faixas de areia e populares entre os corajosos.

115851210_9558a37f5c_o.jpg

Essa é a melhor área de toda Oahu para observar o mar dos inúmeros pontos de observação, os “lookout” (mirantes). Este trecho os americanos denominam “Scenic Drives”. Dependendo da época do ano também podem ser observadas baleias. Aliás, o whale-watching é bem popular, assim como o belíssimo céu de Oahu também proporciona aos astrônomos amadores o meteors-watching, a observação de cometas, estrelas, satélites e meteoros. O céu de Oahu é tão lindo quanto o mar.

01 Vo Helicptero Oahu_43.jpg

As estradas margeiam o mar, as montanhas e até vulcões extintos.

Seguindo a Kalakaua Avenue começará a Poni Moi Road, onde se passará na base do Diamond Head. Se quiser, entre à esquerda na Diamond Head Road e suba até a cratera, onde fica o parque e o início da trilha que sobe até o topo do vulcão para ter acesso a vários lookout points.

01 Vo Helicptero Oahu_25.jpg

A Diamond Head Road segue descendo até o elegante bairro de Kahala com suas espetaculares mansões. Continue pela Kahala Avenue e vire à esquerda na Hunakai Street, depois à direita na Kilauea Avenue, e olhe para a placa que indica a rodovia H-1 WEST - WAIMANALO. Vire à direita na indicação, mas você não entrará na H-1 Freeway. Pegue a Kalanianaole Highway, uma estrada de 4 pistas com vários sinais luminosos a cada quarteirão, por ser uma zona residencial e com escolas, bastante trânsito. Essa área é uma espécie de cidade-dormitório de Honolulu e Waikiki, uma espécie de subúrbio.

01 Hawaii 021.jpg

Makapu'u Beach Park

Cerca de 30 a 40 minutos de passeio e você chegará a Hanauma Bay, à sua direita. Entre na estradinha até o parque e estacione o carro para explorar a área e os mirantes, que dão ótima vista aérea da praia de Hanauma Bay, um centro de preservação de vida marinha e ótimo lugar para mergulho com snorkel. Essa área é extremamente controlada e o acesso à prais é pago e limitado a um determinado número de visitantes.

Hanauma Bay North Shore - Oahu Hawaii.jpg

Hanauma Bay

Por volta da “mile marker 11” você chega a Halona Blowhole. É um dos mais bonitos pontos de observação, do mar de Halona e de Sandy Beach, além do golfo de Molokai e de Lanai bem no horizonte.

Hawaii Kai Lookout.jpg

 

Hawaii Kai Lookout

Sandy Beach Park é a praia mais perigosa de Oahu e a única com uma ambulância sempre presente de plantão.  Bodyboarders adoram Sandy Beach!

01 Hawaii 014.jpg

Todas as praias contam com guarda-vidas, banheiros, estacionamento e áreas de piquenique

Neste ponto a costa parece mais agreste e menos bonita, mas a estrada serpenteia por antigas áreas de pesca e famosas formações rochosas conhcidas como Pele's Chair, nas proximidades da Kalanianaole Highway (Hwy. 72) em Queen's Beach.

01 Hawaii 104.jpg

Estrutura de estacionamento e mirantes de Hanauma Bay Nature Preserve

A bela estrada de asfalto impecável e passando por trechos de rochas de lava conduz ao próximo ponto de destaque, o belíssimo Makapuu Point, onde há um farol que antigamente sinalizava os vapores vindos de São Francisco e que aidna hoje funciona com um sistema automático.

01 Hawaii 024.jpg

Makapu'u ao fundo vista do mirante

De cima do mirante podem-se ver a praia de Makapu'u e o Sea Life Park, um parque marinho dirigido às crianças. A praia é bonita, mas um pouco perigosa. Há uma boa estrutura de estacionamento e de banheiros com ducha de água doce e lugar para piqueniques.

01 Hawaii 009.jpg

Logo depois de Makapu'u começa a área denominada windward side, lugar especial para a prática do windsurf por causa dos ventos mais fortes e adeaquados à vela e o mar relativamente tranquilo, ainda azul-turquesa. As ondas de Makapuu Beach Park são como as de Sandy Beach Park, ou seja, apropriadas para o bodysurfing. Aqui também as ondas arrebentam bem em cima da praia e repentinamente, em forma de tudos ou “cachotes” e a areia da beira afudna abruptamente, o que provoca sustos nos banhistas. Não é uma praia de “dar pé”.

01 Hawaii 011.jpg

A seguir, a via costeira passa por uma profusão de montanhas verdes e estriadas, diferentes das monatnhas que conhecemos no Brasil, por causa da sua formação vulcânica, com picos agulhados mountains and strange peaks, emolduradas por baías de areia dourada e pelo mar azul do Pacífico. São as montanhas Koolau, com mil metros de altura que se precipitam em fendas retas em direção ao solo. Muito popular entre os pilotos de hang-glider que aproveitam as excelentes e características “térmicas”.

01 Hawaii 068.jpg

Serpenteando pela costa , a Kalanianaole Highway (Hwy. 72) conduz à area rural denomidada Waimanalo, uma cidade “country-beach” com criação de cavalos, estábulos e bancas de venda de frutas frescas e das melhores conhcas de Oahu, da espécie triton shell.

01 Hawaii 069.jpg

Cerca de 4 milhas adiante chega-se a Waimanalo Beach, a maior de Oahu em extensão e a mais popular para bodysurfing. Dê um mergulho aqui e siga em direção a Kailua Beach, uma das melhores de todo o Havaí.

01 Hawaii 006.jpg

Waimanalo beach

Lanikai Beach fica à direita de Kailua Beach . É considerada uma das praias mais bonitas dos Estados Unidos pela revista Condé Nast.

01 Hawaii 007.jpg

Waimanalo

Esta é uma praia fantástica situada numa zona residencial e relativamente pouco visitada porque a estrada Kalanianaole Highway (Hwy. 72) passa ao largo dela. Consulte o mapa e veja que ela vai ficando distante porque na altura de Waimanalo a estrada vai se afastando da costa, até chegar à rodovia 61, onde virando à direita você chaga a Kailua Beach ou à esuerda volta pra Honolulu.

01 Hawaii 081.jpg

Sunset Beach, onde acontece o Triple Crown de Surf

De todo modo esta é uma linda praia com palmeiras e casas na beira da praia, areias claras e águas cristalinas, uma bela visao de paisagem tropical.

01 Hawaii 027.jpg
Um dos vários mirante na estrada para a North Shore

Kailua Beach

Na “esquina” de Lanikai começa Kailua Beach Park, que possui as mesmas qualidades e características que sua “irmã” e vizinha. Há, como em Lanikai, equipamentos para aluguel, tais como caiaques e canoas, ente outros. A praia tem uma milha de extensão é é muito segura para o banho de mar, para nadar, além de proporcionar uma excelente vista do horizonte. Altamente recomendável.

01 Hawaii 025.jpg

Kualoa Regional Park

Do outro lado da rua onde se situa Kualoa Ranch está Kualoa Regional Park. Esta bonita praia tem deslumbrante vistas da costa de Oahu e uma grande área gramada com estrutira para piqueniques e banheiros. A praia é um misto cascalho de coral e areia, na qual às vezes é possível encontrarem-se conchas.

115916102_c8b47211c6_o.jpg

Waimea Beach Park tem uma das melhores infra-estruturas de praia

Chinaman’s Hat, a ilha cujo verdadeiro nome é Mokolii, fica em frente à praia e é facilmente alcançada por canoa ou caiaque. O lugar é considerado sagrado, ou puu honua. Os havaianos antigos acreditavam que Mokolii ("algo como barbatana do lagarto").

01 Vo Helicptero Oahu_44.jpg

Chinaman’s Hat

Se você quiser continuar em direção à North Shore siga a North Kalaheo Drive, que vira Kaneohe Bay Drive assim que chega em Kaneohe Bay e se dirige de novo à Kamehameha Highway (Hwy. 83), a qual passa por Kaneohe.

 

A cidade tem cara de subúrbio e nada para se afazer, a não ser abastecer o carro e comprar comida e água. Na verdade as ruas e prédios escondem as belas baías do Pacífico que ficam por trás dela e assim que você sai da cidade parece retornar ao verdadeiro Havaí. Aqui você seguirá por um bom trecho sem grandes atrações para parar, em direção à North Shore, depois de passar por La’ie, Turtle Bay Resort, Kahuku e Kuilima.

01 Hawaii 073.jpg

Sunset Beach (vista norte)

Sunset Beach

Tecnicamente, Sunset Beach é uma faixa de areia de duas milhas que vai de `Ehukai Beach a Sunset Point, mas que foi sub-dividida em pequenas praias por conta da s fortes ondas que semrpe quebraram na costa desse trecho da North Shore, resultando em pequenos paraísos para surfistas, com nomes como Pupukea, Back Doors, Off-the-Wall, Log Cabins, Cloudbreak…todas consideradas “Sunset Beach”. Este é considerado o mais longo trecho de pontos com ondas perfeitas para o surf do mundo. Esta área é ótima para banho de mar quando não estiver na época das big waves.

_NIK4201.jpg

Waimea Beach (lado sul)

Ehukai Beach (Banzai Pipeline)

Em havaiano `ehukai significa “reddish-tinged water” (ou mar avermelhado) que na verdade refere-se à cor do pôr-do-sol quando projetado no mar. Os locais a apelidaram de “Pipeline” por causa dos poderosos “tubos” que as ondas formam, especialmente nessa área. Durante os meses de inverno não é adequada ao mergulho mesmo para os mais experientes, porque as fortíssimas ondas a tornam extremamente turbulenta, cheia de correntezas. Banzai Pipeline é um dos mais famosos pontos de surf do Havaí e do mundo e abriga alguns dos torneios mais famosos, como o Triple Crown.

_NIK2534.jpg

As dezenas de praias da North Shore, algumas das melhores do mundo para surf

Waimea Beach

Se você quiser observar as big waves, este é o lugar. Waimea Bay é notória por produzir ondas monstruosas no inverno. Um torneio muito popular de big-wave – o Quicksilver Eddie Aikau Invitational – acontece aqui todo ano.

_NIK4233.jpg

A costa de Waimea é considerada uma das mais perigosas do mundo no inverno. Fora da temporada de ondas gigantes Waimea se torna calma e boa para banhos de mar.

115915986_f1c9bff915_o.jpg

Igreja em Haleiwa

Haleiwa Town, Haleiwa

Assista a um vídeo sobre a cidade de Haleiwa 

http://turnhere.com/city/Hawaii/All/films/149.aspx

Este centro comercial no final da north shore e suas inúmeras praias para surf. Haleiwa, que fica na baía Waialua, tem um ar caipira, interiorano, tranquilo, com lojas, restaurantes populares, pusadas e tudo voltado aos surfistas que aqui fazem seu ponto nas altas temporadas.

_NIK4227.jpg

O Haleiwa Beach County Park tem uma boa estrutura para piqueniques e banhos de mar, porque as águas, de baía, são bem tranquilas.

_NIK4269.jpg

Reader Comments (8)

Caramba, Arnaldo! Que maravilha de guia! Dá pra virar um guia ilustrado Eyewitness!
Arnaldo,

O guia continua 100%!! Estava pensando que no final você poderia fazer um resumo do tipo: lugares e experiências imperdíveis, lugares e experiências se você tiver tempo e lugares e experiências dispensáveis ou supérfluos. Com isso as pessoas poderiam organizar a viagem de acordo com o tempo disponível.

Fiz as modificações no Aquela Passagem!links, acho que consertei os links e os banners abrem em outra página. Obrigado pelos toques.

Viajando na net, encontrei uma informação sobre a abertura de um hotel na Galeria Vittorio Emanuele II ligado a rede the Leading Hotels of the World (7? estrelas). Vai o link
http://www.townhouse.it/thgallery/

Acho que um hora dessas, com tanto conteúdo bom na internet, vai dar pra juntar uns blogs, fazer um mega portal que geraria agregador virtual para planejamento e montagem de viagens, guias on-line e impressos...... Seus guias, como disse o Riq, merecem ser conhecidos por um público maior!
11:10 | Unregistered CommenterRodrigo
Ola Arnaldo!
Estive uns dias fora visitando a familia do meu marido no Arizona e somente hoje vi seu comentario no meu blog. Espero que seu Natal tenha sido bom e que 2007 seja um ano de sucesso. Seu site ja' esta nos meus favoritos ha um tempao! Obrigada. Nil
23:49 | Unregistered CommenterN Breault
Arnaldo! Tá DEMAIS tuas fotos.To babando!!Tenho certeza que o natal foi maravilhoso e que Papai Noel, st.Klaus, Os Reis Magos, vao te trazer um montao de viagens para que nos possa vibrar com essas imagens e com tuas dicas.Sao os meus sinceros desejos para teu 2007. Beijos e muitos carinhos de Madrid e te digo..no fim das contas como principiante compramos uma CANON EOS400.pelo que vejo nas tuas fotos ainda temos muito que aprender.

nossa que coisa mais linda!!! EU estou planejando de ir para lá, e eu tenho certeza que irá dar certo!!! vendo essas fotos eim, a vontade aumenta ainda mais, e a vontade de ir se supera!! hahahahaha lindas suas fotos, parabés!

23:06 | Unregistered Commenterjanaa

Oi Arnaldo, parabéns pelo blog, estou amando! Gostaria de saber quanto tempo devo reservar para fazer esse passeio e conhecer toda a ilha.

Para uma estada tranquila e sem correria, com tempo para aproveitar as praias, cinco dias em Oahu são ideais.

21:50 | Unregistered CommenterArnaldo

muito legal essa reportagem meu muito lagal espero um dia poder vizitar

16:42 | Unregistered Commentervaleria

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.