MENSAGEM ao LEITOR
CONHEÇA QUEM ESCREVE

BEM-vindo ao Fatos & Fotos de Viagens, um blog sem jabá e não vulgar

        EXISTE no viajar e no escrever relatos de viagens um terreno fértil para demonstrações de arrogância. É algo simplesmente disseminado. Tanto no mundo virtual quanto na literatura. Mas o que o maravihoso mundo da viagens precisa é de mais viajantes humildes, não de "especialistas" caga-regras que determinam de tudo: desde como arrumar sua mala ao único tipo que você deve comprar, do lugar que você tem que ir, caso contrário sua viagem será uma merda. Nunca tão maravilhosa como a dele. As classificações dos lugares também. Tem sobrado superficialidade a egocentrismo. Autores assim não percebem que tudo é muito subjetivo e pessoal, que a experiência e o prazer de alguém não será necessariamente igual ao de outro.  Sobretudo as necessidades.

      A blogosfera "profissional e "monetizada" vulgarizou-se e tornou-se banal. Carecemos de gente que escreva para motivar e inspirar, para alargar horizontes, de viajantes que "mostrem" os lugares em vez de "ensinarem" a viajar. Moderadamente, ponderadamente, sem afetação típica de deslumbrados que viajam pela primeira vez em classe executiva e precisam espalhar para o mundo em resenhas risíveis. Ao contrário, a blogosfera

       ESTE blog, ao contrário, não fez concessões à vulgarização dos blogs depois da "profissionalização" e da monetização de alguns. Ao contrário, este é um blog singelo, simples, pequeno, inexpressivo na blogosfera, não despesperado por audiência nem seu autor se dedica mais à sua divulgação nas redes sociais do que à escrita. Tento dar graça à leitura e consolidar algo que prezo muito: confiabilidade, credibilidade.

        COMECEI a viajar tarde, você sabe. Por falta de dinheiro. Até que um dia viajei pela primeira vez ao exterior. Eu tinha 35 anos. Fui assim apresentado ao então desconhecido mas fabuloso mundo das viagens. Jamais, todavia, pensaria visitar mais de 60 países, alguns muito improváveis à época. Irã, Uzbequistão, Myanmar, Etiópia, Quirguistão entre eles. Mas foi recentemente que compreendi que as viagens ficam pra sempre, não as coisas. E que é por esse mundo ser tão diverso, por cada país ser tão diferente, que me parece tão atraente e divertido.

       NÃO sou escritor profissional. Tampouco jornalista. Mas invejo esses profissionais por dominarem o idioma, a gramática e as palavras.  Ainda assim, faço meu melhor, meu caro, estimado, raro e precioso leitor. Então, peço-lhe que considere algo: que mesmo escrevendo com sensibilidade e responsabilidade, incorro em erros. Se quiser, aponte-os. Tanto gramaticais quanto de digitação. Como tenho revisor profissional, antes de publicar dou curso a incansáveis revisões. E também submeto-os ao crivo de minha esposa. Ainda assim, alguns nos escapam.

      SOU brasileiro, empresário e casado com a Emília do blog "A Turista Acidental" e desde que a conheci (e antes mesmo de nos casarmos), tornou-se a "mais-que-perfeita" companheira de vida, de idéias, de projetos e ideais, sobretudo encantadora, adorável e inspiradora companhia de viagens e de aventuras. Com ela compreendi o que significa "prazer de viajar". Foi (e continua sendo) minha melhor fonte de inspirações e de motivações. Tanto que qualifico minhas viagens como "antes e depois" da Emília e "antes e depois" da Índia. Foi com ela que percebi o que quis dizer Érico Veríssimo com "Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado certamente chegará mais longe." Somos pais de gêmeos - uma menina e um menino - nascidos em julho de 2015, e de um filho de 34 anos do meu primeiro casamento, em quem o gosto pelas viagens pareceincorporado. Não sou avô, mas as coisas estão bem encaminhadas neste sentido.

       HOJE com 64 anos (boa parte deles dedicados à família e ao trabalho), foi apenas aos 35 que pude começar a viajar internacionalmente. Desde então visitei 61 países, entre os quais alguns dos mais fascinantes e com os sítios mais admiráveis do planeta. Felizmente, para alguns deles ainda a salvo do turismo de massa, cujos excessos arruinam qualquer lugar. Em março de 2006, quando iniciei este blog, o fiz como meio de comunicação com a família e amigos. Anos mais tarde eu descobri o poder de contar histórias em textos e fotografias, e logo ele tomou outro rumo, provavelmente porque os leitores gostavam dos textos e das fotos, ou então porque na época havia pouquíssimos blogs.

       FIZ cerca de 90 viagens internacionais, voei por 40 cias. aéreas diferentes (algumas extintas) em 391 vôos para fora do Brasil e dentro de outros países e em todas as classes possíveis. Segundo Haroldo Castro - jornalista-fotógrafo-escritor que já esteve em 160 países -, o maior viajante que conheço, em seu teste "Viajologia" que se pode fazer em seu site, que considera não apenas a quantidade de países visitados, mas lugares, monumentos e patrimônios, além de transportes, experiências e situações difícieis porque passam os viajantes, alcancei "Mestrado em Viajologia". Mas isso não é nada diante de gente que lá já "graduou-se" em pós-doutorado.

Escrevo este blog sob uma perspectiva lúcida e sem concessões à monetização sem critérios

        Eliminei o contador de visitas deste blog quando marcava mais de 6 milhões. Audiência hoje em blog é decadente. Viajar, escrever e publicar algo que inspire e icentive o leitor é o que mais me motiva. NUNCA como blogueiro interventor nas viagens alheias, ou caga-regras dizendo como alguém deve viajar e que tipo de mala usar e essas chatices que definem as pessoas homogeneamente.Parece ser o que traz os leitores até aqui. Ou porque gostem de fotografia, para além da leitura odepórica, como eu. E por este blog não ter captulado à ambição e vaidade que levou tantos autores de blogs à monetização sem critérios, sobretudo enganando leitores, cada dia torna-se menorzinho e menos importante. Se continuarem assim, os blogs precisarão ser reinventados. Este aqui nasceu livre e assim será até morrer. Por enquanto estou sempre por aqui. Nem que seja em pensamento. Só não sei até quando.

         Agradeço a visita e os comentários e desejo boa viagem aos leitores.

Em tempo: este blog não integra nenhuma associação disfarçada de incentivos à monetização. Mas se um dia fundarem a ABBLI (Associação Brasileira de Blogs Livres e Independentes), por favor, me convidem!

#blogsemjaba

COMENTÁRIOS
RSS - Quer subscrever?
AddThis Feed Button

Share/Bookmark

VIAJE neste blog

Fotos de viagens
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« Praga: Cerveja, Cristal, Arquitetura, Arte, Música e Cultura | Main | Roma: a pé, de ônibus, de metrô »
Segunda-feira
Mai152006

Roma: uma visita à cidade

Piazza di Spagna

1 piazza spagna b.jpg

Conjunto arquitetônico elegante e ladeado por edifícios de cor ocre e dominado pela Escadaria da Santíssima Trindade dos Montes - mais conhecida como Escadaria Espanhola. É ponto de encontro e de lazer de romanos e turistas.

2 escadaria 0.jpg

A Praça tem uma atmosfera viva e cosmopolita e no seu centro há uma bela fonte tipicamente romana, a Fontana della Barcaccia, cujo nome vem de sua forma de barco, uma obra de Bernini.

2 escadaria 1.jpg

A alma da praça é a Scalinata di Trinitá dei Monti, com a igreja do mesmo nome dominando acima, com desenho sinuoso de rampas, parapeitos, terraços e degraus em mármore que avança para a Via dei Condotti.

2 escadaria 2.jpg

Na Piazza Trinitá dei Monti, no topo da praça, ficam o obelisco salustiano e a Chiesa di Trinitá dei Monti, construída no século 16.

3 obelisco salustiano.jpg

Desta praça saem ruas importantes como a Via Margutta, a Via del Balbuino, a Via Condotti, a Via Borgognona e a Via Frattina e a Colonna dell’Imacolata

4 colonna .jpg4 fontana barca.jpg

Piazza del Popolo (Praça do Povo), situada na confluência das Vias di Ripetta, del Corso e del Babuino, foi projetada por Valadier no início do século 19. Na entrada da praça há duas igrejas iguais, a S. Maria di Montesanto e a S. Maria dei Miracoli, construídas no século. 17, projetadas inicialmente por Carlo Rainaldi e concluída por dois outros arquitetos: Bernini e Fontana. A praça tem a forma de dois semi-círculos que a ligam ao Pincio, uma das sete colinas de Roma. Bem no centro da praça fica o Obelisco Flaminio, obra trazida do Egito por ordem de Augusto, onde foi construída entre 1323-1200 a.C. A praça termina na Porta del Popolo, ou Porta Flaminia. Foi reconstruída em 1561 sobre projeto de Michelangelo e de Vignola. A fachada que dá para a praça é de Bernini. À direita, completa o conjunto a Chiesa de Santa Maria del Popolo, com afrescos de Pinturicchio e pinturas de Caravaggio e em seu interior está a Cappella Chigi, projetada por Rafael, também autor dos mosaicos da cúpula.

Piazza Venezia , fica no centro de Roma e tem a forma retangular com um jardim central, defronte ao monumento a Vittorio Emanuele II, e para onde vão alguas das ruas mais importantes de Roma, tais como a Via del Corso, Via Quattro Novembre, Via del Plebiscito, Corso Vittorio Emanuele e a Via del Fori Imperiali, onde ficam as antigas ruínas do Foro Romano e do Coliseu. É considerada o ponto zero da cidade. Construída para comemorar a unificação italiana, a praça incorporou o Altare della Patria (o túmulo ao soldado desconhecido, da Guerra de 1915-1918 e o Museo del Risorgimento, que funciona de terça a domingo de 10h30 às 18h30, com entrada gratuita). Na praça também fica o Museo di Palazzo Venezia, uma das primeiras construções renascentistas de Roma, antiga residência oficial de Mussolini, com exposição de peças em bronze, porcelana, tapeçaria, pinturas e esculturas em mármore e marfim. Funciona para o público de terça a sábado, de 9 às 19h30 com ingresso a 4 Euros.

Piazza Navona , onde era antigamente ficava o Stadio di Domiziano, uma das praças mais importantes de Roma e um cntro de peregrinação de turistas. A praça é rodeada por restaurantes e cafés, e no seu centro fica a mais imponente das fontes, a Fontana dei Fiumi, ou dos 4 Rios, projetada por Bernini. As 4 estátuas que cercam o obelisco representam os rios Ganges (Ásia), Nilo (África), Danúbio (Europa) e o Rio da Prata (América). No lado sul da praça fica a Fontana del Moro e do lado oposto a Fontana del Nettuno, esta última, projeto de Della Porta e realização parcial de Bernini. Aqui nesta praça fica a Embaixada do Brasil, cuja bandeira está sempre hasteada na fachada.

Fontana de Trevi , a mais emblemática da cidade, que representa a “Dolce Vita”, fica ao norte do Pantheon e foi construída no fim do século 17 pelo arquiteto N. Salvi. Sua estátua no centro representa o Oceano sobre uma concha. Na parte inferior, os turistas atiram uma moeda cujo significado é pedir para voltar a Roma e realizar mais um desejo. Celebrada no cinema por Fellini, La Dolce Vita (1960), na qual a atriz Anita Ekberg entrava, vestida, em suas águas azuis.

Castelo Sant'Angelo , perto do Vaticano, construído pelo imperador Adriano (117-138 d.C.), serviu como fortaleza papal, prisão e palácio. É uma visita muito interessante e está aberto ao público de terça a domingo, de 9 às 20h, com ingresso a 5 Euros. É um complexo com o museu de armas e artilharias e apartamentos dos papas. Do seu topo se tem uma bela e privilegiaa vista da cidade e do Vaticano. No penúltimo patamar há uma cafeteria

Via Vittorio Veneto , uma das ruas mais famosas de Roma, liga a Vila Borghese à Piazza Benini e termina na Piazza Barberini. É uma das ruas mais bonitas de Roma, elegante e sofistoicada, larga, com bonitos prédios e onde fica o Hard Rock Café. O destaque são os restaurantes e cafés que ficam nas calçadas, fecjados e envidraçados e rodeados por lojas famosas das grifes italianas mais cohecidas como Gucci e Versace.

Vaticano. O menor país do mundo na verdade é quarteirão cercado de Roma por todos os lados, cujo “soberano” é o papa, e que foi fundado 1929, com o Tratado de Laterano, ano em que a Itália reconheceu o país. A região é denominada Ager Vaticanus e perto do Rio Tibre, lugar onde foram martirizados os principais cristãos, entre os quais o próprio São Pedro, que foi crucificado de cabeça para baixo por não se achar digno de sofrer a mesma morte de Cristo. Para chegacom acesso pelo Metrô Otaviano/San Pietro ou pelo ônibus 46.

A Piazza San Pietro – em forma de ferradura – foi projetada por Bernini e é circundada por uma colunata de 4 fileiras de colunas dóricas enormes. De determinados pontos do centro da Praça se consegue “alinhar” visualmente as colunas como se estivessem apenas numa fileira.

Eu gosto (e recomendo) chegar, à Piazza San Pietro pela Via della Conciliazone, a pé, depois de visitar o Castelo Sant'Angelo.

No centro na Praça está o obelisco egípcio trazido por Calígula para o Circo de Nero e ladeado por duas pequenas fontes projetadas por Maderno e Bernini.

Basílica di San Pietro pode ser visitada diariamente de 9 às 17 horas e o seu interior é belíssimo e ricamente ornado e por mestres como Michelangelo e Bernini. No interior tudo é belíssimo e grandioso, como a Pietá, de Michelangelo, o Baldacchino, de Bernini, executado em bronze, com 29m de altura, a cúpula gigantesca e impressionante, à qual é possível ser visitada (são 330 degraus!) e de onde se tem uma espetaclar vista da Piazza. Mas pode-se subir de até um deetrminado ponto.

Os Museus do Vaticano estão abertos de 8:45 às 12:20 h no inverno e até 15:20, no verão. Custa 10 Euros a entrada mas vale cada centavo. Não apenas por sua fabulosa coleção como por sua arquitetura. Mas eu sugiro que o museu tenha uma manhã dedicada a ele, independentemente da visita à Igreja e à Praça de São Pedro. Você vai precisar de tempo e estar descansado. Já na entrada, a fabulosa Scalone Elicoidale, a grandiosa escada/rampa helicoidal, impressiona e introduz à gradiosidade do que está por vir: o complexo Musei di Antichitá (Museu da Antigüidade) com sua riquíssima coleção de arte clássica e de tesouros papais.

Reader Comments (11)

Ola! Gostaria de parabeniza-lo pelo seu blog! Alem de ser bem escrito, e' interessante, tem otimas dicas e fotos belissimas!!
Iremos a Roma na proxima semana e, com certeza, algumas das suas dicas nos serao muito uteis. Nao vemos a hora de ir! Um abraco
10:36 | Unregistered CommenterAdriana
Estou indo pra Roma agora dia 23 de dezembro e estou copiando tudo q vc escreve....só lamento q qdo vcs escrevem , vcs esquecem que eu tenho um FILHA QUARTO TRIPLO...TO BRINCANDO PARABÉNS....rsrsr
aproveitando será que é uma boa hotel king em roma me cobraram 135 o triplo por noite 4 noites . abraços e parabéns
Estou indo pra Roma agora dia 23 de dezembro e estou copiando tudo q vc escreve....só lamento q qdo vcs escrevem , vcs esquecem que eu tenho um FILHA QUARTO TRIPLO...TO BRINCANDO PARABÉNS....rsrsr
aproveitando será que é uma boa hotel king em roma me cobraram 135 o triplo por noite 4 noites . abraços e parabéns
Roma, Roma, Roma... Sem dúvida uma das cidades mais fantásticas do mundo que jamais esquecerei!
23:43 | Unregistered CommenterCat
Alo Rodrigo, nao deixe de levar a sua filha a uma viagem em3-D pela historia de Roma, veja no site; www.time-elevator.it/en/show.htm .A minha filha adorou!
7:13 | Unregistered CommenterTicidi
www.time-elevator.it/en/show.htm

Oi, vou viajar para Itália, e gostaria de indicações de hotéis charmosos, e que não sejam caros em hipótese alguma, em Roma, Napoles, Veneza e Florença. Gostaria tb de um roteirinho, das coisas legais, dos lugares cheios de bossa pouco conhecidos por turistas... Viajarei em setembro/outubro, o outono é uma boa época???
Esperarei pela resposta, sucesso a todos!!!!
14:29 | Unregistered Commenterdaniela
Oi, vou viajar para Itália, e gostaria de indicações de hotéis charmosos, e que não sejam caros em hipótese alguma, em Roma, Napoles, Veneza e Florença. Gostaria tb de um roteirinho, das coisas legais, dos lugares cheios de bossa pouco conhecidos por turistas... Viajarei em setembro/outubro, o outono é uma boa época???
Esperarei pela resposta, sucesso a todos!!!!
14:30 | Unregistered Commenterdaniela
Desculpe, Daniela, mas não dá pra indicar hotéis que eu não mconheço e assim tão genericamente, sem dar idéia de preço e quantas pessoas.

difícil indicar "lugares cheios de bossa pouco conhecidos por turistas" ...

O outono é uma ótima época porque ainda não é frio e não é quente com o no verão. Eu recomendo comprar um guia turística da Itália, há muitos deles

Vou usar se texto como guia kkk
Conhece algum site que tenha dicas de palavras
tipo um dicionário pra se virar na Italia?

7:28 | Unregistered CommenterGuia

Vou usar se texto como guia kkk
Conhece algum site que tenha dicas de palavras
tipo um dicionário pra se virar na Italia?

Shizue Fukuda

7:29 | Unregistered CommenterGuia

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.