CONHEÇA O AUTOR

          

         Depois de estabelecer-se na Internet desde 1999 escrevendo relatos de viagens em sites relacionados com o tema, em 2006 ter fundado o blog Fatos & Fotos de Viagens - um dos pioneiros da blogosfera de viagens - foi convidado a colaborar com matérias na Revista Viagem & Turismo (Editora Abril). Agora, Arnaldo prepara o lançamento de seu primeiro livro - "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia" - ingressando na literatura com um livro encantador que, segundo o autor, é o primeiro de uma série.

Assim o autor define esta sua nova fase:

             "Livro é coisa séria. O que o leitor encontrará em "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia" é diferente do que lê aqui neste blog. Da narrativa ao estilo. Em vez de uma conversa baseada na informalidade, o livro mistura traços de coloquialidade e informalidade com uma escrita literária. Sobretudo com profundo respeito à arte de escrever. Passo a ser um escritor, mas é apenas uma outra maneira de me expressar sobre viagens, transmitir sem fantasias o mundo que vejo, isto é, como ele é, não como o imagino. A leitura revelará, todavia, aqui e ali, discrepâncias entre minhas expectativas e a realidade confirmada no destino. Segundo o poeta e ensaísta norte-americano Henry David Thoreau, "Muitos homens iniciaram uma nova era na sua vida a partir da leitura de um livro". Então, a partir deste meu primeiro, considero ter ingressado numa nova, deliciosa fase da minha vida.

Gente que escreve e encanta, fala sobre o autor:

Haroldo Castro:

            "Arnaldo Trindade Affonso é um dos viajantes equilibrados e sensatos que se lança escritor, o que, num Brasil de pouca leitura e onde a Literatura de Viagem não chega a ocupar meia estante nas livrarias, conta histórias que servirão de grande subsídio para qualquer leitor, além de ajudar a romper os preconceitos de que a África só oferece guerras, doenças e fome. Infelizmente, a riqueza cultural e natural do continente é quase sempre tão abafadas por notícias negativas que considero este livro um raio de luz na região."

Jornalista, fotógrafo, autor de “Luzes da África”, indicado para o Prêmio Jabuti 2013 na categoria Reportagens

Ronize Aline:

            "Minha opinião sobre o autor está refletida na resenha que escrevi de seu livro "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia": ele escreve com o coração e demonstra respeito por tudo o que viu. Este livro, mais do que o relato de uma viagem à Etiópia, é uma viagem rumo a uma experiência de imersão e contemplação do outro. É como olhar para o diferente sem estranhamento ou indiferença."

Escritora, tradutora, jornalista, professora universitária e crítica literária do jornal O Globo, do Rio de Janeiro

Rachel Verano

             "Neste livro, Arnaldo tem o poder de nos transportar a um dos cantos mais fascinantes e ainda intocados do planeta. Mas de maneira ao mesmo tempo delicada e profunda, pessoal, criando intimidade com os personagens, deixando o leitor perceber cheiros, sabores e sentir as emoções de suas descobertas. Do peso do ar à alegria de dobrar a esquina, o autor consegue transmitir todo seu fascínio de estar diante de algo realmente novo."

 Jornalista passou pelas redações das revistas Viagem & Turismo, Veja, VejaSP, Glamour, TAM e Vamos/LATAM

Davi Carneiro

             "Há uma frase atribuída ao grande viajante do século 14, talvez o maior escritor-viajante de todos os tempos, Ibn Battuta: “Viajar, primeiro te deixa sem palavras, depois te transforma num contador de histórias.” Suspeito, caro leito, ser este o caso do Arnaldo, um autêntico viajante que vem se mostrando, cada vez mais, um talentoso contador de histórias. Conheço-o e o sigo desde 1996, através do seu blog, aquele que, na minha opinião, é um dos melhores de viagens da internet brasileira, tanto pela excelência fotográfica quanto pela qualidade dos textos. Com um currículo andarilho de respeito (mais de 60 países, entre eles Quirguistão, Miamar, Irã e Uzbesquistão), Arnaldo tem o mérito de ir na contramão da blogosfera profissional e monetizada: de maneira simples, autêntica e independente, preza, principalmente, a credibilidade e a confiança de seu leitor." 

 Escritor, jornalista e colaborador de diversas revistas nacionais e estrangeiras

COMENTÁRIOS
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« Praga: a Igreja da Natividade - Loreta | Main | Praga: Um dia em Kutná Hora »
Terça-feira
Jun202006

Praga: o Ossuário de Sedlec - Kutná Hora

          ossos 0.jpg

          O Ossuário de Sedlec (Kostnice), uma esquisita capela cristã decorada com ossos humanos, fica na igreja construída nos fins do XIV em estilo gótico francês.

          Na verdade são duas capelas, uma sobre a outra. A superior, dedicada a todos os santos e a inferior à Paixão de Cristo.

ossos 2.jpg

          A capela foi feita como parte da igreja do cemitério, ao qual serviu por 300 anos.

          ossos 3.jpgossos 002.jpg

           Em 1.278 o superior do mosteiro trouxe terra do Calvário de Cristo e a espalhou pelo solo do cemitério.

ossos 4.jpg

          Muitos disseram, desde então, que a terra do cemitério era santa, o que transformou o cemitério objeto de desejo de muitos nobres e burgueses, inclusive de outros países, que queriam ser enterrados ali.

ossos 6.jpg

          No anos de 1.318 ocorreu uma peste que provocou a morte de 30.000 pessoas que foram enterradas no cemitério em valas comuns. Em 1.421 os husitas destruiram o mosteiro de Sedlec e nas proximidades ocorreram algumas batalhas em que parte do cemitério foi atingida e parcialmente destruída. Alguns ossos foram depositados na parte inferior da capela, posteriormente reconstruída e decorada em 1.870, tomando a forma atual, com os ossos lá depositados.

ossos 5.jpg

          Existem diversas alegorias feitas com ossos humanos, 4 pirâmides de ossos empilhados. Ainda que estranho, não é lúgubre e chega a ser divertida a criatividade de trevos-de-quatro-folhas executados com bacias humanas, candelabros feitos de tíbias, lustres pendentes, pias batismais, um pouco impressionante mas muito criativo trabalho de escultura que selecionou cuidadosamente cada osso adequado àquela peça decorativa.

          No interior da igreja a mensagem "Todos são iguais após a morte, portanto aqui serão usados ossos de ricos e pobres sem distinção.”

Reader Comments (3)

Pois parece que a República Checa é um mar de cultura e arte.
Estive há pouco tempo em Olomouc, Valtice e Lednice e fiquei encantado (acho que ainda estou de boca aberta)!!!
E como diz.... tenho de ir a Praga, pelo menos uma vez na vida :))
12:33 | Unregistered CommenterMioseiro

AAMMMMMMEEEEIIIIIIII
aonde que essa igreja fica?
eu quero ir nela!!

Estive em Praga a algumas semanas atras. Realmente a igreja é maravilhosa. Muito interessante poder ver de perto todos os detalhes, lá existe alguns crânios de pessoas que morreram por flexas que atingiram a cabeça da pessoa, o crânio esta lá com o furo causado pela flexa.
Indico a Republica Checa em especial Praga para quem quer fazer uma ótima viagem.
Abraço.

19:02 | Unregistered CommenterJoao Bueno

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.