MENSAGEM ao LEITOR
CONHEÇA QUEM ESCREVE

BEM-vindo ao Fatos & Fotos de Viagens, um blog sem jabá e não vulgar

        EXISTE no viajar e no escrever relatos de viagens um terreno fértil para demonstrações de arrogância. É algo simplesmente disseminado. Tanto no mundo virtual quanto na literatura. Mas o que o maravihoso mundo da viagens precisa é de mais viajantes humildes, não de "especialistas" caga-regras que determinam de tudo: desde como arrumar sua mala ao único tipo que você deve comprar, do lugar que você tem que ir, caso contrário sua viagem será uma merda. Nunca tão maravilhosa como a dele. As classificações dos lugares também. Tem sobrado superficialidade a egocentrismo. Autores assim não percebem que tudo é muito subjetivo e pessoal, que a experiência e o prazer de alguém não será necessariamente igual ao de outro.  Sobretudo as necessidades.

      A blogosfera "profissional e "monetizada" vulgarizou-se e tornou-se banal. Carecemos de gente que escreva para motivar e inspirar, para alargar horizontes, de viajantes que "mostrem" os lugares em vez de "ensinarem" a viajar. Moderadamente, ponderadamente, sem afetação típica de deslumbrados que viajam pela primeira vez em classe executiva e precisam espalhar para o mundo em resenhas risíveis. Ao contrário, a blogosfera

       ESTE blog, ao contrário, não fez concessões à vulgarização dos blogs depois da "profissionalização" e da monetização de alguns. Ao contrário, este é um blog singelo, simples, pequeno, inexpressivo na blogosfera, não despesperado por audiência nem seu autor se dedica mais à sua divulgação nas redes sociais do que à escrita. Tento dar graça à leitura e consolidar algo que prezo muito: confiabilidade, credibilidade.

        COMECEI a viajar tarde, você sabe. Por falta de dinheiro. Até que um dia viajei pela primeira vez ao exterior. Eu tinha 35 anos. Fui assim apresentado ao então desconhecido mas fabuloso mundo das viagens. Jamais, todavia, pensaria visitar mais de 60 países, alguns muito improváveis à época. Irã, Uzbequistão, Myanmar, Etiópia, Quirguistão entre eles. Mas foi recentemente que compreendi que as viagens ficam pra sempre, não as coisas. E que é por esse mundo ser tão diverso, por cada país ser tão diferente, que me parece tão atraente e divertido.

       NÃO sou escritor profissional. Tampouco jornalista. Mas invejo esses profissionais por dominarem o idioma, a gramática e as palavras.  Ainda assim, faço meu melhor, meu caro, estimado, raro e precioso leitor. Então, peço-lhe que considere algo: que mesmo escrevendo com sensibilidade e responsabilidade, incorro em erros. Se quiser, aponte-os. Tanto gramaticais quanto de digitação. Como tenho revisor profissional, antes de publicar dou curso a incansáveis revisões. E também submeto-os ao crivo de minha esposa. Ainda assim, alguns nos escapam.

      SOU brasileiro, empresário e casado com a Emília do blog "A Turista Acidental" e desde que a conheci (e antes mesmo de nos casarmos), tornou-se a "mais-que-perfeita" companheira de vida, de idéias, de projetos e ideais, sobretudo encantadora, adorável e inspiradora companhia de viagens e de aventuras. Com ela compreendi o que significa "prazer de viajar". Foi (e continua sendo) minha melhor fonte de inspirações e de motivações. Tanto que qualifico minhas viagens como "antes e depois" da Emília e "antes e depois" da Índia. Foi com ela que percebi o que quis dizer Érico Veríssimo com "Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado certamente chegará mais longe." Somos pais de gêmeos - uma menina e um menino - nascidos em julho de 2015, e de um filho de 34 anos do meu primeiro casamento, em quem o gosto pelas viagens pareceincorporado. Não sou avô, mas as coisas estão bem encaminhadas neste sentido.

       HOJE com 64 anos (boa parte deles dedicados à família e ao trabalho), foi apenas aos 35 que pude começar a viajar internacionalmente. Desde então visitei 61 países, entre os quais alguns dos mais fascinantes e com os sítios mais admiráveis do planeta. Felizmente, para alguns deles ainda a salvo do turismo de massa, cujos excessos arruinam qualquer lugar. Em março de 2006, quando iniciei este blog, o fiz como meio de comunicação com a família e amigos. Anos mais tarde eu descobri o poder de contar histórias em textos e fotografias, e logo ele tomou outro rumo, provavelmente porque os leitores gostavam dos textos e das fotos, ou então porque na época havia pouquíssimos blogs.

       FIZ cerca de 90 viagens internacionais, voei por 40 cias. aéreas diferentes (algumas extintas) em 391 vôos para fora do Brasil e dentro de outros países e em todas as classes possíveis. Segundo Haroldo Castro - jornalista-fotógrafo-escritor que já esteve em 160 países -, o maior viajante que conheço, em seu teste "Viajologia" que se pode fazer em seu site, que considera não apenas a quantidade de países visitados, mas lugares, monumentos e patrimônios, além de transportes, experiências e situações difícieis porque passam os viajantes, alcancei "Mestrado em Viajologia". Mas isso não é nada diante de gente que lá já "graduou-se" em pós-doutorado.

Escrevo este blog sob uma perspectiva lúcida e sem concessões à monetização sem critérios

        Eliminei o contador de visitas deste blog quando marcava mais de 6 milhões. Audiência hoje em blog é decadente. Viajar, escrever e publicar algo que inspire e icentive o leitor é o que mais me motiva. NUNCA como blogueiro interventor nas viagens alheias, ou caga-regras dizendo como alguém deve viajar e que tipo de mala usar e essas chatices que definem as pessoas homogeneamente.Parece ser o que traz os leitores até aqui. Ou porque gostem de fotografia, para além da leitura odepórica, como eu. E por este blog não ter captulado à ambição e vaidade que levou tantos autores de blogs à monetização sem critérios, sobretudo enganando leitores, cada dia torna-se menorzinho e menos importante. Se continuarem assim, os blogs precisarão ser reinventados. Este aqui nasceu livre e assim será até morrer. Por enquanto estou sempre por aqui. Nem que seja em pensamento. Só não sei até quando.

         Agradeço a visita e os comentários e desejo boa viagem aos leitores.

Em tempo: este blog não integra nenhuma associação disfarçada de incentivos à monetização. Mas se um dia fundarem a ABBLI (Associação Brasileira de Blogs Livres e Independentes), por favor, me convidem!

#blogsemjaba

COMENTÁRIOS
RSS - Quer subscrever?
AddThis Feed Button

Share/Bookmark

VIAJE neste blog

Fotos de viagens
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« Porto de Galinhas: Ame-o ou Deixe-o! | Main | Praga: a Igreja da Natividade - Loreta »
Sábado
Jul082006

Veneza: a inverossímel

Veneza é  "a mais inverossímil das cidades" - segundo Thomas Mann.

a veneza 1.jpg

Sair de Veneza diretamente para Praga é um choque. E dos bons!

Vir de Praga para Veneza TAMBÉM será chocante. Aí certamente você terá mais chances de detestar Veneza.

Por isso eu recomendo que você vá primeiro a Veneza e deixe as outras cidades para depois.

Veneza é a típica cidade que as pessoas AMAM ou DETESTAM, não tem meio termo. Eu estou mais pro detesto.

a veneza 3.jpg

Quando estive em Praga pela primeira vez, vinha da Suíça alemã. O impacto não foi tão forte.

Desta vez estava indo a Praga (dez anos depois de tê-la visitado pela primeira vez) vindo de VENEZA!

É chocante.

a veneza b.jpg

Aliás, eu sempre digo que a gente deve deixar Praga ser a última cidade de um roteiro, porque do contrário as “outras” parecerão ainda mais “outras”. Especialmente se viermos da Itália, onde quase tudo é quebrado, sujo e largado.

a veneza c.jpg

Aliás, VEneza é especialmente "estragada".  Os pombos da Piazza de San Marco contribuem muito para a sujeirada e a poluição do lugar.  Aliás, aqueles "ratos alados' que a infestam e são alimentados pelas pessoas sem que elas percebam os riscos que correm,  é uma das coisas que  mais me impression, a facilidade com que as pessoas pegam, alisam e até beijam aqueles pombos que eles podem transmitir sérias doenças e emporcalham tudo. São os inimigos públicos número um das estátuas e monumentos.

a veneza 5.jpg Em Veneza tudo é muito mal conservado, como aliás ocorre em toda a Itália.

É lógico que eu adoro as diferenças, mas é lamentável ver o desleixo com que uma cidade como Veneza e uma praça com a de San Marco são tratadas.

 

a veneza d.jpgA Piazza di San Marco, então, é uma comédia. Não tem luz, os prédios ao redor estão velhos e mal cuidados, há marcas de mofo nas colunas e paredes, os toldos das cafeterias são velhos, quando não rasgados, tudo gasto, decadente, sujo, mal cuidado.

 

Essa é minha impressão de Veneza. E não mudou, ainda que tenha sido a quarta vez que visitei a cidade.

a veneza g.jpg

Veneza, chamada de La Serenissima, é uma cidade de paisagem darmaticamente diferente de todas as cidades do mundo.

a veneza f.jpg

É uma das cidades mais de maior desejo de consumo turístico e também é uma das que mais apaixona e decepciona na mesma proporção.

 

 

 

Não há apenas um adjetivo para descrever Veneza. Talvez o mais adequado seja, excêntrica.

É uma das poucas cidades do mundo que tem a mesma aparência há centenas de anos, a despeito do mundo moderno em que está inserida.

a veneza i.jpg

Veneza está sobre 118 ilhas e ilhotas conectadas por 100 canais e algumas cerca de 400 pontes. Apesar de toda a poluição provocada pelo homem, é surpreendentemente azul esverdeada e cristalina a água dos canais.

a veneza j.jpg

Por falar em ponte, não se pode deixar de visitar a Ponte do Rialto, a mais antiga de Veneza, construída originalmente em madeira, em 1588, ligando duas ilhas. Rialto foi o primeiro porto da cidade. Pode-se ir a pé da Praça São Marcos até a ponte, e no caminho, nas ruas estreitas e vielas, existem muitos antiquários, lojas que vendem máscaras venezianas e lembranças.

a veneza k.jpg

O GRANDE CANAL é a grande avenida de Veneza, o maior canal de circulação dos barcos, traghettos, gôndolas, lanchas e todos os veículos que circulam numa cidade, mas todos por via aquática.

a veneza l.jpg

Evidentemente que não há automóveis em Veneza e curioso é verificar a engenhosidade humana e sua capacidade de adaptação à terra onde vivem.

a veneza m.jpg

Tudo o que existe numa cidade em termos de veículos de quatro rodas, existe em Veneza em forma de embarcação: ônibus, taxi, ambulância, polícia, guindaste, coleta de lixo, transporte de alimentos e entulho de obras, transporte de mobiliário (mudanças), etc.

Por Veneza circul-ase de Vaporeto e Taxi (estes, caríssimos). O percurso de Veneza Mestre (Aeroporto) até a Ponte Rialto custa 90 Euros!

a veneza 2.jpg

Quando se chegando a Veneza por via aérea (ou seja, na Veneza Mestre, no continente) o aeroporto tem lugar para se pegar os aqua taxis e os outros transportes coletivos, como em qualquer cidade.

a veneza 3.jpg

Quando se chega de trem, isso ocorre dentro da Veneza dos Canais, isto é, o trem atravessa do continente para a Veneza dos Canais por uma ponte que termina na estação ferroviária Santa Lúcia.

a veneza 4.jpg

Já se desembarca no burburinho de gente e barcos do Grande Canal.

a veneza 6.jpg

Da estação você apanha um vaporeto (ou um taxi) que o leva ao ponto onde vc ficará, e há vários pontos em cada “bairro”de Veneza, até a Praça San Marco.

a veneza 8.jpg

Em toda o percurso você passará por construções de arquitetura tipicamente veneziana, palácios medievais, góticos, barrocos, palacetes, residências, hotéis e edifícios públicos.

a veneza 9.jpg

A PRAÇA de SÃO MARCOS, uma das mais famosas do mundo, é algo que pode ser decepcionante ou encantador, dependendo de seu grau de exigência e de quantas outras praças famosas conhecer no mundo.

a veneza 4a.jpgA praça é uma grande área circundada por uma construção de mármore com galerias em todo o seu redor, uma passarela onde há comércio especialmente voltado ao turista vidors de Murando, cafés, lojas de souvenirs...).

a veneza 11a.jpgAli ficam os famosos Florian e o Quadri, restaurantes-cafeterias com mesinhas na praça e orquestras que tocam música internacional e muita música brasileira, especialmente Garota de Ipanema e Aquarela do Brasil. Faz bem ao nosso ego.

a veneza 5a.jpg

A praça é precedida pela Piazzeta di San marco, onde atracam os Vaporeto, adornada por duas colunas com os leões alados símbolo de Veneza.

veneza 3a.jpg

A BASÍLIA DE SÃO MARCOS é muito bonita por fora, algo lúgubre por dentro e tipicamente italiana em sua arquitetura e ornamentação, com interior é bizantino, rico em mármores e mosaicos dourados.

 

A fachada tem uma grande cúpula circundada por quatro cúplulas menores e cinco portais que dominam a praça.

aa veneza 06.jpg

Encimando bem no centro esses portais, fica a “Quadriga Trionfale”, os 4 cavalos dourados de bronze, enormes, que na verdade são as réplicas dos originais que ficam no interior da igreja, guardados e expostos sob uma cúpula, protegidos do desgaste do tempo.

aa veneza 01.jpg

Na Basílica de São Marcos também fica o Museu São Marcos, onde estão os restos mortais do Apóstolo

aa veneza 02.jpg

Na arquitetura de Veneza encontram-se elementos góticos, bizantinos, românicos, flamengos e clássicos.

aa veneza 04.jpg

O PALÁCIO DUCAL, ou Palácio dos Doges, do século XII, é um dos mais francos exemplos do poder e da grandiosidade de Veneza daquela época, eseu interior, que pode e deve ser visitado, tem obras clássicas e valiosas de Hyeronimus Bosch, Bellini, Carpaccio, Veronese, Tiziano e Tintoretto, cujo destaque é a tela "Paraíso", uma das maiores telas do mundo, que mede 22 x 7 m, situada acima do trono do Doge.

aa veneza 03.jpg

Entre os muitos filmes feitos em Veneza (e “Anônimo Veneziano” é o meu predileto), aquele do Woody Allen, "Todos Dizem que te Amo", é um dos que melhor mostra a cidade e especialmente o interior do palácio Ducal com as pinturas de Tintoretto.

aa veneza 07.jpg

O palácio foi usado como sede do governo e da justiça e está ligado à prisão pela Ponte dos Suspiros, a famosíssima ponte coberta com pequenas janelas por onde os prisioneiros que saiam condenados pelo tribunal davam o último olhar para a cidade, e, contam, suspiravam lamentando-se. Essa ponte pode ser visitada através do interior do Palácio, mas é especialmente interessante observá-la e fotografá-la por fora, da ponte que liga a Piazzeta de San marco à Praça da Palha.

aa veneza 05.jpg

Em 697, já era um ducado governado por um doge. Ao longo da sua história, foram 120 doges, sendo o primeiro Paoluccio Anafesto (697-717), e o último, Ludovico Manin (1789-1797). O doge era sempre escolhido entre os homens mais ricos, para evitar que ele pudesse se corromper.

Constantinopla, que tinha sido conquistada pelo doge Eurico Dandolo, em 1204, foi tomada pelos turcos otomanos em 29 de maio de 1453. Posteriormente os portugueses e espanhóis descobriram novos caminhos marítimos e Veneza começou sua decadência.

PRAÇA DA PALHA: o local é uma tentação para o turista, pois é cheia de barracas que vendem lembranças e colares de coral,pedras e cristal à preços bem convenientes (cuidado, pois alguns são de plástico). Saindo da Praça da Palha há ruas com restaurantes com os menus turísticos variados, em geral entre 15 a 30 dólares. As especialidades de Veneza são massas com frutos do mar e o Bacallá Mantecata - bacalhau à manteiga.

Links interessantes para Veneza

http://europeforvisitors.com/venice/

http://www.doge.it/

PASSEIO NAS ILHAS MURANO e BURANO

aaa murano 1.jpg

MURANO: tem sido um centro de fabricação de cristal. Há fábricas e lojas de venda de objetos do famoso cristal de Murano em toda a parte; sua maior atração é o Museu do Cristal, com coleção única de cristais antigos e modernos.

aaa murano 2.jpg

BURANO: uma ilha de pescadores e rendeiras;as casas que cercam a rua (em geral um canal) são pintadas em um colorido forte. Diz a lenda que como as casas são iguais, a pintura forte permitia que os pescadores identificassem-nas à distância, ao chegar do mar (ou do bar). As rendas também são belíssimas e atraentes e é difícil resistir não comprá-las.

aaa murano 4.jpg
LIDO: uma das mais belas ilhas de Veneza. Durante muito tempo abrigou o Festival de Cinema. A ilha foi frequentada por George Sand, Musset, D'Annunzio, Goethe, Byron e imortalizada no romance de Thomas Mann, posteriormente no filme de Visconti, "Morte em Veneza". Abriga um cassino, um dos poucos na Itália onde o jogo é permitido.

TORCELLO: foi um centro político e religioso importante e a região possuia palácios, igrejas, mosteiros. Com o tempo eles foram completamente submersos e hoje é uma ilha charmosa, com uma paisagem tranquila, mas que tem ainda monumentos religiosos conservados: a Igreja de Sta.Maria, iniciada em 697 e a Igreja de Sta.Fosca, de 864, em forma de cruz grega,em estilo vêneto-bizantino.

 

História como a do sedutor Casanova, Giovani Jacopo Casanova (1725-1789), que aproveitava a época do Carnaval (outra grande atração que acontece em fevereiro) e mascarado, seduzia e raptava as mulheres dos burgueses para manter relações amorosas.

Para visitar Veneza é bom estar preparado para gastar dinheiro. A Itália é um dos países mais caros da Europa e Veneza é uma das cidades mais caras e exploradoras de turistas do mundo.

Um hotel de classe turística custa pelo menos US$ 200, um passeio de gôndola custa US$ 100 e os restaurantes cobram o coperto (“toalha”, no sentido de “couvert”), mais a taxa de 15% sobre a despesa e ainda a gratificação do garçom.

Quanto mais perto dos canais ou da Praça São Marcos, mais caro é o coperto.

Um restaurante simples, com cardápio turístico com primeiro e segundo pratos, sobremesa, água e meia garrafa de vinho, cobra cerca de 25 dólares por pessoa pela refeição, fora as taxas.

Se um turista desavisado sentar em um dos cafés da Praça São Marcos para ouvir música de uma das orquestras que tocam nos pequenos palcos defronte aos estabelecimentos, e pedir um café, ficará assustado quando a conta vier e verificar que pagou US$ 4 mais as taxas!, às vezes sendo incluído US$ 7 a título de couvert artístico e mais US$ 7 de “coberto”, além, é claro, da gorjeta do garçom (cameriere).

Gôndolas

As Gôndolas são uma instituição de Veneza, talvez o seu maior símbolo, cuja história vem do século 10, sempre como meio de transporte de passageiros. De acordo com uma lei de 1.562, sua cor negra passou a ser obrigatória, dizem que por sinal de luto em azão da peste que dizimou milhares de venezianos ou por Veneza ter sido conquistada por outra nação . Hoje as gôndolas servem exclusivamente como atração turística.

Há alguns diferentes passeios de gôndola, seja pelo canal grande, saindo do Rialto e passando-se pela casa de Marco Polo e de outras celebridades, até aIgreja de San Giorgio Maggiore, na saída do Grande Canal, seja pelos pequenos canais.

O que eu recomendo é negociar antecipadamente o valor do passeio, observar antes as diferentes gôndolas e eleger a sua preferida, definir bem o tempo do percurso e o que verá ANTES de sair navegando.

Um passeio dos mais comuns custa US$ 85 e dura 45 minutos.

Reader Comments (90)

Caro Sr. pelos comentários que li a respeito de Veneza, acho que vc cometeu burrice quatro vezes, claramente nota-se que lá não é seu estilo, seria muito mais Japão, Eua do que pasíses que guardam histórias milenares, a propósito seria incrível se uma cidade como Veneza que data-se ter começado antes de Cristo ter cara limpa, não ter mau cheiro e nem mofo. Estive tanto em Veneza, quanto Praga e com certeza são cidades que eu indico a todos conhecerem, faz parte do que somos hoje, e olha que não gosto de coisas velhas, mas aprecio a história que nos fez chegar até aqui.
Abraços, Mariana
20:13 | Unregistered CommenterMariana
sinceramente não entendo o porquê de você retornar tantas vezes a veneza e a Itália se parece que sua intenção é denegrir a imagem desse país belo e único no mundo. É incrível você dizer que a arquitetura italiana é relativamente pobre ( não me recordo suas palavras ao pé da letra ) quando sabemos que esse país guarda mais de 1/3 de toda a história da humanidade, graças a influência de diferentes povos ao longo dos séculos. É verdade que se comparada a outros países europeus os italianos pecam por um certo descaso com sua riqueza e lembram muito os brasileiros pela desorganização. mas não devewmos nos deixar enganar por idéias pré - concebidas; a Itália é a quarta maior potência industrial do mundo e tem uma das 20 melhores qualidades de vida do planeta ( a frente de países como Espanha e Alemanha).Sobre Veneza, a cidade é linda, rica, com satisfatório grau de conservação e sinceramente não consigo analisá-la através de comparaçãoe com outras cidades. Veneza é única.
abraço,
Fabrício, em nenhum momento meu objetivo é " denegrir " a Itália, tampouco seu povo. em nenhum momento vc. ou qualquer outra pessoa leu algo que não seja a expressão da verdade, ou seja, o que está lá para todo mundo ver. E mais, gosto não se discute. Se vc. acha a Itália o máximo, respeito sua opinião. Tampouco me referi aos aspectos sociais, econômicos da Itália, não sei porque está se referindo a isso. parece que não leu o texto completamente ou, ainda , que se o fez, não compreendeu. Aqui mesmo no blog há opiniões de pessoas que concordam e que discordam do que eu escrevi. Meu objetivo é informar a realidade, o que os olhos de TODAS as pessoas verão.
Arnaldo, concordo plenamente com você quando diz que Veneza é um tanto decepcionante. Voltei de lá mês passado e achei que, pela fama da cidade, ela era muito mais do que encontrei. Mas não me arrependo de ter ido, pois apesar de frustrante, ela é única, e é essa a beleza de lá.
17:14 | Unregistered CommenterLia
Lia, vc teve a mesma impressãoque eu tive quando fui a Veneza pela primeira vez,a cidade dos meus sonhos. E,igualmente, voltei pensando também que apesar de frustrante (como toda a Itália), valeu conhecê-la.
Olá, Arnaldo e todos os outros!
Estive recentemente, pela 2ª vez na Itália (Veneza, Pisa e Roma). Minha ida a Veneza tinha como propósito mostrá-la à minha neta de 9 anos, como curiosidade, "uma cidade no meio da água". Fiquei profundamente decepcionada com o abandono de tudo na Itália, coisa bem latina, como nós brasileiros, mas principalmente com a grosseria e falta de educação dos italianos. Os "nossos" italianos são bem diferentes, são gentis, calorosos, amáveis. Que pena.
Mas também fui a Praga e fiquei absolutamente maravilhada, bem como com outras cidades que revi, como Berlim, Paris e Londres.
Um abraço
11:07 | Unregistered CommenterClarissa
Por favor, preciso urgentemente de informação sobre a estação MESTRE de Veneza: você sabe me orientar se de lá tem saída a noite para Lousanne na Suissa?

de já agradeço e espero resposta.

Selena Santos
voce enganou-se aquando de fazer 4 viagens a veneza! se n e o seu estilo preferido o q vai la fazer? a mim pareceme k voce gosta mt de arte moderna e n de arte antiga! ker um conselho new york ou s.francisco ou outra qualqer cidade americana devemlhe interessar muito mais! deixe veneza para kem aprecia o seu esplendor!
7:58 | Unregistered Commenterlino
Caro Arnaldo,

Primeiramente quero agradecer a sinceridade com que você transmitiu o seu parecer sobre Veneza, mudando totalmente as minhas expectativas bem como as da minha esposa.
Devo ir a passeio em julho, após visitar Paris por seis dias, Roma por três dias e finalmente Veneza por três dias, mas, diante dos vossos comentários sinceros, estou muito reticente quanto aos dias em que lá permanecerei.
Nesta época do ano, verão, dizem que normalmente o mau cheiro em conseqüência da poluição nos canais é muito desagradável, isto é realidade?.
Quero visitar as fábricas de cristais em Murano, em 1980 meus pais lá estiveram e trouxeram algumas lembranças, atualmente vale à pena ir até La?
Receba um forte abraço, os meus parabéns pelo trabalho e desprendimento pela tarefa executada, que prepara as pessoas para a realidade a ser vista, orientando-as no sentido do entusiasmo comedido e não exagerado.

Atenciosamente,
robesa@ig.com.br
17:19 | Unregistered CommenterRoberto
Roberto, eu tenho a agardecer, primeiramente, seus parabéns e suas mensagens. Depois, lhe dizer que NÃO deixe de ir a Veneza e fique os três dias, para conhecer bema cidade e ir a Murano (sim, vale a pena visitar a ilha dos vidros e uma de suas fábricas de vidros soprados). Não deixe de ir ao mercado (atrás da ponte de Rialto, pela manhã). A sugestão é de que não vá esperando muito, para que sua surpresa seja positiva. BOA viagem e na volta retorne contando tudo!
Ola Arnaldo,
Parabéns pelo Blogg, pelas fotos e excelentes dicas!

Vamos para Milao/Firenze/Veneza/Viena/Praga/Berlin em Outubro e gostaria de saber se vc tem dicas de Hotel nestas cidades. Estamos procurando opções na faxia de até 100 Euros. O IBIS é uma opção, mas em cidades como Veneza, não tem.

Agradeço desde já!
Priscila.
13:48 | Unregistered CommenterPriscila
Lamento, Priscila, mas não tenho as indicações que pediu.
Arnaldo, eu acho Veneza fantástica, todos deveriam ir pelo menos uma vez para conhecer. É claro que o lugar que fica dentro da água, tem cheiro e mofo e ainda mais com a idade de Veneza. Tenho certeza que você gostou muito, pois as fotos e todo material que você coletou só pode ser de alguém que gostou muito.

Parabéns.
Jorge, é claro que Veneza é uma cidade importante do ponto de vista cultural e turístico e SEMPRE recomendo que as pessoas a conheçam ao menos uma vez na vida. Só NÃO recomendam que saiam de Veneza pra qualquer outra cidade importante européia, especialmente na Áustria, Suíça, Alemanha, República Tcheca e Espanha para não se decepcionarem profundamente.

Obrigado pela visita e pelos comentários!
Arnaldo ,

Parabens pela forma que vc expressa a sua opnião , estou indo para Veneza na próxima segunda-feira(06-08)e logo depois vou para Munique e Praga .

Acho que o mais importante é ir com a mente aberta e descobrir que cada lugar tem sua magia .

Um abraço
0:00 | Unregistered CommenterTiago
EXATAMENTE, Tiago! BINGO! Vá com mente aberta e sem preconceitos, mas vá sabendo - de cada lugar que for visitar - o que encontrará, até para não ter expectativas superiores nem decepções.

Uma ótima viagem e, claro, mande notícias quando voltar!
senhores,

veneza, venezia ou venice...como queiram... e linda, e charmosa, e unica, e boemia, e aristocratica, passei 4 dias em julho, em pleno verao europeu, em absoluto senti mau cheiro, ou algo parecido com mofo. o spritz e fantastico, e os doces uma delicia. que tal um almoco no florida, a margem do grande canal?? aproveitem para dizer muito: eu te amo para a pessoa amada..vale a pena...inesquecivel..outra dica: ir a Burano (depois de murano) pode ser uma grande e agradavel surpresa..CIAO...(de fato os italianos sao grosseiros... mas,..)
15:44 | Unregistered Commenterfabiana
HA MUITOS ANOS, TIVE O PRIVILÉRIO DE TER UM MAPA DE VENEZA.
TRABALHEI COM UM ITALIANO QUE NASCEU LÁ. CHAMA-SE: GUALTIERO CADEL, FICAVA ADMIRADO DE VER UMA CIDADE DENTRO D`ÁGUA. DEPOIS NA TELEVISÃO, FUI CONHECENDO MELHOR. DIZ UM CONTO QUE:
AS AUTORIZADES DE VENEZA FIZERAM UM BROXE PARA PREMIER A MULHER MAIS LINDA DE VENEZA! O BROXE ERA UMA "JANELA"DE OURO, LINDA, LINDA. MAS...CHEGARAM A CONCLUSÃO QUE: "TINHA MUITA VENEZIANA PARA UMA JANELA SÓ!" ESSA É DEMAIS, NÉ?
GRATOS
José Lopes
Isto é para a primeira comentadora, a Mariana. Antes de chamar burros aos outros tenha a certeza de que não vai cometer uma burrice maior. O Japão é um país milenar, mais antigo do que Itália! Foi uma grande burrice mesmo!
Quanto aos restantes. Não sejam cegos em relação aos vossos amores. Assim não lhes permitem que evoluam.
6:20 | Unregistered CommenterEva
Olá adorei o seu trabalho.Belas fotos!
Morro de vontade de ir para Veneza e vou realizar esse sonho mesmo que as suas palavras tenham sido um pouco desanimadora.
Mas eu acho que entendi a sua revolta:
Como pode uma cidade como essa sonho de consumo de muitos estar nessa situção...

Bem mas gostaria de receber em meu e-mail todas as dicas possíveis para visitar esse lugar incrível.

Para ir lá 4 vezes é porque vale apena!!!
rsrsrs

carlyta10@yahoo.com.br

Abraços fica com Deus.
12:13 | Unregistered CommenterCARLA
Quando fui a Veneza p'la 1ª vez, axei bue'd bakanu.
Andar de gÔndola é mta fixe
E as italianas; hu'lala lindas.
valeu a pena ir vo ter d' voltare la otra vez

Quando fui a Veneza p'la 1ª vez, axei bue'd bakanu.
Andar de gÔndola é mta fixe
E as venezianas ; hu'lala lindas.
valeu a pena ir vo ter d' voltare la otra vez........
OLÁ!
GOSTEI MUITO DAS FOTOS!
MORRO DE VONTADE DE IR A VENEZA!
7:07 | Unregistered Commenteramanda
Acho curtida a impressão apresentada. Já fui a Veneza no Verão e pwnso que a imensidão de pessoas e os pombos podem causar essa impressão.
É, no entanto, inegável a história e património da cidade. Vou agora, no Inverno, para ter uma outra visão da cidade.
As fotos estão óptimas
18:40 | Unregistered CommenterEstêvão
OBRIGADO, Estevão, pela visita. Boa viagem e volte pra nos contar as novidades de Veneza!
olá....eu sou a gia....e estou desejosa de ir a veneza....estou a marcar as passagens para dia 17 de dezembro....mas tou com um problema....vou apanhar um voo de lisboa milão...
mas não sei como nem em quê devo de seguir para veneza...
e aonde posso fazer a minha máscara venezina...
please i need help...lolol
brigada...

ah e as fotos tão lindas...
não só as q comentam veneza mas como tdo o resto....
14:58 | Unregistered Commentergia
GIA, você pode ir de Milão a Veneza de trem. Da Estação MILANO CENTRALE à Estação Sta LUCIA m(Veneza Mestre), são entre 2:30 H a 3:45 H, dependendo do trem que pegar (Eorocity ou Cisalpino).

Consulte o site da TRENITALIA para ver preços e frequências:

http://www.trenitalia.com/en/index.html

A respeito das máscaras de Veneza, usadas no Carnaval, você encontrará uma infinidade delas em muitas lojas pelas ruas de Veneza e a única dificuldade de comprar uma será escolher a que mais lhe agrada entre centenas.
Parabéns pelas fotos ,retratam Veneza de um ponto de vista mais crítico quanto da conservação de um patrimônio histórico desta grandeza.Nada de romantismo excessivo!
Eu planejo fazer uma viagem de 15 dias por algumas cidades da Italia em Março ou Abril do proximo ano e uma das cidades que pretendo conhecer é Veneza,apesar de amigos que já estiveram por lá me dizerem sempre que ela (Veneza),é um pouco decepcionante e muito cara.Apesar das críticas ainda penso que vale muito a pena conhecer Veneza,assim como Nápoles que é 10 vezes pior,mas com um patrimônio histórico fantástico,assim como toda a Itália,na minha humilde opinião.
Abraços e parabens mais uma vez por suas fotos...
2:19 | Unregistered CommenterLídia
LÍDIA, sua opinião está correta sim. a Itália tem um patrimônio invejável e admirável.

VENEZA é obrigatória. Não deixe de ir. Visite e tire as SUAS próprias conclusões. Olhe com olhares bons e veja, ao final, o que ficou. Se gostar ou não, isso é o que importa, a SUA opinião.


BOA VIAGEM!
Gostaria de fazer uma pergunta, como foi feita a cidade
de veneza, ex: foi construída antes da água ou dentro da água, gostaria de saber

Manaus-Am.
20:14 | Unregistered CommenterCharles
Arnaldo, estarei em Veneza em Jan. Farei um circuito europa. Ficarei um dia e uma noite em Veneza. Gostaria de poder passear, conhecer pessoas e conversar com os próprios moradores, sem ficar presa ao meu guia. O que vc me sugeri de opções à noite. Onde ir? Os preços? Por ex: Acho que não vou querer fazer o passeio de gondolas. Primeiro pq acho caro e segundo não terei chance de convesar com as pessoas que moram lá. Então o que fazer qd o meu grupo for realizar o passeio de gondola? Pq certamente o farão.rsrsr. Por favor, se puder me dar dicas agradecerei. Desde já muito grata Dinara
DINARA, a noite em Veneza NÃO existe! Veneza é uma cidade turísticas, as pessoas NAO moram em Veneza dos Canasis, ma na Veneza Mestre. Aproveite para caminhar o máximo que conseguir durante o dia. Recomendo começar cedo e terminar de noite. depois do janta tudo vai fechando e a cidade ficando vazia e escura. Sim, o passeio de gôndola é caro, mas é uma das coisas mais inesquecíveis e delicisas de Veneza. Converse com as pessoas não nas ruas, mas num restaurante, num bar, numa loja. Aí sim vc conseguirá papear com gente local! BOA VIAGEM, e na volta cont como foi lá no FORUM de discussões do leitor.
Menino,
Então tive muita sorte mesmo! os italianos foram uns amores comigo, me trataram muito bem. Eu não dei um passo errado, sempre tinha um guia solicito :P Foi ótimo! adorei tudo que vi, mas não sou versada assim em viagens como nosso colega, por isso minha opinião vale pouco. Mas o importante é que foi bom. Já me senti feliz em lugares bem simples e infeliz em lugares maravilhosos, é um estado de espírito.
Para se visitar um país, acho que primeiro temos que deixar o nosso país de origem um pouco esquecido, para evitar comparações.;) beijossss
Belíssimas fotografias !!!
Estamos indo para Veneza em fevereiro. Tal como vc disse, conheço amigos que a AMARAM e os que detestaram... estou muito curiosa para conhecer e ver como voltarei. Certamente, é única! Suas fotos estão maravilhosas. Parabéns. Quanto à opinião, só poderei concordar ou discordar na volta! Um abraço
10:27 | Unregistered Commenterdaniele
BOA VIAGEM, daniele, e espero que goste. Aliás, depende de suas outras referências de viagens. Quanto mais elementos para comparar, melhores as suas visões e mais e melhores condições paa criticar.
Estive recentemente em Veneza e achei um cidade normal...
com a diferença de tudo se passar com a água por perto...mas não quer dizer que por isso tenha de ser uma cidade fantástica... não é ! Muito suja, os venezianos não sabem receber os turistas e quase todos os monumentos de interesse estão em conservação, portanto é obras por todo o lado.
Que tal visitar Aveiro em Portugal?

As fotos estão fantásticas
Cumprimentos do Porto ( Portugal )
15:00 | Unregistered Commenterelisabeth
ELISABETH, MUITO obrigado pela visita, uma honra ter (MAIS) uma leitora do outro lado do Atlântico e de lingua portuguesa! Apareça, sempre!
Caro Arnaldo, estou emocionado em ler tantas opiniões diferentes e calorasamente defendidas. Estou acostumado à criticas pois nasci na Cidade Maravilhosa, no seu melhor bairro - LAPA. Todos tem muitas opiniões diferentes do Rio de Janeiro, que continua lindo! Viajarei direto da Lapa para Veneza. Quero conhece-la, e com certeza amá-la. Carioca que é Carioca está acostumado com beleza! Vou cheio de gás,,, Estar perto de uma cidade milenar.... Pelas suas fotos é belíssima...
Grato pelo espaço,
Silvio
p.s. Parabéns a todos que procuram este espaço para defender suas impressões. Voces nao imaginam como ajudam e atiçam a curiosidade de quem quer conhecer lugares novos.....
CARO SILVIO, eu é que agardeço sua visita e seus comentários. O blog tem opinião, mas respeita a todas as outras. Espero que sua viagem seja proveitosa e suas expectativas sejam excedidas em muito, para melhor.
Agradeço as informações aqui disponiveis sobre Veneza. Irei ter o prazer de visitar Veneza, com o meu namorado, no último fim-de-semana deste mês (2 noites). Já reservei voo mas não hotel. Qual é a zona que me aconselham a ficar? São só duas noites e queriamos conhecer o máximo possível. Agradeço resposta breve. Obrigado
Fique em VENEZA dos CANAIS, nunca em Veneza Mestre (onde tem o aeroporto). escolha hotel que esteja dentro de sus possibildiades e depois diss volte aqi par me dizer e darei minhas dicas sobre o(s) hotel(éis) escolhido(s).

Não me parece má opção o "Palazzo Cendon Piano Antico", não queremos pagar além de 200 euros pelas duas noites. Ou será que este hotel fica mal localizado em relação ao centro? Obrigado.
Leia as críticas no Tripadvisor acerca deste hotel (tipo B&B)

http://www.tripadvisor.com/Hotel_Review-g187870-d629161-Reviews-Palazzo_Cendon-Venice_Veneto.html#REVIEWS

Todvia ele custa o dobro do que vc quer pagar.

Caro Arnaldo! Todos estão errados.... Veneza é especial, linda e sonhadora. Nos faz sentir numa nuvem de prazer. É intrigante, curiosa e única.
Conheci-a no final de fevereiro. Peguei frio e nevoeiro tbm... o que deu a ela um outro aspecto, tremendamente singular. Existem ruas que voce não consegue esticar os 2 braços de tão estreitas que são. è difícil imaginar que alguém se decepcione, porém gosto não se discute! Para quem gosta de muitas emoções e não sente vergonha de chorar, visite tambem Murano e Burano. Viaje bastante de vaporeto. Compre o biglito de 3 dias e água, muita água que terra afunda!
abraços a todos! Grato pelo espaço
Silvio Di Santo (da Lapa - RJ para veneza)

Arnaldo,
Em março/2009 parto em um cruzeiro com destino final em Veneza.
De lá pretendo tomar um trem para Paris, onde talvez fique mais uma semana.
Você sabe como é navio, né? Muita roupa para as noites, roupa de banho e descontraídas para as tardes, chop na piscina, passeios em terra (em lugares diferentes, como Marrocos, Cabo Verde, Dubrovic etc). Enfim: bagagens pesadas.
Preciso de sua opinião sobre bagagem/escadarias nas estações de trem/hoteis sem elevador/transporte em Veneza. Qual a melhor decisão a tomar?
Estou pensando muito em 2 malas: 1 grande própria para o navio e que deverá ser despachada (ou guardada na estação quando chegar no porto) e outra pequena só com o necessário para Veneza e Paris.
Não consegui informações em nenhum outro site. Quando conheci o seu tive certeza: "meus problemas acabaram". Confio na sua experiência e espero ansiosamente sua sugestão. Como eu faria para despachar as malas para o Brasil? Será que fica muito caro?
MIl abraços e muitíssimo parabéns pelas matérias e fotos (FANTÁSTICAS!!!)

MARIA CELESTE, esse parace ser um belo cruzeiro (parece ser um dois cruzeiros da COSTA pelo Mediterrâneo). Sobre as malas, siceramente não consegui compreender exatamene o que você quer saber. Eu não despachei mala em nenhuma viagem, assim como vc quer fazer e sugiro que entre em contato ANTES de viajar com a sua cia. Aérea e peça a ela preços e condições, como fazer para enviar sua mala. Eu sei que mala acompanhada custa de 80 a 100 dólares por mala (de 20 ou 30 quilos, dependendo do destino). Também não sei porque despachar a mala se vc com uma de rodinhas pode se locolover tranquilamente, mesmo em metrôs.

Arnaldo,
O navio é o Música da MSC.
Simplificando: São 18 dias e navio mais uns 10 na Europa. Terei que levar umas duas malas. Já fiz uma viagem parecida: desembarquei do navio em Gênova, fui de trem até Milão e de lá para Lisboa de avião.
Foi um pesadelo... carregar malas escadas abaixo e acima na estação de trem de Gênova. As rodinhas quebraram... minhas mãos chegaram a inchar e sangrar...
Desta vez eu queria me livrar de uma mala, para poder viajar de trem da Itália à França com mais conforto.
Já me falaram que parece que posso deixar a mala na própria Estação Santa Lúcia, em Veneza, assim evito idas e vindas, só restando a dificuldade de tomar o trem para Paris e carregá-las ainda em Paris até o hotel e depois até o aeroporto para a volta.
Se for possível mandá-las de volta ao Brasil e ficar com uma só, seria bem mais confortável.

Obrigada pela resposta tão rapidamente.

23:25 | Unregistered CommenterCeleste

Caro Arnaldo,
estive lá... em Veneza! Que emoção! Que sujeira é essa que não vi? Que cheiro é esse que não senti? Senti muitas alegrias e altamente gratificado em estar naquele lugar diferente e único. Vc pede que visitem Murano e eu reforço que visitem anche Burano.
Todas são especiais. Veneza, Firenze, Pisa, Roma, Barcelona e Galicia. Vejam todas essas cidades! Todas sao maravilhosas....
Modéstia à parte, sou Carioca nascido na Cidade Maravilhosa. Estou acostumado com beleza!
Mais uma vez Parabéns Arnaldo pelo Espaço. Visitem a Lapa do RJ!

A sujeira, SILVIO DI SANTO, pode ser vista nas fotos. Mas não é sujeira nas ruas e calçadas, e sim das fachadas das edificações, mal tratadas, quebradas, sujas de poeira e fungos, descascadas e com rebocos despencando, que podem ser vistas nas fotos desta matéria.

Todavia, o que vale é que você gostou e isso passa a ser mais importante do que qualquer outra opinião pessoal.

A LAPA é um dos lugares que eu tinha vontade de mostrar aqui no blog, tanto de dia quanto de noite, sem dúvidas. Está nos planos, Silvio.

MUITO grato pela visita e ainda mais pelos comentários. Se puder, volte SEMPRE que a "casa" está aberta.

Abraços.

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.