CONHEÇA O AUTOR

 

         Depois de estabelecer-se na Internet - em 1999 - escrevendo relatos de viagens em sites relacionados com o tema, e em 2006 ter fundado o blog Fatos & Fotos de Viagens - um dos pioneiros da blogosfera de viagens - Arnaldo foi convidado a colaborar com matérias na Revista Viagem & Turismo, da Editora Abril e, agora, prepara o lançamento de seu primeiro livro - "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia" - ingressando, assim, na literatura de viagens com um livro encantador, segundo o autor, o primeiro de uma série de pelo menos quatro que já planeja produzir, dois deles em plena fase.

Assim o autor define esta sua nova fase:

             "Livro é coisa séria. O que o leitor encontrará em "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia" é diferente do que lê aqui no blog. Da narrativa ao estilo. Em vez de apenas uma "conversa" com o leitor, baseada na informalidade, o livro mistura traços desta coloquialidade e informalidade com os de uma escrita literária. Sobretudo com profundo respeito à arte de escrever. Passo a ser um escritor, o que nada mais é do que uma outra maneira de me expressar sobre viagens e de transmitir ao leitor minhas impressões. Segundo o poeta e ensaísta norte-americano Henry David Thoreau, "Muitos homens iniciaram uma nova era na sua vida a partir da leitura de um livro". A partir deste meu primeiro livro escrito, considero ter ingressado numa nova, deliciosa fase em minha vida. 

              Minha ascensão na escrita de viagens com este trabalho literário não é exatamente uma novidade. Ainda que recentemente eu tenha notado a mente lampejar com a ideia: tornar-me um escritor de viagens. Todavia, ela sempre me rondou. Mesmo que a alguma distância. Não foram poucos os amigos, parentes e leitores do blog que há mais de dez anos recorrem à pergunta: “Por que não escrever um livro?”

Gente que escreve e encanta, fala sobre o autor:

Haroldo Castro:

            "Arnaldo é um dos viajantes equilibrados e sensatos que se lança escritor, o que, num Brasil de pouca leitura e onde a Literatura de Viagem não chega a ocupar meia estante nas livrarias, conta histórias que servirão de grande subsídio para qualquer leitor, além de ajudar a romper os preconceitos de que a África só oferece guerras, doenças e fome. Infelizmente, a riqueza cultural e natural do continente é quase sempre tão abafadas por notícias negativas que considero este livro um raio de luz na região."

Jornalista, fotógrafo, autor de “Luzes da África”, indicado para o Prêmio Jabuti na categoria Reportagens

Ronize Aline:

             "Minha opinião sobre o autor está refletida na resenha que escrevi de seu livro "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia": ele escreve com o coração e demonstra respeito por tudo o que viu. Este livro, mais do que o relato de uma viagem à Etiópia, é uma viagem rumo a uma experiência de imersão e contemplação do outro. É como olhar para o diferente sem estranhamento ou indiferença."

Escritora, tradutora, jornalista, professora universitária, crítica literária do jornal O Globo, do Rio de Janeiro

Rachel Verano

             "Neste livro, Arnaldo tem o poder de nos transportar a um dos cantos mais fascinantes e ainda intocados do planeta. Mas de maneira ao mesmo tempo delicada e profunda, pessoal, criando intimidade com os personagens, deixando o leitor perceber cheiros, sabores e sentir as emoções de suas descobertas. Do peso do ar à alegria de dobrar a esquina, o autor consegue transmitir todo seu fascínio de estar diante de algo realmente novo."

 Jornalista das revistas Viagem & Turismo, Veja, VejaSP, Glamour, TAM e Vamos/LATAM

Davi Carneiro

             "Há uma frase atribuída ao grande viajante do século 14, talvez o maior escritor-viajante de todos os tempos, Ibn Battuta: “Viajar, primeiro te deixa sem palavras, depois te transforma num contador de histórias.” Suspeito, caro leito, ser este o caso do Arnaldo, um autêntico viajante que vem se mostrando, cada vez mais, um talentoso contador de histórias. Conheço-o e o sigo desde 1996, através do seu blog, aquele que, na minha opinião, é um dos melhores de viagens da internet brasileira, tanto pela excelência fotográfica quanto pela qualidade dos textos. Com um currículo andarilho de respeito (mais de 60 países, entre eles Quirguistão, Miamar, Irã e Uzbesquistão), Arnaldo tem o mérito de ir na contramão da blogosfera profissional e monetizada: de maneira simples, autêntica e independente, preza, principalmente, a credibilidade e a confiança de seu leitor." 

 Escritor, jornalista e colaborador de diversas revistas nacionais e estrangeiras

 


COMENTÁRIOS
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« Malta: Passeando por Valleta, a Capital | Main | Porto de Galinhas: Praias do Norte e do Sul »
Sexta-feira
Ago182006

Malta: A “desconhecida” do Mediterrâneo.

Repubblika ta' Malta (República de Malta)

Que língua é essa?    Que povo é esse?   Que país é esse?

À medida que o avião se aproxima do Aeroporto internacional de Malta já se percebem os tons de ocre e dourados que contrastam com os azuis profundos do céu e do Mar Mediterrâneo.  Serão as cores e tons que nos acompanharão por toda a ilha. 

Malta é ocre e azul.

001 malta mdina - manoel island.jpg

A natureza desta bela ilha é extremamente agreste e pedregosa, monocromática. Nada que nos remeta a tropicalismos, mas tudo guarda algo especial que a distingue: o contraste do azul topázio pleno com o mel do solo rochoso e das construções, e a luz especial que incide sobre essas cores.

002  malta mdina barco.jpg

Para mim, Malta é um destino interessante, mas apenas para quem já viajou bastante e conhece outros países da Europa. Resumindo, eu não selecionaria Malta como um dos primeiros países que se devem conhecer.

003 malta valleta - hasting gardens - msida marina ao fundo.jpg

Malta , ou Ilhas Matesas, é um país pequeno, um arquipélago no Mar Mediterrâneo composto pelas ilhas Malta (a maior, principal), Gozo e Comino, além da não habitadas Cominotto e Filfla. Fica a cerca de 100 Km da Sicília (a parte da Itália que parece ser a “bola” na ponta da “bota” do mapa do país) e a cerca de 290 Km da África (Tunísia e Líbia), o arquipélago está bem no centro do Mediterrâneo e desempenhou por séculos papel fundamental na luta pelo domínio deste mar que separa as nações, povos e culturas européia, norte-africana e do Oriente Médio. Tem apenas cerca de 400.000 habitantes. Os malteses predominam. São descendentes de cartagineses e fenícios, com fortes elementos étnicos italianos e de outros povos mediterrâneos. É um povo bonito, de pele branca e cabeloz escuros e olhos claros, em geral.  Maltês pode tanto significar o natural da ilha de Malta ou o cavaleiro da Ordem de Malta. 

004 malta valleta - janelas.jpg

O que faz dessas ilhas serem únicas é o tanto de passado e história que pode ser visto hoje, desde os mistérios pré-históricos até seguir os passos do caminho de São Paulo, conhecer onde os cavaleiros de São João defenderam o cristianismo....

005 malta valleta - guarita fort st elmo1.jpg

Ponto de comércio e refúgio por mais de 7000 anos, que vai dos construtores de templos, dos fenícios desbravadores de mares, do viajante Apóstolo Paulo, até os Cavaleiros de São João, Napoleão e a realeza Britânica, todos deixaram suas marcas em Malta.

006 malta valleta - rua escada - fachadas.jpg

No arquipélago encontram-se locais de Patrimônio da Humanidade ("World Heritage"), desde os templos pré-históricos enigmáticos à capital barroca de Malta, Valletta, fundada pelos Cavaleiros de São João, da capital medieval murada, Mdina, onde descendentes de famílias da Normandia vivem até hoje, dos palácios e catedrais de Valletta e Mdina aos tesouros mais finos da Europa.

007 malta valleta - triq ir reppubblika.jpg

Malta é um museu a céu aberto como outra qualquer cidade extremamente histórica e antiga, mas aqui percebe-se a história mais viva e ativa.

008 malta valleta - upper barracca gardens 2.jpg

Malta, por conta de seu  espetacular mar azul, sua aridez pedregosa e suas construções,  é lugar onde foram rodados grandes sucessos do cinema. 

009 malta valleta - upper barracca gardens.jpg

 

 

 

 

 

 

 

Mapa dos Filmes rodados em Malta:

http://maltamoviemap.visitmalta.com/index.pl/home

010 malta valleta - grand harbour.jpg

Malta é a maior e a mais populosa das ilhas e onde fica a Capital do País, Valleta. Tem 246 Km quadrados. A pequena Gozo tem 67 Km quadrados e Comino apenas 2, sendo esta última muito agreste, de penhacos e quase não habitada.

 

011 malta valleta - grand harbour - fachada.jpg

Em 1 de Maio de 2004 Malta juntou-se à União Européia, mas a moeda ainda não é o Euro, (continua sendo a Lira Maltesa (Lm). Considerando os padrões europeus, Malta pode ser considerado um país com uma boa relação custo x benefício, ou o que se pode chamar de “barato” (ainda que na Europa nenhum país seja efetivamente barato) e que a moeda deles seja valorizada:

1 US$ = 0.354 Lira Maltesa
1 Lira Maltesa = 3.054 US$

Moedas e Notas:

http://www.centralbankmalta.com/site/currency2e.html

Cotação da Lira maltesa:

http://www.timesofmalta.com/core/rates.php?date=20060706

013 malta st julians.jpg

Chegando ao Aeroporto Internacional de Malta, não se esqueça de trocar algum dinheiro antes de chegar à cidade. Ainda na sala de desembarque e antes de pegar as malas existe uma máquina automática de câmbio, do HSBC, para notas de dolar e euro. Junto às esteiras de bagagem existe uma casa de câmbio do HSBC.

012 malta valleta - fachadas.jpg

À Sicília pode ir-se de ferry-boat . Aliás, este é um passeio bem comum, daqui pra lá, de lá pra cá. Uma viagem curta que muitos fazem durante a noite. Todavia a Sicília, para mim, é “outro” destino. Assim, limitei-me a ir a Gozo, a segunda ilha do arquipélago. Comino, a ilha do meio e a menor das ilhas habitadas por meia dúzia de famílias, não tem carros e possui um único hotel. As suas águas azuis (azul turquesa absoluto!) são o seu destaque turístico, que fazem dela uma das mecas do mergulho – em especial na chamada Lagoa Azul –, esporto que é praticado extensamente em todo o arquipélago. O nome da ilha vem da planta cominho.

014 malta valleta - fachada.jpg

É um país com história de ocupações e domínios, desde fenícios, cartagineses, romanos, árabes até franceses e ingleses, e com uma das civilizações mais antigas, cuja história começou há 6.000 anos A.C.

 

 

A história de Malta pode ser resumida em três períodos: ocupação árabe (de 870 a 1090); chegada da Ordem dos Cavaleiros de São João (mais tarde de Malta) em 1530, que permaneceram no arquipélago até 1798; período britânico, com início em 1801 e que só terminou em 1964, ano em que Malta conquistou sua independência, em 21 de Setembro.

015 malta valleta - palcio do governo.jpg

Os Romanos haviam estado nas ilhas em 218 a.C., tendo sido em 395 incorporada ao Império Romano Oriental (talvez por isso que parte do filme “O Gladiador” tenha sido filmada em Malta, onde, aliás, a indústria cinematográfica já rodou vários outros filmes importantes).

 

016 malta valleta - rua ladeira.jpgOs últimos colonizadores foram os ingleses que lá deixaram as mais recentes marcas, como o segundo idioma (o inglês é oficial, juntamente com o maltês) e a mão de direção inglesa. Mas por todo o país notam-se evidentes vestígios das diferentes ocupações, como a dos fenícios, em Marsaxlokk, e a dos romanos, em Rabat, do ponto de vista da história antiga.

A Capital é Valleta, principal porto do país e um dos maiores do Mediterrâneo, cidade extremamente fortificada pelos Cavaleiros de Malta, devido às inúmeras tentativas de invasões turcas (otomanos) nos anos 1560, decorrentes da excelente localização geográfica de Malta, ao sul da Europa e ao norte da África.

Tour virtual (fotos 360 graus)

http://www.vrmalta.com/malta-tour/index.html

Napoleão Bonaparte também andou por Malta , em 1798, mas permaneceu pouco tempo, pois os cavaleiros logo expulsaram os franceses de Valleta. Até que Napoleão fez alguma coisa: acabou com a Inquisição em Malta.  A partir daí os malteses aproximaram-se da maior potência da época, a Inglaterra, e, desde então, passou a ser protegida pelos ingleses e tornou-se parte do império britânico. Em 1964 o país tornou-se independente.

016 malta valletaupper barracca gardens.jpg

O clima, o sol e as belezas naturais, além daquelas construídas pelo homem, fazem do país um dos grandes em termos de crescimento de destino turístico, por conta também de um povo extremamente hospitaleiro e da diversificada característica da cultura.

O que é legal nesta época do ano, pleno Verão, (Agosto de 2006) é o fato de que o sol nasce às 6:17 da manhã e se põe depois da 19:56 da noite. Não é apenas útil pra quem está em viagem (os dias paracem render mais) e para combater o jet lag, é interessante apra quem curte fotografia. No verão as temperaturas médias ficam na faixa dos 34 graus (a máxima) e 22 graus (a mínima). E é quando chove menos na ilha.

Pra se ter uma idéia, em Agosto chove o equivalente a 7,6 mm e em Dezembro 112 mm). O seja, verões bem quentes e secos, com baixos índices de humidade relativa do ar (55%) e altos de radiação de UV (raios ultra violeta), o que recomenda o uso de protetor solar e boné, além de roupas bem leves, de verão mesmo.

017 malta mdina ferry.jpg

Durante os dias em que permanecemos em Malta peguei o típico Verão Mediterrâneo, isto é, com temperaturas máximas em torno dos 31 e mínimas por volta do 23 graus C, Sol pleno, sem nuvens, sem ventos, ar seco, raras possibilidades de precipitação (em torno dos 10%) e índice de radiação UV em 10, muito alto.

Resumindo o clima-tempo : o mês mais quente: Julho; o mês mais frio: Fevereiro; o mês mais chuvoso: Dezembro.

Para consultar o clima em Malta (em português e em inglês)

http://www.wunderground.com/global/ML.html

http://www.weatherbase.com/weather/weather.php3?s=079561&refer=&units=metric

http://www.weather.com/outlook/travel/businesstraveler/extended/MTXX0001

Malta pode ser visitada durante todo o ano, mas no verão há a plenitude do turismo, com as festas religiosas que são realizadas em diferentes cidades.

Sem dúvida, esta bela ilha do mediterrâneo, que sofre forte influência italiana devido à sua proximidade com a Sicília, é uma opção turística diferente e interessante, muito fora do circuito “Elizabeth Arden” (Roma-Paris-Londres), contudo um destino predominantemente europeu.

018 malta st julians  noite.jpg

A Capital de Malta é uma metrópole moderna com prédios novos, hóteis de luxo e as demais cidades têm resorts de primeira, vida noturna e um certa “ar” de Riviera Francesa, com restaurantes de excelente padrão e casas noturnas. Por ser uma ilha, evidentemente que Malta não faz divisa com nenhum país.

Malta produz apenas 20% das reservas alimentares que consome, tem recursos de água potável limitados e nenhuma fonte de energia doméstica.

019 malta promenade st julians.jpg

Além de ser um país atraente, o maltês é um povo caloroso. O mar é sempre um atrativo não apenas porque dele vem o principal alimento da ilha, mas também os transatlânticos repletos de turitas e pelo excelente grau de visibilidade que o torna paraíso do mergulho internacional. Curiosidade: a água potável de Malta vem do mar também, dessanilizada e purificada usinas. Quase não há água doce natural na ilha.

Fotos de TODAS as cidades de Malta

http://www.maltavista.net/

Mapa de Malta

http://www.maltavista.net/en/map

Ministério do Turismo de Malta

http://www.tourism.gov.mt/

 

As praias maltesas, como as de algumas das ilhas gregas, por exemplo, são rochosas, com penhascos, pedregosas e de areias amareladas. Não são bonitas, ao menos como as do Pacífico e comas tropicais, faltam-lhes vegetação, mas apenas por conta deste particular, porque as águas são azuis de tom mediterrâneo, mais escuras do que as do pacífico, e isso faz a diferença, torna-as marcantes e contrastantes. E é justamente esse tom de azul que só se vê no Mediterrâneo que propicia contrastes extremamente interessantes, do ocre do solo pedregoso com o azul profundo do mar.

O clima, principal patrimônio turístico do arquipélago, é tipicamente mediterrâneo: verões relativamente quentes, secos e longos, outonos agradáveis e relativamente secos e invernos amenos mas chuvosos. Malta tem média anual de oito horas se sol por dia.

Mesmo sendo um país pequeno , “desconhecido” Malta é um dos destinos que mais cresce no mundo para cursos de inglês para estrangeiros. É um dos melhores destinos para o aprendizado da língua inglesa devido ao agradável clima temperado do Mar Mediterrâneo. Não é tão longe quanto a Austrália nem tão caro e frio como a Inglaterra. Existem 36 escolas de inglês em Malta, quantidade considerável para um país cuja população é de 381.600 habitantes. Cerca de 40.000 pessoas por ano fazem cursos de inglês na ilha. Duas semanas de curso de inglês custam cerca US$ 333,00; Duas semanas de hospedagem em casa de família custam US$ 253,00; Duas semanas de hospedagem em residência, US$ 197,00.

Escola de Ensino de Inglês em Malta

http://www.medela.com.mt/

Reader Comments (14)

Arnaldo, que fotos sensacionais!!! Despertou minha vontade de conhecer Malta... Diga-se de passagem, não é difícil despertar a minha vontade de conhecer lugar algum - como bom viajante, tenho certeza que você me entende... Parabéns, voltarei com mais freqüência!
7:59 | Unregistered CommenterCarla
Poxa, Arnaldo, só agora li sua mensagem no meu hotmail. Eu raramente checo lá. Só uso aquele endereço pra sites públicos. Vou chegar mais regularmente. Papelao meu. Obrigada pelo convite ao seu blog e parabens! Adorei, e as fotos são mesmo sensasionais, como disse a Carla. Fiquei louca pra conhecer Malta! Um abraço.
15:05 | Unregistered CommenterAndréa N.
Caro Arnaldo, é com imenso prazer que regresso, depois de algum tempo ausente por motivos profissionais, e que constato que continuas o teu excelente blog, agora com um design mais "avant-garde", mas sempre com viagens novas e principalmente com fotos, relatos e sugestões excelentes. Malta é um dos países europeus que tenho muita curiosidade em conhecer, mas que ainda não tive disponibilidade para tal. Com certeza vai ficar na minha lista de espera. Abraço e continuação de boas viagens!
10:39 | Unregistered Commenterroadrunner
very nice pics. Valletta is a wonderful city. worth visiting
Thank you, Esteban, for your visit and comment!
Parabéns pelo blog!, estarei fazendo um cruzeiro que passa por Malta e fiquei ansiosa por conhecer esta linda ilha. A música é um plus!!!! Abraço,

Theolis
3:00 | Unregistered CommenterTheolis
Legal, Theolis. Depois volte pra contar como foi! Obrigado e boa viagem!
Visitei sua página para conhecer um pouco de Malta. Confesso que foi uma VIAGEM e tanto. Parabéns pelas informações e fotos. Helder (Teresina - PI).
ACHEI A PÁGINA SOBRE MALTA LINDÍSSIMO. AMO AS ILHAS E PRINCIPALMENTE AS DO
MEDITERRÂNEO, ANTIGAS COM AQUELE AR HISTÓRICO.
PARABÉNS, SEU SITE É 10

Rapá, belê de blog, me amarrei. Vou arrumar as malas já!
Valeu mermão! abçs.

22:32 | Unregistered CommenterSfcarvalho

por acaso achei esse log entrei porque tinha muita curiosidade em saber algo sobre Malta, depois que li tudo fiquei curioso, é claro não ganho prá conhecer,só acertando a mega sen. um abraço!

Estive em Malta em 2005 e adorei o lugar. Fiz amizade com maltezas, fui bem tratada e adorei a preservação histórica. Vc respira história, é um retorno ao antigo. Amei

Maravilhoso passeio pela Ilha de Malta, olhando as fotos é como reviver o passeio lindo e gratificante pelas ruas da linda cidade de Valleta.

Muito interessante e esclarecedor seu site.Parabéns

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.