MENSAGEM ao LEITOR
CONHEÇA QUEM ESCREVE

BEM-vindo ao Fatos & Fotos de Viagens, um blog sem jabá e não vulgar

        EXISTE no viajar e no escrever relatos de viagens um terreno fértil para demonstrações de arrogância. É algo simplesmente disseminado. Tanto no mundo virtual quanto na literatura. Mas o que o maravihoso mundo da viagens precisa é de mais viajantes humildes, não de "especialistas" caga-regras que determinam de tudo: desde como arrumar sua mala ao único tipo que você deve comprar, do lugar que você tem que ir, caso contrário sua viagem será uma merda. Nunca tão maravilhosa como a dele. As classificações dos lugares também. Tem sobrado superficialidade a egocentrismo. Autores assim não percebem que tudo é muito subjetivo e pessoal, que a experiência e o prazer de alguém não será necessariamente igual ao de outro.  Sobretudo as necessidades.

      A blogosfera "profissional e "monetizada" vulgarizou-se e tornou-se banal. Carecemos de gente que escreva para motivar e inspirar, para alargar horizontes, de viajantes que "mostrem" os lugares em vez de "ensinarem" a viajar. Moderadamente, ponderadamente, sem afetação típica de deslumbrados que viajam pela primeira vez em classe executiva e precisam espalhar para o mundo em resenhas risíveis. Ao contrário, a blogosfera

       ESTE blog, ao contrário, não fez concessões à vulgarização dos blogs depois da "profissionalização" e da monetização de alguns. Ao contrário, este é um blog singelo, simples, pequeno, inexpressivo na blogosfera, não despesperado por audiência nem seu autor se dedica mais à sua divulgação nas redes sociais do que à escrita. Tento dar graça à leitura e consolidar algo que prezo muito: confiabilidade, credibilidade.

        COMECEI a viajar tarde, você sabe. Por falta de dinheiro. Até que um dia viajei pela primeira vez ao exterior. Eu tinha 35 anos. Fui assim apresentado ao então desconhecido mas fabuloso mundo das viagens. Jamais, todavia, pensaria visitar mais de 60 países, alguns muito improváveis à época. Irã, Uzbequistão, Myanmar, Etiópia, Quirguistão entre eles. Mas foi recentemente que compreendi que as viagens ficam pra sempre, não as coisas. E que é por esse mundo ser tão diverso, por cada país ser tão diferente, que me parece tão atraente e divertido.

       NÃO sou escritor profissional. Tampouco jornalista. Mas invejo esses profissionais por dominarem o idioma, a gramática e as palavras.  Ainda assim, faço meu melhor, meu caro, estimado, raro e precioso leitor. Então, peço-lhe que considere algo: que mesmo escrevendo com sensibilidade e responsabilidade, incorro em erros. Se quiser, aponte-os. Tanto gramaticais quanto de digitação. Como tenho revisor profissional, antes de publicar dou curso a incansáveis revisões. E também submeto-os ao crivo de minha esposa. Ainda assim, alguns nos escapam.

      SOU brasileiro, empresário e casado com a Emília do blog "A Turista Acidental" e desde que a conheci (e antes mesmo de nos casarmos), tornou-se a "mais-que-perfeita" companheira de vida, de idéias, de projetos e ideais, sobretudo encantadora, adorável e inspiradora companhia de viagens e de aventuras. Com ela compreendi o que significa "prazer de viajar". Foi (e continua sendo) minha melhor fonte de inspirações e de motivações. Tanto que qualifico minhas viagens como "antes e depois" da Emília e "antes e depois" da Índia. Foi com ela que percebi o que quis dizer Érico Veríssimo com "Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado certamente chegará mais longe." Somos pais de gêmeos - uma menina e um menino - nascidos em julho de 2015, e de um filho de 34 anos do meu primeiro casamento, em quem o gosto pelas viagens pareceincorporado. Não sou avô, mas as coisas estão bem encaminhadas neste sentido.

       HOJE com 64 anos (boa parte deles dedicados à família e ao trabalho), foi apenas aos 35 que pude começar a viajar internacionalmente. Desde então visitei 61 países, entre os quais alguns dos mais fascinantes e com os sítios mais admiráveis do planeta. Felizmente, para alguns deles ainda a salvo do turismo de massa, cujos excessos arruinam qualquer lugar. Em março de 2006, quando iniciei este blog, o fiz como meio de comunicação com a família e amigos. Anos mais tarde eu descobri o poder de contar histórias em textos e fotografias, e logo ele tomou outro rumo, provavelmente porque os leitores gostavam dos textos e das fotos, ou então porque na época havia pouquíssimos blogs.

       FIZ cerca de 90 viagens internacionais, voei por 40 cias. aéreas diferentes (algumas extintas) em 391 vôos para fora do Brasil e dentro de outros países e em todas as classes possíveis. Segundo Haroldo Castro - jornalista-fotógrafo-escritor que já esteve em 160 países -, o maior viajante que conheço, em seu teste "Viajologia" que se pode fazer em seu site, que considera não apenas a quantidade de países visitados, mas lugares, monumentos e patrimônios, além de transportes, experiências e situações difícieis porque passam os viajantes, alcancei "Mestrado em Viajologia". Mas isso não é nada diante de gente que lá já "graduou-se" em pós-doutorado.

Escrevo este blog sob uma perspectiva lúcida e sem concessões à monetização sem critérios

        Eliminei o contador de visitas deste blog quando marcava mais de 6 milhões. Audiência hoje em blog é decadente. Viajar, escrever e publicar algo que inspire e icentive o leitor é o que mais me motiva. NUNCA como blogueiro interventor nas viagens alheias, ou caga-regras dizendo como alguém deve viajar e que tipo de mala usar e essas chatices que definem as pessoas homogeneamente.Parece ser o que traz os leitores até aqui. Ou porque gostem de fotografia, para além da leitura odepórica, como eu. E por este blog não ter captulado à ambição e vaidade que levou tantos autores de blogs à monetização sem critérios, sobretudo enganando leitores, cada dia torna-se menorzinho e menos importante. Se continuarem assim, os blogs precisarão ser reinventados. Este aqui nasceu livre e assim será até morrer. Por enquanto estou sempre por aqui. Nem que seja em pensamento. Só não sei até quando.

         Agradeço a visita e os comentários e desejo boa viagem aos leitores.

Em tempo: este blog não integra nenhuma associação disfarçada de incentivos à monetização. Mas se um dia fundarem a ABBLI (Associação Brasileira de Blogs Livres e Independentes), por favor, me convidem!

#blogsemjaba

COMENTÁRIOS
RSS - Quer subscrever?
AddThis Feed Button

Share/Bookmark

VIAJE neste blog

Fotos de viagens
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« Malta: Lira Maltesa, o dinheiro da ilha | Main | Malta: passeando de "Karrozzini" em Valleta »
Terça-feira
Set122006

Malta: Valleta, a Capital 

A Valletta, a capital do arquipélago, localiza-se em um cabo da costa leste. Situa-se entre o Grand Harbour, ao sul, e o porto de Marsamxett, ao norte.

valeta 00.jpg

A cidade foi assim batizada em homenagem ao grão-mestre da Ordem, Jean Parisot de la Vallette, que dirigiu brilhantemente a reconstrução da cidade após expulsar os turcos no Grande cerco de 1565.

valeta 01.jpgÉ uma pequena cidade que ainda conserva bastante dos tempos dos Cavalheiros nos muros das residências e nas estreitas ruas por onde eles andavam, ainda uma interessante e diferente cidade de estilo barroco.

 

Valleta tem uma arquitetura curiosa e muito personalizada.

valeta 02.jpg

A cidade tem planta de formato retangular em solo irregular.   Muitas de suas ruas terminam em regiões que levam até a área das docas. A rua principal é a Kingsway, paralela a rua Strait, chamada de Gut.

valeta 03 triq.jpgAntigamente, a rua Strait era a única rua onde os cavalheiros podiam lutar um duelo. Mais tarde tornou-se a “zona vermelha”, repleta de bares, restaurantes baratos e prostíbulos visitados pelos marinheiros.

As ruas, em maltês , chamam-se “triq”. Uma das principais é a Triq Reppublikka.

valeta 04.jpg

Valetta tem muitas igrejas e castelos belíssimos, entre os quais se destaca a catedral de St. John e ou auberges, ou albergues dos cavaleiros. O Auberge de Castille, reformado no século XVIII, é hoje o escritório do primeiro ministro. O Grand Harbour tem várias docas e pode aportar embarcações de até 300.000 toneladas.

valeta 05.jpgEm 1530, os Cavaleiros de São João, expulsos de Rodes pelos Turcos Otomanos, receberam Malta para se instalarem.

, expulsos de Rodes pelos Turcos Otomanos, receberam Malta para se instalarem.

 

 

 

valeta 07.jpgContinuaram em guerra com os Turcos, a quem consideravam infiéis e, portanto, inimigos. Em 1565 o sultão otomano Solimão, o Magnífico, ordenou um ataque a Malta numa tentativa de exterminar a Ordem.

valeta 08.jpgUma grande frota turca, com quatro vezes o número de homens ao dispor dos defensores, cercou a ilha em Maio. A luta manteve-se acesa até Setembro, mês em que os Turcos retiraram, severamente batidos por causa de reforços vindos da Sicília. O herói do cerco foi o grão-mestre da Ordem, Jean Parisot de la Vallette , que fundou uma nova cidade poderosamente fortificada, La Vallete, que é agora a capital da ilha.

valeta 06.jpgFoi a partir desta cidade que Napoleão atacou a Ordem, obrigando o Grão-Mestre Ferdinand von Hompesch, que lhe teria dado porto-salvo para reabastecer os navios enquanto se dirigia para o Egito para capitular.

valeta 09 igreja 2.jpgA Catedral de St. John é uma das visitas mais interessantes de Valleta.

é uma das visitas mais interessantes de Valleta.

valeta 09 igreja 1.jpgDestaque para o piso, em belíssimas placas de mármores de diferentes cores, que cobrem os túmulos dos Cavaleiros).

, em belíssimas placas de mármores de diferentes cores, que cobrem os túmulos dos Cavaleiros).

valeta 09 igreja 3.jpgTambém obrigatória é a visita ao museu da Catedral, no qual se destacam dois quadros de Caravaggio, pintados durante sua permanência em Malta).

Reader Comments (23)

maravilhoso poder rever através de fotos tiradas por outra pessoa.Amei a viagem que fiz a Malta.

Meu que lindo essa "reportagem"
pretendo ir a Malta.. em agosto de 2008..;)

17:21 | Unregistered CommenterCamila

ola gostaria de entrar em comtato com o a outor do blog...............por favor me adiciona marta_martines@hotmail.com

12:10 | Unregistered CommenterMarta

Olá! Chegarei em Malta na última semana de julho, para depois ir à Sicília. Alguma dica de estadia em Valleta? Obrigado e parabéns pelo blog!

suca.br@gmail.com (José Vicente)

22:58 | Unregistered CommenterSuca BR

Minha dica de estadia em Valleta é o Hotem Meridien St. Julian. NÃo recomendo ficar em Valleta (o que seria o Centro da Cidade), mas em St Julien, que é servida de ônibus e taxis para toda a ilha.

OS comentários sobre o hotel estão aqui:

http://www.tripadvisor.com/Hotel_Review-g227101-d289405-Reviews-Le_Meridien_St_Julians-Saint_Julian_s_Island_of_Malta.html

A página oficial do hotel (para reservas) está aqui:

http://www.starwoodhotels.com/lemeridien/property/overview/index.html?propertyID=1947

oi eu pretendo ir a malta em desembro dese ano gostaria de saber se vc nao tem uma dica de aluguel de um apartamento pois pretendo ficar pelo menos 2 meses eu e meu esposo.

Não. não tenho dicas de aluguel de apartamentos.

Ola! Parabéns pelas bela imagens, cheias de vida, cores, cantinhos preenchidos de história! Vou para Malta fazer um curso de inglês e adorei a reportagem!
Maíra

15:48 | Unregistered CommenterMaíra

Olá, pretendo ir a Malta no princípio de Setembro. Todavia, receio que a ilha esteja repleta de turistas. Algo parecido com Mayorca....Corro esse risco? Acha que alugando um carro dá para dar a volta a ilha sem esbarrar com turistas em todos os lados?
Obrigado

NÃO. De fato a "desconhecida do Mediterrâneo" vai sendo desvendada aos poucos, mas ainda MUITO longe do que é Palma de Maiorca. Claro, turistas há até em Zanzibar, mas não como em Miami! Você verá turistas sim, mas não chegará a esbarrar neles. E quanto a alugar carro, acho desnecessário. Para circular por Malta vá de ônibus e taxi. Para a ilha de GOZO< sugiro tratar um taxi para ficar à sua disposição, a menos que conduza bem na "mão inglesa".

Ola,
Faremos uma viagem de carro pela Sicilia e gostariamos de ir a Malta. Voce acha que vale a pena levar o carro no ferry?
Quantos dias voce aconselha p permanecermos na Ilha?
Alguma dica especial?
obrigada,
Maria Jose e Oswaldo

SIM, vale a pena, pois dá melhor independência e mobilidade, mas lembre-se de que em MALTA a mão é inglesa, o que significa necessidde de extrema atenção. Eu não aluguei carro e fui de avião. Fiquei em St Julians (Meridien) e não tive nenhum problema de locomoção (ônibus e taxi). Acho que 4 dias inteiros estão suficientes. Minha dica é conhecer todos os pontos citados nas matérias sobre Malta e andar nos ônibus e fazer um passeio de charrete (karrozzini)

BELISSIMA CIDADE , ESTOU ANSIOSA PARA CONHECER, AGORA EM SETEMBRO DE 2008, COM MINHAS IRMAS E CUNHADOS.

Olá, gostei muito das informações disponíveis. Pretendo ir a Malta em novembro/08. Pode me dar uma dica do custo dia para permanecer em Valleta? E quantos dia sãonecessários pra se conhecer a cidade?
Obrigada, silvania

12:24 | Unregistered CommenterSilvania

SILVANIA, o custo por dia é MUITO variável em função do padrão de cada um, especialmente hospedagem e alimentação, se aluga carro, etc.

Para conhecer o país é necessária uma estada de 4 dias.

olá, gostaria de saber se no mês de fevereiro o tempo é agradavél na ilha de Malta pois desejava viajar para lá nessa altura.

8:21 | Unregistered Commenterbruma

OLá gostaria de saber se existem albergues para estudantes e se conhece alguma escola boa e barata?quanto custa para ir de malta a sicilia:?
obrigada e parabemns pelo blog

BARBARA, eu não teno indicações nem de albergues nem de cursos.

Para saber o custo, consulte o endereço abaixo e informe o ponto de partida:

http://www.directferries.pt/ferry_de_malta_para_sicilia.htm

Olá, Gostaria de saber qual a economia do país?Há empregos?
Estou indo fazer um intercambio para a Ilha e gostaria de saber sobre essa possibilidade.
Grata,
Laíse

Eu já fui a Malta. e digo que foi uma das melhores viagens que já fiz.Se eu pudesse iria hoje mesmo morar lá.Tudo é bonito. É um arquipélago com muito para ver. Muita história. Os sítios arqueológicos são incomparáveis aos outros que já visitei. Quem for reserve pelo menos duas semanas paar ver tudo com muita calma.Se hospedem em Saint Paul's.O astral do lugar é sempre bom. Se preparem para dirigir na mão inglesa.Só não bebam água da torneira. Nem para escovar os dentes.No mais tudo é muito bom.

ola gostei muito da cidade ela e muito bonita penaq que nao posso ir visita a cidade persoalmente

10:58 | Unregistered Commenteritelvina

Ola estou indo pra Malta dentor de dois dias, e estou tentanto pegar informacoes sobre os pontos a se visitar ao redor de valleta e como se chegar ate la, como as ilhas ao redor ou algum vilarejo mais distante, poderia me dizer ?
Obrigada
sugsantos@hotmail.com

ola etou indo a mlata ficar 3 semanasa agora em maio de 2010 gosdtari de comnecer sicila como eu posso ir de qeu ?? conheces alguma agencia que falem espanhol?? abraços Maria

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.