CONHEÇA O AUTOR

          

         Depois de estabelecer-se na Internet desde 1999 escrevendo relatos de viagens em sites relacionados com o tema, em 2006 ter fundado o blog Fatos & Fotos de Viagens - um dos pioneiros da blogosfera de viagens - foi convidado a colaborar com matérias na Revista Viagem & Turismo (Editora Abril). Agora, Arnaldo prepara o lançamento de seu primeiro livro - "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia" - ingressando na literatura com um livro encantador que, segundo o autor, é o primeiro de uma série.

Assim o autor define esta sua nova fase:

             "Livro é coisa séria. O que o leitor encontrará em "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia" é diferente do que lê aqui neste blog. Da narrativa ao estilo. Em vez de uma conversa baseada na informalidade, o livro mistura traços de coloquialidade e informalidade com uma escrita literária. Sobretudo com profundo respeito à arte de escrever. Passo a ser um escritor, mas é apenas uma outra maneira de me expressar sobre viagens, transmitir sem fantasias o mundo que vejo, isto é, como ele é, não como o imagino. A leitura revelará, todavia, aqui e ali, discrepâncias entre minhas expectativas e a realidade confirmada no destino. Segundo o poeta e ensaísta norte-americano Henry David Thoreau, "Muitos homens iniciaram uma nova era na sua vida a partir da leitura de um livro". Então, a partir deste meu primeiro, considero ter ingressado numa nova, deliciosa fase da minha vida.

Gente que escreve e encanta, fala sobre o autor:

Haroldo Castro:

            "Arnaldo Trindade Affonso é um dos viajantes equilibrados e sensatos que se lança escritor, o que, num Brasil de pouca leitura e onde a Literatura de Viagem não chega a ocupar meia estante nas livrarias, conta histórias que servirão de grande subsídio para qualquer leitor, além de ajudar a romper os preconceitos de que a África só oferece guerras, doenças e fome. Infelizmente, a riqueza cultural e natural do continente é quase sempre tão abafadas por notícias negativas que considero este livro um raio de luz na região."

Jornalista, fotógrafo, autor de “Luzes da África”, indicado para o Prêmio Jabuti 2013 na categoria Reportagens

Ronize Aline:

            "Minha opinião sobre o autor está refletida na resenha que escrevi de seu livro "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia": ele escreve com o coração e demonstra respeito por tudo o que viu. Este livro, mais do que o relato de uma viagem à Etiópia, é uma viagem rumo a uma experiência de imersão e contemplação do outro. É como olhar para o diferente sem estranhamento ou indiferença."

Escritora, tradutora, jornalista, professora universitária e crítica literária do jornal O Globo, do Rio de Janeiro

Rachel Verano

             "Neste livro, Arnaldo tem o poder de nos transportar a um dos cantos mais fascinantes e ainda intocados do planeta. Mas de maneira ao mesmo tempo delicada e profunda, pessoal, criando intimidade com os personagens, deixando o leitor perceber cheiros, sabores e sentir as emoções de suas descobertas. Do peso do ar à alegria de dobrar a esquina, o autor consegue transmitir todo seu fascínio de estar diante de algo realmente novo."

 Jornalista passou pelas redações das revistas Viagem & Turismo, Veja, VejaSP, Glamour, TAM e Vamos/LATAM

Davi Carneiro

             "Há uma frase atribuída ao grande viajante do século 14, talvez o maior escritor-viajante de todos os tempos, Ibn Battuta: “Viajar, primeiro te deixa sem palavras, depois te transforma num contador de histórias.” Suspeito, caro leito, ser este o caso do Arnaldo, um autêntico viajante que vem se mostrando, cada vez mais, um talentoso contador de histórias. Conheço-o e o sigo desde 1996, através do seu blog, aquele que, na minha opinião, é um dos melhores de viagens da internet brasileira, tanto pela excelência fotográfica quanto pela qualidade dos textos. Com um currículo andarilho de respeito (mais de 60 países, entre eles Quirguistão, Miamar, Irã e Uzbesquistão), Arnaldo tem o mérito de ir na contramão da blogosfera profissional e monetizada: de maneira simples, autêntica e independente, preza, principalmente, a credibilidade e a confiança de seu leitor." 

 Escritor, jornalista e colaborador de diversas revistas nacionais e estrangeiras

COMENTÁRIOS
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« Portugal: Lisboa - Escapadela à cidade e arredores | Main | Las Vegas: O novíssimo Resort Cassino Wynn »
Sábado
Fev032007

Orlando: Expedition Everest – Disney´s Animal Kingdon

sia - Disney's Animal Kingdon 00.jpgO Animal Kingdom foi inaugurado na primavera de 1.998 numa área de 500 acres e tornou-se o maior parque temático do complexo Disney, cinco vezes maior do que o primeiro deles, o Magic Kingdom.

 

 

sia - Disney's Animal Kingdon 01.jpgEste mais novo parque da Disney, cujo tema é o mundo animal, tem 1.500 animais de 250 espécies, entre leões, hipopótamos, crocodilos, girafas e gorilas que vivem numa gigantesca área que reproduz as savanas do Kilimanjaro, na região do parque denominada “África”. Nesta área fica Harambe, uma cidade cenográfica africana cópia da vila de Lamu, no Quênia, que por si já é uma atração, dado à perfeição dos detelhes.

sia - Disney's Animal Kingdon 02.jpgCaminhando-se pelo parque chega-se à “Ásia”, que tem atrações como as Corredeiras do Rio Kali, tigres brancos verdadeiros, cenários que imitam as ruínas do palácio de um marajá e área da “Índia”, com macacos e morcegos.

sia - Disney's Animal Kingdon 06.jpgVocê perceberá o verdadeiro clima asiático quando entrar na vila de “Anandapur”, pouco antes de chegar ao “ “Everest”. No caminho, como eu todo o parque, tudo é caprichadíssimo e muito detalhado, perfeito.

 

 

 

O Everest No Animal Kingdom

Links oficiais

http://www.disneyeverest.com/

http://disneyworld.disney.go.com/wdwi/en_GB/parks/attractionDetail?id=ExpeditionEverestAttractionPage_en_GB

Filme no Youtube

http://www.youtube.com/watch?v=PY6KVjCxR4Q

http://www.youtube.com/watch?v=GMae1-Eew6I&mode=related&search =

Fotos no Flickr (fase da construção)

http://www.flickr.com/photos/mrg/7803544/

http://www.flickr.com/photos/tags/expeditioneverest/

sia - Disney's Animal Kingdon 12.jpgA atração "Expedição Everest" foi inaugurada em abril de 2006. No dia da abertura apenas convidados, celebridades e jornalistas puderam experimentar a viagem ao encontro do Yeti, inclusive Xuxa e Sasha foram algumas das convidades do Brasil.

 

sia - Disney's Animal Kingdon 13.jpgA construção da atração custou nada mais, nada menos do que US$ 110 milhões, incluindo todo o desenvolvimento do projeto executado por arquitetos, engenheiros, paisagistas pessoal de “ engenharia da imaginação” da Disney que passaram semanas no Nepal fotografando e conhecendo as características do Monte Everest, constituindo-se numa das montanhas-russas mais caras da história.

nada mais, nada menos do que US$ 110 milhões, incluindo todo o desenvolvimento do projeto executado por arquitetos, engenheiros, paisagistas pessoal de “ engenharia da imaginação” da Disney que passaram semanas no Nepal fotografando e conhecendo as características do Monte Everest, constituindo-se numa das montanhas-russas mais caras da história.

sia - Disney's Animal Kingdon 14.jpgPara se ter uma idéia da grandiosidade desse custo, o Hopi Hari, maior parque da América Latina, lno interior de São Paulo, não custou tanto, “apenas” US$ 100 milhões.

 

 

 

 

sia - Disney's Animal Kingdon 16.jpgE o que torna essas atrações dos parques de Orlando tão caras? Exatamente os efeitos especiais e a engenharia da Disney, além da construção e ambientação.

 

 

 

 

sia - Disney's Animal Kingdon 19.jpgA "Expedição Everest" não é apenas uma montanha russa com engenharia e equipamentos de última geração inteiramente controlados por computadores, mas uma deliciosa sensação de viver alguns poucos minutos do mito popular denominado Yeti nas montanhas do Himalaia, o monstruoso animal de pêlo branco, meio homem meio animal, que guarda a sua montanha. E tudo é tão bem feito que de fato, além de divertir-se muito, você viverá uma experiência bastante realista o suficiente para impressionar e se assustar.

sia - Disney's Animal Kingdon 18.jpgChegando ao Everest do Animal Kingdon você passará pelo “acampamento-base” no vilarejo de Serka Zong e encontrará uma ambientação perfeita, com bandeiras, totens, jardins de entalhes em pedra, sinais de que os alpinistas estão sempre passando por ali, albergues, casas, placas e faixas espalhadas que alertam para o perigoso Yeti.

Disney's Animal Kingdon 002.jpgPouco antes de iniciar a jornada de subida ao everest, ainda na fila, os “ exploradores” passam pelo museu do Yeti, com diversas informações sobre a cultura do Nepal .

Para quem gosta de montanha-russa, Everest é bastante divertida e dá vontade de repetir. O percurso do carrinho que sobe a montanha, simulando uma expedição pelo Everest, é interrompido por um acidente na pista. Num acesso de fúria, Yeti destruiu os trilhos. A única saída para os expedicionários é voltar... E a volta é feita de ré!

_NIK6238a.jpgO Serviço ao Visitante FASTPASS permite que você gaste menos tempo esperando na fila e mais tempo em algumas deas atrações mais populares. Ele funciona assim: insira o seu ingresso de entrada no Parque na máquina do FASTPASS localizada na entrada da atração e você vai receberá de volta um tícket com horário marcado.

sia - Disney's Animal Kingdon 15.jpgEntão, você está livre para curtir o restante do Parque, e quando chegar o seu horário para brincar na atração, retorne à entrada do Disney's Fastpass e entre a bordo, sem precisar esperar mais.

Como a atração mais nova de um parque é sempre a mais procurada, assim que você chegar ao Animal Kingdon vá correndo ao Everest e procure pela bilheteria do “fast pass” e depois que pegar seu ticket com o horário previsto para você voltar, divirta-se em outras atrações.

Disney's Animal Kingdon 000.jpgO investimento dos parques, afirmam especialistas, vale cada centavo porque as montanhas-russas atraem boa parte do público. Tanto Disney quanto Universal Studios devem faturar algo como US$ 1 bilhão por ano e as montanhas russas são uma das principais atrações.

Reader Comments (3)

Arnaldo,

Essa casa escrito Bazar é realmente uma cópia quase perfeita das casas que tive o prazer de ver em Katmandu (Nepal) há uns 15 anos atrás. Existem apenas duas diferenças, a primeira é que as portas e o pé direito das casas é muito mais baixo (a média de altura da população deve ficar por volta dos 1,60m) e a segunda e que nela não estaria escrito Bazar. Mas são concessões que fazemos aos americanos, que definitivamente sabem criar um mundo de fantasia.
15:45 | Unregistered CommenterRodrigo

muito elgal..um garnde bjo para o site tachauuu

14:19 | Unregistered Commenterkamila

Excelente post sobre o Animal kingdom. Recomendarei!

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.