MENSAGEM ao LEITOR
CONHEÇA QUEM ESCREVE

BEM-vindo ao Fatos & Fotos de Viagens, um blog sem jabá e não vulgar

        EXISTE no viajar e no escrever relatos de viagens um terreno fértil para demonstrações de arrogância. É algo simplesmente disseminado. Tanto no mundo virtual quanto na literatura. Mas o que o maravihoso mundo da viagens precisa é de mais viajantes humildes, não de "especialistas" caga-regras que determinam de tudo: desde como arrumar sua mala ao único tipo que você deve comprar, do lugar que você tem que ir, caso contrário sua viagem será uma merda. Nunca tão maravilhosa como a dele. As classificações dos lugares também. Tem sobrado superficialidade a egocentrismo. Autores assim não percebem que tudo é muito subjetivo e pessoal, que a experiência e o prazer de alguém não será necessariamente igual ao de outro.  Sobretudo as necessidades.

      A blogosfera "profissional e "monetizada" vulgarizou-se e tornou-se banal. Carecemos de gente que escreva para motivar e inspirar, para alargar horizontes, de viajantes que "mostrem" os lugares em vez de "ensinarem" a viajar. Moderadamente, ponderadamente, sem afetação típica de deslumbrados que viajam pela primeira vez em classe executiva e precisam espalhar para o mundo em resenhas risíveis. Ao contrário, a blogosfera

       ESTE blog, ao contrário, não fez concessões à vulgarização dos blogs depois da "profissionalização" e da monetização de alguns. Ao contrário, este é um blog singelo, simples, pequeno, inexpressivo na blogosfera, não despesperado por audiência nem seu autor se dedica mais à sua divulgação nas redes sociais do que à escrita. Tento dar graça à leitura e consolidar algo que prezo muito: confiabilidade, credibilidade.

        COMECEI a viajar tarde, você sabe. Por falta de dinheiro. Até que um dia viajei pela primeira vez ao exterior. Eu tinha 35 anos. Fui assim apresentado ao então desconhecido mas fabuloso mundo das viagens. Jamais, todavia, pensaria visitar mais de 60 países, alguns muito improváveis à época. Irã, Uzbequistão, Myanmar, Etiópia, Quirguistão entre eles. Mas foi recentemente que compreendi que as viagens ficam pra sempre, não as coisas. E que é por esse mundo ser tão diverso, por cada país ser tão diferente, que me parece tão atraente e divertido.

       NÃO sou escritor profissional. Tampouco jornalista. Mas invejo esses profissionais por dominarem o idioma, a gramática e as palavras.  Ainda assim, faço meu melhor, meu caro, estimado, raro e precioso leitor. Então, peço-lhe que considere algo: que mesmo escrevendo com sensibilidade e responsabilidade, incorro em erros. Se quiser, aponte-os. Tanto gramaticais quanto de digitação. Como tenho revisor profissional, antes de publicar dou curso a incansáveis revisões. E também submeto-os ao crivo de minha esposa. Ainda assim, alguns nos escapam.

      SOU brasileiro, empresário e casado com a Emília do blog "A Turista Acidental" e desde que a conheci (e antes mesmo de nos casarmos), tornou-se a "mais-que-perfeita" companheira de vida, de idéias, de projetos e ideais, sobretudo encantadora, adorável e inspiradora companhia de viagens e de aventuras. Com ela compreendi o que significa "prazer de viajar". Foi (e continua sendo) minha melhor fonte de inspirações e de motivações. Tanto que qualifico minhas viagens como "antes e depois" da Emília e "antes e depois" da Índia. Foi com ela que percebi o que quis dizer Érico Veríssimo com "Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado certamente chegará mais longe." Somos pais de gêmeos - uma menina e um menino - nascidos em julho de 2015, e de um filho de 34 anos do meu primeiro casamento, em quem o gosto pelas viagens pareceincorporado. Não sou avô, mas as coisas estão bem encaminhadas neste sentido.

       HOJE com 64 anos (boa parte deles dedicados à família e ao trabalho), foi apenas aos 35 que pude começar a viajar internacionalmente. Desde então visitei 61 países, entre os quais alguns dos mais fascinantes e com os sítios mais admiráveis do planeta. Felizmente, para alguns deles ainda a salvo do turismo de massa, cujos excessos arruinam qualquer lugar. Em março de 2006, quando iniciei este blog, o fiz como meio de comunicação com a família e amigos. Anos mais tarde eu descobri o poder de contar histórias em textos e fotografias, e logo ele tomou outro rumo, provavelmente porque os leitores gostavam dos textos e das fotos, ou então porque na época havia pouquíssimos blogs.

       FIZ cerca de 90 viagens internacionais, voei por 40 cias. aéreas diferentes (algumas extintas) em 391 vôos para fora do Brasil e dentro de outros países e em todas as classes possíveis. Segundo Haroldo Castro - jornalista-fotógrafo-escritor que já esteve em 160 países -, o maior viajante que conheço, em seu teste "Viajologia" que se pode fazer em seu site, que considera não apenas a quantidade de países visitados, mas lugares, monumentos e patrimônios, além de transportes, experiências e situações difícieis porque passam os viajantes, alcancei "Mestrado em Viajologia". Mas isso não é nada diante de gente que lá já "graduou-se" em pós-doutorado.

Escrevo este blog sob uma perspectiva lúcida e sem concessões à monetização sem critérios

        Eliminei o contador de visitas deste blog quando marcava mais de 6 milhões. Audiência hoje em blog é decadente. Viajar, escrever e publicar algo que inspire e icentive o leitor é o que mais me motiva. NUNCA como blogueiro interventor nas viagens alheias, ou caga-regras dizendo como alguém deve viajar e que tipo de mala usar e essas chatices que definem as pessoas homogeneamente.Parece ser o que traz os leitores até aqui. Ou porque gostem de fotografia, para além da leitura odepórica, como eu. E por este blog não ter captulado à ambição e vaidade que levou tantos autores de blogs à monetização sem critérios, sobretudo enganando leitores, cada dia torna-se menorzinho e menos importante. Se continuarem assim, os blogs precisarão ser reinventados. Este aqui nasceu livre e assim será até morrer. Por enquanto estou sempre por aqui. Nem que seja em pensamento. Só não sei até quando.

         Agradeço a visita e os comentários e desejo boa viagem aos leitores.

Em tempo: este blog não integra nenhuma associação disfarçada de incentivos à monetização. Mas se um dia fundarem a ABBLI (Associação Brasileira de Blogs Livres e Independentes), por favor, me convidem!

#blogsemjaba

COMENTÁRIOS
RSS - Quer subscrever?
AddThis Feed Button

Share/Bookmark

VIAJE neste blog

Fotos de viagens
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« Portugal: Lisboa - Belém | Main | Portugal: Lisboa - Igreja da Sé »
Terça-feira
Mar132007

Portugal: Lisboa e seus Miradouros

Miradouro Lisboa 01.jpgPasseio pelos `miradouros` de Lisboa

Sobre sete colinas, que são outros tantos pontos de observação de onde se podem desfrutar magníficos panoramas, se extende a vasta, irregular e multicolorida aglomeração de casas que constituem Lisboa (…). Fernando Pessoa

As dezenas de mirantes de Lisboa oferecem excelente visão panorâmica do que é a cidade e revelam sua personalidade. São poucas as cidades do mundo que têm mirantes e a possibilidade de serem vistas do alto. Conhecê-los é obrigatório para o turista porque deles temos vistas privilegiadas da cidade.

Miradouro Lisboa 02.jpgO Miradouro de Santa Luzia é um dos mais bonitos, privilegiados e visitados de Lisboa, de onde se tem uma vista muito bonita sobre Alfama e sobre a o Tejo. É um mirante com dois andares, sendo um mais antigo e outro mais atual. O andar superior do miradouro, mais antigo, é bonito, com um pequeno jardim e decoração em azulejos típicos portugueses da 2ª metade do século XVIII e bancos estilo “conversadeiras”, além de um restaurante.

Miradouro Lisboa 05.jpgNa Cidade Alta o Miradouro de Santa Catarina (com vistas para os bairros de São Paulo e Lapa), na Rua da Misericórdia, depois o do Castelo de São Jorge e o Miradouro da Igreja da Graça, são os principais da cidade, além, é claro, do Miradouro do Elevador Santa Justa.

...a foto acima foi "emprestada" do Flickr (o Miradouro estava em obras escondido sob tapumes)Miradouro Lisboa 03.jpg

No Bairro Alto , o Miradouro de São Pedro de Alcântara tem vistas para as zonas mais típicas e as mais modernas da cidade. Numa ponta vê-se o Castelo, a Sé, a Baixa e uma pequena faixa de rio.

Miradouro Lisboa 04.jpgPara quem prefere observar o rio e os barcos que entram e saem do porto, o Miradouro de Santa Catarina é o ponto. Mas há ainda outros miradouros na cidade como o de Santa Luzia, em São Vicente de Fora, ou o de Belém.

Reader Comments (13)

Arnaldo, essa segunda foto do Miradouro de Santa Catarina me deu vontade de ir até lá conhecer. Não me lembro de ter estado lá, mas o miradouro em si, mais até do que a foto parece bacana. Tomara que eu já consiga ver depois da reforma.
Eu quis dizer o miradouro mais do que a vista...
Jorge, ele estava todo fechado sob tapume, mas eu já o havia conhecido "pessoalmente" em 1.999. é agradável por causa do caramanhcão e das colunas, bonito por causa da decoração em azulejos, mas em termos de vista você poderá ver uma bem parecida logo abaixo dele. ele está num nível um pouco acima desse patamar de baixo e essa diferença conta muito porque no nível abaixo há telhados que impedem a vista. È um miradouro que seguramente vc. passará se for ao castelo de São Jorge. Um pouco adiante dele fica a parada do bonde 28, onde há outro mirante. Abraço
Oi,Arnaldo, muito legal. Vc acha que maio é uma boa época para visitar Portugal em relação ao clima e a quantidade de gente?
Valeu sua visita no meu blog, mas vc já o tinha visitado antes, vc até elogiou o post que fiz sobre o restaurante Dona Irene em Teresópolis, rsss
http://agoravai.wordpress.com/2007/01/26/a-viagem/#comments

Grande abraço e apareça!
9:44 | Unregistered CommenterArthur
Puxa, é mesmo, desculpe o lapso, Arthur. na verdade, é que agora tem uma ótima e extensa lista de blogs de viagens que eu me confundo todo. De todo modo, gostei sim.

Acho que maio é ótimo, temperatura agradável e não é altíssima temporada.
Oi Arnaldo!
Tudo bom? Conversamos lá nos comentários, no VNV. Gostaria de trocar figurinhas com vc por email, segue meu endereço, aguardo seu contato: lea_dorf@yahoo.com
Abraço!
18:36 | Unregistered CommenterLea
Arnaldo

Voce foi ao musueu dos coches,, que lindo? vai ter post?
Abs.

Ernesto
22:32 | Unregistered CommenterErnesto
Sim, Erneto, fui ao Museu dos Coches e tirei ótimas fotos que vou postar a tempo (no capítulo de Belém, mencionando os pastéis de Belém, o Padrão dos Descobrimentos, a Torre de Belém e o próprio museu, lindíssimo no prédio e no conteúdo). Aguarde! Grande abraço!
Legal, porque e uma ótima dica, que poucos conhecem... nem o Riq mencionou!

Abs.
8:46 | Unregistered CommenterErnesto
Galerinha,
A segunda foto não é do Miradouro de Santa Catarina. Alias, não foi postada nenhuma foto desse miradouro.
O miradouro a que se estão a referir é ao de Santa Luzia, que efectivamente está em obras, tal como o de São Pedro de Alcantâra, que tem uma vista semelhante ao do Elevador de Santa Justa.
Uma dica. O miradouro da Senhora do Monte na Graça vale uma visita.
Cumprimentos de Lisboa
16:17 | Unregistered CommenterSofia

As tuas fotos estão fantasticas, curto bues! Bom trabalho

2:15 | Unregistered CommenterSG

Arnaldo ,gostaria de sua orientação quanto as condições climáticas que irei encontrar para visitar Lisboa em minha viajem que se inicia em 24/12/2013.estou programando passagens por Cascis ,Obidus e Fatima ate Coimbra de carro

Lisboa tem clima quente e com sol durante boa parte do ano. As temperaturas variam entre 25 e os 30 graus no Verão e no inverno e outono - épocas mais frias - descem bastante, às vezes até os 6 graus. Novembro e Dezembro são chuvosos, Janeiro e Fevereiro mais frios e Junho e Julho os mais quentes.

Sugiro consultar o Wunderground para saber as temperaturas do dia, privisões e registros:

http://portuguese.wunderground.com/global/stations/08536.html

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.