MENSAGEM ao LEITOR
CONHEÇA QUEM ESCREVE

BEM-vindo ao Fatos & Fotos de Viagens, um blog sem jabá e não vulgar

        EXISTE no viajar e no escrever relatos de viagens um terreno fértil para demonstrações de arrogância. É algo simplesmente disseminado. Tanto no mundo virtual quanto na literatura. Mas o que o maravihoso mundo da viagens precisa é de mais viajantes humildes, não de "especialistas" caga-regras que determinam de tudo: desde como arrumar sua mala ao único tipo que você deve comprar, do lugar que você tem que ir, caso contrário sua viagem será uma merda. Nunca tão maravilhosa como a dele. As classificações dos lugares também. Tem sobrado superficialidade a egocentrismo. Autores assim não percebem que tudo é muito subjetivo e pessoal, que a experiência e o prazer de alguém não será necessariamente igual ao de outro.  Sobretudo as necessidades.

      A blogosfera "profissional e "monetizada" vulgarizou-se e tornou-se banal. Carecemos de gente que escreva para motivar e inspirar, para alargar horizontes, de viajantes que "mostrem" os lugares em vez de "ensinarem" a viajar. Moderadamente, ponderadamente, sem afetação típica de deslumbrados que viajam pela primeira vez em classe executiva e precisam espalhar para o mundo em resenhas risíveis. Ao contrário, a blogosfera

       ESTE blog, ao contrário, não fez concessões à vulgarização dos blogs depois da "profissionalização" e da monetização de alguns. Ao contrário, este é um blog singelo, simples, pequeno, inexpressivo na blogosfera, não despesperado por audiência nem seu autor se dedica mais à sua divulgação nas redes sociais do que à escrita. Tento dar graça à leitura e consolidar algo que prezo muito: confiabilidade, credibilidade.

        COMECEI a viajar tarde, você sabe. Por falta de dinheiro. Até que um dia viajei pela primeira vez ao exterior. Eu tinha 35 anos. Fui assim apresentado ao então desconhecido mas fabuloso mundo das viagens. Jamais, todavia, pensaria visitar mais de 60 países, alguns muito improváveis à época. Irã, Uzbequistão, Myanmar, Etiópia, Quirguistão entre eles. Mas foi recentemente que compreendi que as viagens ficam pra sempre, não as coisas. E que é por esse mundo ser tão diverso, por cada país ser tão diferente, que me parece tão atraente e divertido.

       NÃO sou escritor profissional. Tampouco jornalista. Mas invejo esses profissionais por dominarem o idioma, a gramática e as palavras.  Ainda assim, faço meu melhor, meu caro, estimado, raro e precioso leitor. Então, peço-lhe que considere algo: que mesmo escrevendo com sensibilidade e responsabilidade, incorro em erros. Se quiser, aponte-os. Tanto gramaticais quanto de digitação. Como tenho revisor profissional, antes de publicar dou curso a incansáveis revisões. E também submeto-os ao crivo de minha esposa. Ainda assim, alguns nos escapam.

      SOU brasileiro, empresário e casado com a Emília do blog "A Turista Acidental" e desde que a conheci (e antes mesmo de nos casarmos), tornou-se a "mais-que-perfeita" companheira de vida, de idéias, de projetos e ideais, sobretudo encantadora, adorável e inspiradora companhia de viagens e de aventuras. Com ela compreendi o que significa "prazer de viajar". Foi (e continua sendo) minha melhor fonte de inspirações e de motivações. Tanto que qualifico minhas viagens como "antes e depois" da Emília e "antes e depois" da Índia. Foi com ela que percebi o que quis dizer Érico Veríssimo com "Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado certamente chegará mais longe." Somos pais de gêmeos - uma menina e um menino - nascidos em julho de 2015, e de um filho de 34 anos do meu primeiro casamento, em quem o gosto pelas viagens pareceincorporado. Não sou avô, mas as coisas estão bem encaminhadas neste sentido.

       HOJE com 64 anos (boa parte deles dedicados à família e ao trabalho), foi apenas aos 35 que pude começar a viajar internacionalmente. Desde então visitei 61 países, entre os quais alguns dos mais fascinantes e com os sítios mais admiráveis do planeta. Felizmente, para alguns deles ainda a salvo do turismo de massa, cujos excessos arruinam qualquer lugar. Em março de 2006, quando iniciei este blog, o fiz como meio de comunicação com a família e amigos. Anos mais tarde eu descobri o poder de contar histórias em textos e fotografias, e logo ele tomou outro rumo, provavelmente porque os leitores gostavam dos textos e das fotos, ou então porque na época havia pouquíssimos blogs.

       FIZ cerca de 90 viagens internacionais, voei por 40 cias. aéreas diferentes (algumas extintas) em 391 vôos para fora do Brasil e dentro de outros países e em todas as classes possíveis. Segundo Haroldo Castro - jornalista-fotógrafo-escritor que já esteve em 160 países -, o maior viajante que conheço, em seu teste "Viajologia" que se pode fazer em seu site, que considera não apenas a quantidade de países visitados, mas lugares, monumentos e patrimônios, além de transportes, experiências e situações difícieis porque passam os viajantes, alcancei "Mestrado em Viajologia". Mas isso não é nada diante de gente que lá já "graduou-se" em pós-doutorado.

Escrevo este blog sob uma perspectiva lúcida e sem concessões à monetização sem critérios

        Eliminei o contador de visitas deste blog quando marcava mais de 6 milhões. Audiência hoje em blog é decadente. Viajar, escrever e publicar algo que inspire e icentive o leitor é o que mais me motiva. NUNCA como blogueiro interventor nas viagens alheias, ou caga-regras dizendo como alguém deve viajar e que tipo de mala usar e essas chatices que definem as pessoas homogeneamente.Parece ser o que traz os leitores até aqui. Ou porque gostem de fotografia, para além da leitura odepórica, como eu. E por este blog não ter captulado à ambição e vaidade que levou tantos autores de blogs à monetização sem critérios, sobretudo enganando leitores, cada dia torna-se menorzinho e menos importante. Se continuarem assim, os blogs precisarão ser reinventados. Este aqui nasceu livre e assim será até morrer. Por enquanto estou sempre por aqui. Nem que seja em pensamento. Só não sei até quando.

         Agradeço a visita e os comentários e desejo boa viagem aos leitores.

Em tempo: este blog não integra nenhuma associação disfarçada de incentivos à monetização. Mas se um dia fundarem a ABBLI (Associação Brasileira de Blogs Livres e Independentes), por favor, me convidem!

#blogsemjaba

COMENTÁRIOS
RSS - Quer subscrever?
AddThis Feed Button

Share/Bookmark

VIAJE neste blog

Fotos de viagens
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« África do Sul: O Kruger National Park | Main | África do sul: Safari fotográfico. O que levar na bagagem? »
Sábado
Abr072007

África do Sul: "Family Safaris" - Especial para crianças

Mala Mala para Jorge 00.jpg

http://giramundo.wordpress.com/

          Sim, a África pode ser uma experiência muito interessante para famílias com suas crianças. Um safari pode ser uma experiência muito enriquecedora e incrível para jovens e crianças, mas o mais importante a se considerar é, primeiramente, o perfil e a maturidade da criança e do jovem, algo que apenas os pais podem e devem avaliar. Quanto poderá ser interessante e adequado viajar com suas crianças para a África do Sul em um safari é algo que requer bastante planejamento e ponderações, pesquisa e a participação dos filhos em todo o processo.

 

Mala Mala para Jorge 07.jpgEnvolver toda a família no processo de planejamento da viagem, fartamente ilustrando-a com fotos e mapas, filmes e leituras, informações sobre a cultura e as características do povo e do lugar, é o melhor caminho para o sucesso da viagem.

          Este não é o tipo de viagem para crianças que não podem passar sem TV e vídeo game, por exemplo. Tampouco para viajantes com orçamento muito curto. Em linhas gerais, safaris fotográficos e África do Sul são caros, seja qual for o padrão da hospedagem. Eu diria que ao contrário, para os pais com crianças maiores de 12 anos e para os avós é algo fascinante e inesquecível experiência.

Mala Mala para Jorge 06.jpgMesmo para nós adultos, quando vemos os animais num safari é algo muito recompensador, mas também há alguma possibilidade de ficarmos horas num jipe tomando sol sem realmente encontrarmos animais do porte que esperamos, dependendo da região, mesmo na África do Sul e mesmo até no Kruger Park. Que país é melhor para um Family Safari?

          Mala Mala para Jorge 05.jpg

O melhor lugar para ir a um safari com crianças é a África do Sul mesmo. As estradas e a infra-estrutura geral é muito superior às dos outros países.

A melhor época para ir com as crianças é na estação da seca, ou seja, no fim da primavera e iniciozinho do verão do hemisfério sul, mais ou menos entre Outubro e Janeiro, quando a vegetação está mais seca e baixa, a visibilidade, portanto, se torna bem melhor, assim como o clima.

         

Mala Mala para Jorge 04.jpgAs operadoras especializadas recomendam que procurem-se lodges menores, em geral mais luxuosos e bem equipados, os quais oferecem atenção maior às crianças através da equipe de rangers e guias que atendem a um grupo menor de pessoas (em geral seis). Os tradicionais safari lodges tendem a ser maiores e hospedam cerca de 100 pessoas, o que pode afetar a tranquilidade e a intimidade da família, especialmente durante os game-viewing drives.

         

Mala Mala para Jorge 03.jpgUm family safari pode ser a viagem de sua vida, tanto pela avetura quanto pelo exotismo, mas deve ser pensado e planejado por seu alto custo. Algumas famílias escolhem fazê-lo apenas quando seus filhos passam dos 12 anos, o que, ao meu ver, é uma atitude corretíssima e muito bem pensada.

         

Mala Mala para Jorge 010.jpgEspecialmente a África do Sul e ainda mais especialmente, o Kruger National Park são os destinos mais vivamente recomendados para famílias. Há outros game reserves, mas o Kruger é onde famílias em safari têm mais chance de sucesso no encontro de animais e de hospedagem adequada.

          Em geral, flexibilidade é o que os experts recomendam em viagens com crianças. Assim, quanto mais jovens, menor deve ser a rigidez de uma programação.

          A África do Sul tem grande número de reservas privadas, justamente voltadas aos diferentes tipos de perfis de turistas. Todos oferecem segurança e acomodação de ótimo nível, comida boa e certa flexibilidade com o cardápio, ainda que bem mais limitada que nos grandes centros.

          A África do Sul é também o país onde certas regiões são as mais livres e seguras contra malária e o país tem bons médicos e hospitais.

Mala Mala para Jorge 09.jpg

Restrições a Idade

            Muitos lodges e cias. especializadas em safaris têm restrições de idade, razão porque um planejamento independente (aéreo e hotel) é recomendável nesses casos, evidentemente verificando-se as restrições que o lodge tem acerca de crianças abaixo de 12 anos. Nada contra crianças, evidentemente, mas eles consideram safaris inseguros para crianças abaixo de 12 anos sentarem-se e permanecerem obedientes às regras num jipe descoberto em meio aos animais selvagens. Além disso as crianças são mais falíveis à exposição ao sol e a mordicas de insetos e mosquitos, além de irritarem-se e cansarem-se muito mais facilmente durante os game drives. Além disso, ao ver um animal é fundamental permanecer em silêncio e o mais quieto possível, o que nem sempre se consegue com crianças abaixo de 12 anos.

          Alguns lodges também restringem o acesso a crianças porque é comum animais circularem nas dependências dos mesmos, o que pode ser perigoso especialmente para crianças.

Mala Mala para Jorge 01.jpg

           De todo modo, aqui vão algumas dicas de especialistas: para manter uma criança atenta  e interessada durante um safari, considerando a idade de 12 anos em diante, dê a ela uma câmera fotográfica, seu próprio binóculo, dê-lhe ´prêmios´ por encotrar primeiro insetos, animais e pássaros, prepare um checklist de animais para ela ir marcando os que conseguir ver, hospede-se num family-oriented lodge com opções de baby-sitting .

          É claro que as crianças depois deverão fazer seus próprios diários e scrapbook de sua viagem e durante ela irem recolhendo os items a serem aplicados no scrapbook.

 

Consulte os endereços na Internet com opções de safaris e hospedagem dirigidos à família:

          A Wild Wings, por exemplo, ( http://www.wild-wings.co.za/ ) é uma operadora especializada em safaris e tem programação para famílias com crianças na área do Kruger Park.

_NIK2929.jpg

         

A Oasis Africa também é especializada e tem uma página com depoimentos de passageiros que viajaram com crianças para safaris na África do Sul (http://oasisafrica.com/touroptions.htm) e também tem sugestões de roteiros prontos com preços e condições.

          Alguns de seus safaris são especialmente programados para crianças, sendo um dos mais populares o que fica num lodge categoria luxury resort nas margens do Crocodile River, com atividades diversas dirigidas às crianças, game drives exclusivos em veículos para a família e suias crianças, inclusive com piscina, mini golf, trampolim, e baby-sitting service. Crianças menores de 12 anos pagam meia e as de até 2 anos, dividindo um apartamento com os pais, não pagam nada. Resumindo, minha opinião é a de recomendar que um safari com crianças deva ser feito no Kruger National Park.

 

Algumas opções de Family-Friendly Safaris:

5 Day Kruger and Panorama Safari

http://www.go2africa.com/south-africa/tours/tour-safari.asp?holiday=Kruger-and-Panorama-Safari&ToursID=411

Family Garden Route and Safari

http://www.afroventures.com/lifestyle_vacations/itineraryreplcca/id~FGS010

Conservation Corporation Africa (CC Africa)

http://www.ccafrica.com/familysafaris/

Cape Town, Safari & Sun City Family Holiday

http://www.magicglobe.com/family-holidays/trip.asp?code=627

Relação dos Family-Friendly Safari Lodging

Lodges that welcome under 12's in South Africa and Namibia

Family-friendly hotels in East and Southern Africa

CC Africa's list of family-friendly safari lodges

Mopaya Safari Lodge (na área do Kruger Park, aceita crianças acima de 7 anos)

http://www.mopayasafari.co.za/english/south_african_safari_holidays.htm

Para planejar um roteiro por estradas na África do Sul

http://www.shellgeostar.co.za/

 

FINAL (espero que tenha sido útil)

Reader Comments (12)

Ola Arnaldo, muito legal seus comentarios sobre a Africa do Sul. Ha voos direto do Brasil para a Africa do Sul? Caso nao, onde voce fez a conexao? Quando tempo de voo para se chegar la'? Boa Pascoa para voce e sua familia! Abracos, Nil
14:13 | Unregistered CommenterNil
Arnaldo,

O rss está funcionando! Acho que você poderia colocar um icone do rss para chamar a atenção (pode conseguir um icone azul para não destoar da página).

Nil a South African tem 2 vôos diários pa Joahanesburg
18:29 | Unregistered CommenterRodrigo
Nil,obrigado e apareça sempre. O Rodrigo já respondeu,mas faltou dizer quanto. São cerca de 9 horas de vôo. Abraços
21:24 | Unregistered CommenterArnaldo
Rodrigo, eu não sei como colocar o ícone....
21:24 | Unregistered CommenterArnaldo
Arnaldo,

Se você for ao encontro VnV mande um abraço meu.

Vou pesquisar depois do feriado e te envio um.
22:32 | Unregistered CommenterRodrigo
Arnaldo

Bom encontro no VNV! Fico triste de não poder ir!
Uma sugestão para familias, embora não seja tão emcionante quanto ficar num game reserve é ir ate Skuza, pela South African links,lá alugar um carro, e ficar dentro do Kruger, ou nos hoteis em volta, inclusive é bem mais em conta. O úncio porém é necessitar de reservas prévias por ocasião das férias escolares, já que é um programa popular entre os locais.
8:37 | Unregistered CommenterErnesto

Ernesto e Rodrigo, eu não poderei ir ao encontro porque tenho um compromisso familiar...

Ernesto, obrigado pelas dicas. SEMPRE se tem algo a mais pra inserir, pra dar deinformação. Valeu e...BOA PÁSCOA a todos vocês.

9:43 | Unregistered CommenterArnaldo
Arnaldo,

Como posso agradecer? Ganhei um post dedicado no Fatos e Fotos de Viagens. Sensacional. Você é excepcional. Estou muito feliz, já mostrei este post para minha mulher :). Muitíssimo obrigado. Já entendi que se eu quiser levar a Clara vou precisar planejar ao menos o dobro do que faria se eu fosse somente entre adultos.
Jorge, pode tirar o cavalinho da chuva que o presente foi pra Clara! Falando sério, foi um prazer ter ajudado um pouquinho a fazer a semente dessa sua vontade de fazer um safari, crescer e frutificar. Grande abraço e, persistindo alguma dúvida, é só perguntar.
8:31 | Unregistered CommenterArnaldo
Arnaldo, muito bom, como sempre. Sério, já pensou em escrever um livro?
Que pena que vc não pode ir ontem no Belmonte, foi muito legal.
Abraços
Arthur
15:36 | Unregistered CommenterArthur
Arthur, acredito mesmo que tenha sidolegal, nãoseria deoutro modo. Mas eu tinha compromisso....Ah, escrever um livro é muito!, pega leve!
20:10 | Unregistered CommenterArnaldo

Oi Arnaldo,

Adorei o seu post, que está bastante completo e bem escrito! Só discordo do ponto em que você diz que não é recomendado que crianças menores de 12 anos façam safáris. No geral, crianças a partir dos 7 anos de idade são permitidas nos safáris na região do Kruger. E alguns lodges, mediante contratação à parte de um safári privativo, com veículo e guia exclusivos só para a família, permitem que crianças entre 3 e 6 anos de idade participem junto de seus pais/responsáveis com bastante segurança.

Eu tenho uma agência especializada em viagens em família com crianças, a "Viajar com Crianças", e posso afirmar que, com o roteiro certo e uma prestação de serviços de qualidade, muitos destinos e passeios considerados só "de adulto" podem ser aproveitados pelos pequenos.

Eu já fiz safári na região do Kruger com meus filhos e eles amaram! Eu também organizei a viagem para a África do Sul da blogueira Sut-Mie, do "Viajando com Pimpolhos", com seu marido e suas duas filhas, na ocasião com 4 e 8 anos, e eles curtiram principalmente os safáris.

Dá uma espiada no blog dela, que ela fala bastante sobre as impressões das meninas sobre os safáris.
http://viajandocompimpolhos.com/category/destinos/africa/africa-do-sul/

;)

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.