MENSAGEM ao LEITOR
CONHEÇA QUEM ESCREVE

BEM-vindo ao Fatos & Fotos de Viagens, um blog sem jabá e não vulgar

        EXISTE no viajar e no escrever relatos de viagens um terreno fértil para demonstrações de arrogância. É algo simplesmente disseminado. Tanto no mundo virtual quanto na literatura. Mas o que o maravihoso mundo da viagens precisa é de mais viajantes humildes, não de "especialistas" caga-regras que determinam de tudo: desde como arrumar sua mala ao único tipo que você deve comprar, do lugar que você tem que ir, caso contrário sua viagem será uma merda. Nunca tão maravilhosa como a dele. As classificações dos lugares também. Tem sobrado superficialidade a egocentrismo. Autores assim não percebem que tudo é muito subjetivo e pessoal, que a experiência e o prazer de alguém não será necessariamente igual ao de outro.  Sobretudo as necessidades.

      A blogosfera "profissional e "monetizada" vulgarizou-se e tornou-se banal. Carecemos de gente que escreva para motivar e inspirar, para alargar horizontes, de viajantes que "mostrem" os lugares em vez de "ensinarem" a viajar. Moderadamente, ponderadamente, sem afetação típica de deslumbrados que viajam pela primeira vez em classe executiva e precisam espalhar para o mundo em resenhas risíveis. Ao contrário, a blogosfera

       ESTE blog, ao contrário, não fez concessões à vulgarização dos blogs depois da "profissionalização" e da monetização de alguns. Ao contrário, este é um blog singelo, simples, pequeno, inexpressivo na blogosfera, não despesperado por audiência nem seu autor se dedica mais à sua divulgação nas redes sociais do que à escrita. Tento dar graça à leitura e consolidar algo que prezo muito: confiabilidade, credibilidade.

        COMECEI a viajar tarde, você sabe. Por falta de dinheiro. Até que um dia viajei pela primeira vez ao exterior. Eu tinha 35 anos. Fui assim apresentado ao então desconhecido mas fabuloso mundo das viagens. Jamais, todavia, pensaria visitar mais de 60 países, alguns muito improváveis à época. Irã, Uzbequistão, Myanmar, Etiópia, Quirguistão entre eles. Mas foi recentemente que compreendi que as viagens ficam pra sempre, não as coisas. E que é por esse mundo ser tão diverso, por cada país ser tão diferente, que me parece tão atraente e divertido.

       NÃO sou escritor profissional. Tampouco jornalista. Mas invejo esses profissionais por dominarem o idioma, a gramática e as palavras.  Ainda assim, faço meu melhor, meu caro, estimado, raro e precioso leitor. Então, peço-lhe que considere algo: que mesmo escrevendo com sensibilidade e responsabilidade, incorro em erros. Se quiser, aponte-os. Tanto gramaticais quanto de digitação. Como tenho revisor profissional, antes de publicar dou curso a incansáveis revisões. E também submeto-os ao crivo de minha esposa. Ainda assim, alguns nos escapam.

      SOU brasileiro, empresário e casado com a Emília do blog "A Turista Acidental" e desde que a conheci (e antes mesmo de nos casarmos), tornou-se a "mais-que-perfeita" companheira de vida, de idéias, de projetos e ideais, sobretudo encantadora, adorável e inspiradora companhia de viagens e de aventuras. Com ela compreendi o que significa "prazer de viajar". Foi (e continua sendo) minha melhor fonte de inspirações e de motivações. Tanto que qualifico minhas viagens como "antes e depois" da Emília e "antes e depois" da Índia. Foi com ela que percebi o que quis dizer Érico Veríssimo com "Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado certamente chegará mais longe." Somos pais de gêmeos - uma menina e um menino - nascidos em julho de 2015, e de um filho de 34 anos do meu primeiro casamento, em quem o gosto pelas viagens pareceincorporado. Não sou avô, mas as coisas estão bem encaminhadas neste sentido.

       HOJE com 64 anos (boa parte deles dedicados à família e ao trabalho), foi apenas aos 35 que pude começar a viajar internacionalmente. Desde então visitei 61 países, entre os quais alguns dos mais fascinantes e com os sítios mais admiráveis do planeta. Felizmente, para alguns deles ainda a salvo do turismo de massa, cujos excessos arruinam qualquer lugar. Em março de 2006, quando iniciei este blog, o fiz como meio de comunicação com a família e amigos. Anos mais tarde eu descobri o poder de contar histórias em textos e fotografias, e logo ele tomou outro rumo, provavelmente porque os leitores gostavam dos textos e das fotos, ou então porque na época havia pouquíssimos blogs.

       FIZ cerca de 90 viagens internacionais, voei por 40 cias. aéreas diferentes (algumas extintas) em 391 vôos para fora do Brasil e dentro de outros países e em todas as classes possíveis. Segundo Haroldo Castro - jornalista-fotógrafo-escritor que já esteve em 160 países -, o maior viajante que conheço, em seu teste "Viajologia" que se pode fazer em seu site, que considera não apenas a quantidade de países visitados, mas lugares, monumentos e patrimônios, além de transportes, experiências e situações difícieis porque passam os viajantes, alcancei "Mestrado em Viajologia". Mas isso não é nada diante de gente que lá já "graduou-se" em pós-doutorado.

Escrevo este blog sob uma perspectiva lúcida e sem concessões à monetização sem critérios

        Eliminei o contador de visitas deste blog quando marcava mais de 6 milhões. Audiência hoje em blog é decadente. Viajar, escrever e publicar algo que inspire e icentive o leitor é o que mais me motiva. NUNCA como blogueiro interventor nas viagens alheias, ou caga-regras dizendo como alguém deve viajar e que tipo de mala usar e essas chatices que definem as pessoas homogeneamente.Parece ser o que traz os leitores até aqui. Ou porque gostem de fotografia, para além da leitura odepórica, como eu. E por este blog não ter captulado à ambição e vaidade que levou tantos autores de blogs à monetização sem critérios, sobretudo enganando leitores, cada dia torna-se menorzinho e menos importante. Se continuarem assim, os blogs precisarão ser reinventados. Este aqui nasceu livre e assim será até morrer. Por enquanto estou sempre por aqui. Nem que seja em pensamento. Só não sei até quando.

         Agradeço a visita e os comentários e desejo boa viagem aos leitores.

Em tempo: este blog não integra nenhuma associação disfarçada de incentivos à monetização. Mas se um dia fundarem a ABBLI (Associação Brasileira de Blogs Livres e Independentes), por favor, me convidem!

#blogsemjaba

COMENTÁRIOS
RSS - Quer subscrever?
AddThis Feed Button

Share/Bookmark

VIAJE neste blog

Fotos de viagens
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« Rio de Janeiro: Jardim Botânico | Main | Rio de Janeiro: Monumento aos Pracinhas - Aterro do Flamengo »
Sábado
Mai192007

Rio de Janeiro: Mirante Dois Irmãos, Leblon

Parque do Penhasco Dois Irmãos - Alto Leblon

(Parque Municipal Sérgio Bernardes)

          Mirante%20do%20Leblon%2023.jpg

          Este parque situa-se na encosta do morro Dois Irmãos, no Alto Leblon. Tem cerca de 25 hectares, e sua característica mais importtante é o exemplo de recuperação de uma área de encosta, outrora tomada quase que totalmente pelo capim colonião uma gramínea africana, introduzida no Brasil no período colonial e responsável pela rápida propagação dos incêndios freqüentes nas encostas cariocas nos meses de estiagem (inverno), período que ela se torna seca e os focos de incêndio se multiplicam devido à ação humana. Mirante%20do%20Leblon%2003.jpg

 

Essa gramínea se tornou uma praga em todos os morros cariocas e aos poucos foi sendo substituída por cobertura vegetal menos propensa a incêndios e mais bonita em termos paisagísticos.

          

Mirante%20do%20Leblon%2005.jpg

Criado em 1992, projeto do paisagista Fernando Chacel, está hoje com a vegetação em estado adiantado de recuperação, pois o capim foi dominado e não consegue mais se desenvolver devido à sombra da vegetação arbórea ali plantada. O acesso se dá pelas Ruas Aperana e Avenida Visconde de Albuquerque, no final do Leblon. O parque é dotado de estacionamento para cerca de 40 carros, banheiros masculino e feminino e parquinho infantil.

 

           

          Mirante%20do%20Leblon%2004.jpg

Várias linhas de ônibus fazem ponto final próximo a este parque, o que facilita o seu acesso a pedestres, que poderão à medida que sobem, caminhando, observar a variação da geologia da área e os pontos descritos neste roteiro. O parque tem um belo projeto arquitetônico e paisagístico e seus visitantes contam com conforto e segurança, acesso para carros, policiamento e iluminação nos três níveis de deques de madeira.

           

          Mirante%20do%20Leblon%2008.jpg

           Raramente é visitado por turistas, a não ser aquels levados até lá por moradores da cidade. Mas este Parque acabou tornando-se um destino de professores de Ciências, Geografia, Biologia, Geologia, de escolas situadas na Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro, que com seus alunos podem passar algumas horas agradáveis, numa verdadeira aula prática sobre geologia e meio ambiente.

 

            Mirante%20do%20Leblon%2018.jpg

          Ainda pouco conhecido até mesmo dos cariocas, é lugar perfeito para se ter uma vista das praias de Ipanema e Leblon, do Arpoador, da Lagoa Rodrigo de Freitas, do próprio Morro Dois Irmãos, do Jockei Clube, das Palmeiras do Jardim Botânico e do Cristo Redentor.

 

           Mirante%20do%20Leblon%2007.jpg

          Um dos mais bonitos cartões-postais do Rio de Janeiro, os morros dos Dois Irmãos, no bairro do Leblon, Zona Sul da cidade, que divide os bairros do Leblon e São Conrado, é para ser admirado não apenas de longe.

 

          Mirante%20do%20Leblon%2019.jpg

          Na sua base, ainda existe um mirante chamado “Sétimo Céu”, muito antigo, de onde se descortina uma bela panorâmica das praias de Ipanema e Leblon, mas hoje superado pelo novo mirante.

 

           Mirante%20do%20Leblon%2025.jpg

           Em sua área há ainda trilhas de terra, um pequeno teatro de arena, quadra de futebol e playground, além de esculturas e móbiles. Até pouco tempo atrás, apenas casais de namorados se dispunham a enfrentar trilhas íngremes para obter uma vista romântica da cidade ao anoitecer.

 

          Mirante%20do%20Leblon%2026.jpg

          Hoje, com a abertura do parque, os visitantes contam com conforto e segurança, como acesso para carros, policiamento e iluminação.

 

            Mirante%20do%20Leblon%2015.jpg

          Para os aventureiros, há uma maneira radical para se chegar ao parque, que é através do mirante. A dica é seguir até o fim da Rua Aperana, no Alto Leblon. Lá, uma subida leva ao Sétimo Céu.

 

          Mirante%20do%20Leblon%2017.jpg

          Mais adiante, uma estrada de terra levará à entrada do parque, que deve ser seguida mantendo-se sempre a direita, termina em uma trilha na borda do morro, que se seguido adiante o visitante terá a opção de uma séria de trilhas que levam até ao topo dos morros.

          Mirante%20do%20Leblon%2002.jpg

          A mais famosa é a "Zig-Zag", que esconde a mais fantástica vista que o parque oferece. Com sorte a caminhada poderá ter a companhia inusitada de alguns micos e camaleões que habitam em sua flora.

           

          Mirante%20do%20Leblon%2020.jpg

          Aí, é só descer e curtir. Durante a semana, o parque é freqüentado por esotéricos, que meditam ao som das ondas. Já aos sábados e domingos, o local é a grande pedida para apreciar um dos mais belos espetáculos da natureza.

           

          Mirante%20do%20Leblon%2006.jpg

          Há vários mirantes, dos quais se podem ter variadas visões da Lagoa Rodrigo de Freitas, do Corcovado, das praias da Zona Sul e das ilhas Cagarras. Próximo à sede do parque pode-se admirar esculturas de aço de Oscar Niemeyer, bordejando um lago artificial com ninfeas, papiros e bomélias.

           

          Mirante%20do%20Leblon%2022.jpg

          Para dar uma força a mais, moradores das redondezas do Parque do Penhasco Dois Irmãos, no Leblon, uniram-se para abrir no local uma biblioteca, em funcionamento desde 2006. O visitante tem à disposição mais de 1.000 títulos, entre livros esotéricos, infantis, didáticos, biográficos e enciclopédias.

 

          Mirante%20do%20Leblon%2009.jpg

          As publicações poderão ser retiradas e folheadas no mirante do parque, com o leitor sentado à sombra de uma árvore e rodeado pela paisagem de beleza sem concorrentes.

Mirante%20do%20Leblon%2027.jpg

Parque do Penhasco Dois Irmãos
Rua Aperana - Alto Leblon
Aberto diariamente de 8h às 18h.
Entrada Gratuita

Reader Comments (16)

Arnaldo, obrigada por su comentario tan amable.

Son unas imágenes muy poco usuales de Río.
Había oído hablar de Alto Leblon en una entrevista con C. Veloso o a algún brasileiro, pero nada más y no presté mucha atención en lo decía.
Valientes y benditos profesores que se atreven a sacar de sus aulas a sus alumnos para una clase magistral. Suerte tenemos de disfrutar de profesores que aman su trabajo!!!

He intentado varias veces entrar el el enlace de las fotos de Trancoso, pero debo tener algun problema con el filtro de seguridad. No me deja verlas.
13:10 | Unregistered CommenterCarmen
Oi Arnaldo .

Desta vez, voce fotografou um ponto do Rio que eu não conheço.Já está anotado. Parabens pela série Rio bom, barato, natural & seguro. Vai ficar para a próxima viagem, quem sabe para ver as suas fotos de Dubai...
17:27 | Unregistered CommenterErnesto
Caraca!!! Como sempre, fotos e fatos de primeiríssima!!!

Adoro os teus relatos, e principalmente, os teus cliks. Fantástico, meu amigo.

Obrigado pelo prestígio lá no Destemperados. Aguardamos uma dica do Arnaldo lá qualquer hora dessas, hein?!

Com um detalhismo tão aguçado, e cliks tão precisos, não consigo nem imaginar a maravilha que sairia!

Grande abraço, Diogo.
1:55 | Unregistered CommenterDiogo
Arnaldo:

Sou assíduo frequentador do VnV e lá sempre leio seus comentários, porém nunca havia entrado em seu blog. Pude perceber que realmente o pessoal tem razão, seu feeling e técnica para fotografia são mesmo apurados.
Parabéns.
9:09 | Unregistered CommenterSandro
Puxa, Sandro, que elogio bacana! Muito grato mesmo por sua visita, por dar-se ao trabalho de deixar um recado aqui e pelos elogios. Seja sempre bem-vindo e se precisar de algo que esteja ao meu alcance....
9:30 | Unregistered CommenterArnaldo
Arnaldo:
Grato pela presteza.
Bem, raramente insiro comentários, mesmo no VnV, porém aqui fui surpreendido pela qualidade de suas fotos e textos e não pude deixar de comentar.
Fotografia,principalmente de paisagem, natureza, é algo que me fascina, porém nunca parei para pensar em me aprimorar (e não tenho pretensão) e na verdade acho legal ser meio leigo no assunto, pois volta e meia me deparo com algumas boas fotos que "tirei" e me surpreendo em verificar que às vezes o feeling supera a técnica, embora saiba que o ideal é unir os dois.
Abraço.
10:01 | Unregistered CommenterSandro
O mais importante, Sandro,é o GOSTO pela fotografia, a SUA personalidade. Técnica a gente vai adquirindo aos poucos!
16:15 | Unregistered CommenterArnaldo
Arnaldo, me parece q essa praça é perto do cantagalo, mas vc q esteve lá.... é seguro ? Tem movimento nos fds ?
23:24 | Unregistered Commentereuclides
Euclides, é no lado oposto ao Cantagalo (que fica em Copacabana). Nada tem a ver com o Cantagalo. Procure ir de tarde, mais ou menos duas horas ou pela manhã, perto do meio dia.
No endereço abaixo pode-se encontrar um roteiro sobre a geologia deste parque, ilustrado com mapa de pontos, fotos das rochas e do solo.
http://www.meioambiente.pro.br/Leblon/index.html
OBBRIGADO, Eurico. Eu incuirei o link no corpo da matéria.

Olá!
Adorei seu blog!
Conheço muito o mirante, como carioca da gema vou muito lá, mas recomendo ir à tarde, com dia claro e de preferência em grupo. Não aconselho a ir sozinho, ou com muitos pertences principalmente no final do dia....como em qualquer grande centro lugares ermos não são aconselháveis durante a noite!
Bjus

Parabéns pela sua iniciativa de divulgar tão bela paisagem. Como sugestão gostaria que fossem divulgadas as principais linhas de ônibus que levam os turistas pedestres até a base do parque! Abraços!

15:06 | Unregistered CommenterAndreson

Anderson, não há linhas de ônibus que levem ao parque, e subir é muito difícil, a pé. Se for, sugiro combinar com um taxi espcial e pedir para esperar e trazê-lo de volta.

21:03 | Unregistered CommenterArnaldo

Fantástico lugar este cantinho no universo da net.
Descrobri hoje e já dei uma vista de olhos de cima para baixo.
Como Portugês, confesso que gostei especialmente das fotos da Batalha, Alcobaça e óbidos.
Já agora, porque não visitar o Norte de pequeno País que tanto contribuiu para a gênese do eneorme e fantástico mundo Brasileiro.

Do Leblon,já tinha ouvido falar numa canção. Assim também não soa nada mal, muito pelo contrario.

Continue para nosso encanto!

António

13:06 | Unregistered CommenterAntónio

Continuarei, António, continuarei. O norte, assim como o sul, por que não dizer TODO o restante de Portugal que AINDA não visitei, está nos planos.

Obrigado pela visita, por seus comentários elogiosos e volte sempre!

13:44 | Unregistered CommenterArnaldo

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.