CONHEÇA O AUTOR

 

         Depois de estabelecer-se na Internet - em 1999 - escrevendo relatos de viagens em sites relacionados com o tema, e em 2006 ter fundado o blog Fatos & Fotos de Viagens - um dos pioneiros da blogosfera de viagens - Arnaldo foi convidado a colaborar com matérias na Revista Viagem & Turismo, da Editora Abril e, agora, prepara o lançamento de seu primeiro livro - "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia" - ingressando, assim, na literatura de viagens com um livro encantador, segundo o autor, o primeiro de uma série de pelo menos quatro que já planeja produzir, dois deles em plena fase.

Assim o autor define esta sua nova fase:

             Livro é coisa séria. O que o leitor encontrará em "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia" é diferente do que lê aqui no blog. Da narrativa ao estilo. Em vez de apenas uma "conversa" com o leitor, baseada na informalidade, o livro mistura traços desta coloquialidade e informalidade com os de uma escrita literária. Sobretudo com profundo respeito à arte de escrever. Passo a ser um escritor, o que nada mais é do que uma outra maneira de me expressar sobre viagens e de transmitir ao leitor minhas impressões. Segundo o poeta e ensaísta norte-americano Henry David Thoreau, "Muitos homens iniciaram uma nova era na sua vida a partir da leitura de um livro". A partir deste meu primeiro livro escrito, considero ter ingressado numa nova, deliciosa fase em minha vida. 

             Por bom tempo - antes de me decidir por publicar um livro - meu lado esquerdo do cérebro brigou com fúria contra o direito até certificar-se de que o leitor teria nos meus livro não os textos que escrevi no blog, porque, entre outros motivos, livro é coisa séria, e ninguém (ninguém de verdade!) merece ler posts de blogs reproduzidos em livros, especialmente textos efêmeros, perecíveis, descartáveis ou preocupados em agradarem "o mercado" e a blogosfera. Felizmente, ao que parece, posts continuarão restritos aos blogs e livros a serem livros. O tema da viagem parece ainda não ter-se banalizado na literatura universal, nem ter-se rendido às formas diversas da monetização.

           Minha ascensão na escrita de viagens com este trabalho literário não é exatamente uma novidade. Ainda que recentemente eu tenha notado a mente lampejar com a ideia: tornar-me um escritor de viagens. Todavia, ela sempre me rondou. Mesmo que a alguma distância. Não foram poucos os amigos, parentes e leitores do blog que há mais de dez anos recorrem à pergunta: “Por que não escrever um livro?”

Gente que escreve e encanta, fala sobre o autor:

Haroldo Castro:

            "Arnaldo é um dos viajantes equilibrados e sensatos que se lança escritor, o que, num Brasil de pouca leitura e onde a Literatura de Viagem não chega a ocupar meia estante nas livrarias, conta histórias que servirão de grande subsídio para qualquer leitor, além de ajudar a romper os preconceitos de que a África só oferece guerras, doenças e fome. Infelizmente, a riqueza cultural e natural do continente é quase sempre tão abafadas por notícias negativas que considero este livro um raio de luz na região."

Jornalista, fotógrafo, autor de “Luzes da África”, indicado para o Prêmio Jabuti na categoria Reportagens

Ronize Aline:

             "Minha opinião sobre o autor está refletida na resenha que escrevi de seu livro "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia": ele escreve com o coração e demonstra respeito por tudo o que viu. Este livro, mais do que o relato de uma viagem à Etiópia, é uma viagem rumo a uma experiência de imersão e contemplação do outro. É como olhar para o diferente sem estranhamento ou indiferença."

Escritora, tradutora, jornalista, professora universitária, crítica literária do jornal O Globo, do Rio de Janeiro

Rachel Verano

             "Neste livro, Arnaldo tem o poder de nos transportar a um dos cantos mais fascinantes e ainda intocados do planeta. Mas de maneira ao mesmo tempo delicada e profunda, pessoal, criando intimidade com os personagens, deixando o leitor perceber cheiros, sabores e sentir as emoções de suas descobertas. Do peso do ar à alegria de dobrar a esquina, o autor consegue transmitir todo seu fascínio de estar diante de algo realmente novo."

 Jornalista das revistas Viagem & Turismo, Veja, VejaSP, Glamour, TAM e Vamos/LATAM

Davi Carneiro

             "Há uma frase atribuída ao grande viajante do século 14, talvez o maior escritor-viajante de todos os tempos, Ibn Battuta: “Viajar, primeiro te deixa sem palavras, depois te transforma num contador de histórias.” Suspeito, caro leito, ser este o caso do Arnaldo, um autêntico viajante que vem se mostrando, cada vez mais, um talentoso contador de histórias. Conheço-o e o sigo desde 1996, através do seu blog, aquele que, na minha opinião, é um dos melhores de viagens da internet brasileira, tanto pela excelência fotográfica quanto pela qualidade dos textos. Com um currículo andarilho de respeito (mais de 60 países, entre eles Quirguistão, Miamar, Irã e Uzbesquistão), Arnaldo tem o mérito de ir na contramão da blogosfera profissional e monetizada: de maneira simples, autêntica e independente, preza, principalmente, a credibilidade e a confiança de seu leitor." 

 Escritor, jornalista e colaborador de diversas revistas nacionais e estrangeiras

 


COMENTÁRIOS
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« Tiradentes e São João del Rei | Main | Japão: Kioto, onde guardam as memórias do país »
Sexta-feira
Nov142008

Grécia: Santorini

VISTA de baixo ela é bonita. Vista de cima, ah, vista de cima ela é LINDA!

 Vinho, sol, comida e preguiça com vista pro mar...

             SE tudo é tão bonito, todo mundo quer conhecer. Se as belezas são tantas, os turistas, então, nem se fala!  Esta é Santorini. E este seu maior problema.  A fama de ser uma ilha romântica com o "pôr-do-sol mais bonito do mundo"  correu o planeta e trouxe com ela a fama e...a multidão de turistas!  

 

Vistas bem de longe, as casinhas parecem cubinhos de açúcar dependurados na rocha...

           SANTORINI é muito mais do que uma porção de terra cercada de água por todos os lados. É  sonho de consumo de meio planeta.  Aliás, uma pequeníssima porção de rocha vulcânica negra cercada de mar azul turqueza. Mykonos e Santorini pertencem ao mesmo arquipélago - das Cíclades -  e ao mesmo mar quente, azul e cristalino – o Egeu.

   

              SÃO as duas ilhas turisticamente mais conhecidas e desejadas da Grécia, destino obrigatório no Mar Egeu, beleza desejada por todo turista.  Mas apenas nisso é possível definir semelhança entre ambas, pois de resto são tão distintas quanto água e céu. Mykonos e Santorini são diferentes, como céu e mar.

    

Aqui e ali, cúpulas azuis disputam a cor do céu...

           ESSA ilha que já foi vulcão e que pertence ao Arquipélago das Cíclades vale cada centavo que você gastou pra chegar até ela, seja para ficar um dia, seja para se hospedar por uma semana. E cada esbarrão num turista disputando um centímetro com você pra fazer uma foto naquele terraço com vista estonteante pro mar.

 Acima do branco, só os azuis. Do céu e das cúpulas das capelinhas ortodoxas...

Simples, limpa, clara, singela, mas extraordinária a vista das igrejinhas de cúpolas azuis... 

___________________________________________________________________________________

 

           ESTE é um daqueles destinos que já vêm com pacote completo: romantismo, vista assombrosa, comida e vinho abundantes. Sim, vinho. E grego, produzido na ilha com as variedades de uvas Assyrtiko, Athiri e Aidani, talvez a única coisa barata do lugar. Um maravilhoso destino de visuais incríveis que tiram o fôlego de quem olha de cima pra baixo, ou de baixo pra cima. Em direção ao mar a partir do topo da caldeira do vulcão extinto, ou do porto para a escarpa de rocha cinza escura com cubinhos de açúcar equilibrando-se sobre ela. As casas parecem equilibrar-se nas escarpas que disputaram centímetro a centímetro, como se fossem cabras.

   

 Varandas para o mar tiram partido da vista...

_______________________________________

Santorini tem duas faces: Fira e Oia.

           TODO o esforço para subir até Oia (pronuncia-se Ia) será plenamente recompensado. A partir do Porto de Skala Firon, passando pelo centrinho de Thera, ou Fira, de ônibus, motoneta ou em lombo de burro, de funicular ou por escada, e caminhando até a vila de Óia, percebe-se que a ilha tem duas faces bem distintas. A primeira, tem a maior porção de terra, se é que se pode chamar assim aquele solo pedregoso. No centro dela ficam muitas pousadas, albergues e hotéis, restaurantes e um comércio de primeira necessidade, além de lojas turísticas.

Brancos e azuis onipresentes em Oia... 

            EM Thira fica o vilarejo de Akrotiri, bem no sul da ilha, que há 2.500 anos foi coberto da lava vulcânica que cobriu grande parte da área que só foi redescoberta no Século 20. A cidade antiga de Akrotiri é uma das maiores atrações de Santorini, um importante sítio arqueológico grego dos mais interessantes, tanto que alguns ao chamam de Pompéia grega, devido ao ópimo estado de conservação.  

    

Sabiamente elas não escondem, elas emolduram a vista pro mar...

          A capital, Fira, é o centro das baladas noturnas para tribos do hip-hop à música grega.  Ali estacionam-se carros e ônibus, porque para Oia se vai mesmo é a pé.  As praias são mais pra baixo da ilha, e chamam-se Perissa, Kamari, Perívolos, Vlihada e Red Beach.  Infra-estrutura turística só mesmo em Perissa, Fira e Oia. Há ônibus que ligam Fira a Perissa. O povo aluga carro ou motoneta pra ir às partes e praias mais distantes da ilha, já que o transporte público, ainda que regular, é demorado.

 

 Este é um lugar onde se pode dizer que as casas são "debruçadas sobre o mar" ...

 

            BEM, se você considerar Santorini como um destino de praia, poderá decepcionar-se com elas: são de rocha vulcânica, difíceis de se andar, inconfortáveis para se sentar, ainda que com um mar maravilhoso batento sobre ela. Ah, e por serem pretas, absorvem o calor como nada mais. Esqueça a areia branca que você imagina rodear a porção de rocha do qual é feita a ilha.

            FALTA terreno em Oia. E as casas encarapitadas nas encostas, tal como cabras montesas desafiando a gravidade, são o que há de mais atraente na ilha, justamente por conta da vista que delas se tem. Leve muita memória na câmera porque Oia é um espanto em fotogenia.

 

De cima para baixo ela é linda... 

           SE pretender observar um Pôr-do-Sol escandalosamente bonito, tão belo quanto famoso e disputado, trate de arranjar um lugar com vista pro mar, bem antes do Astro Rei omeçar a descer, caso contrário você só conseguirá ver cabeças. Tão escandaloso que os turistas até aplaudem. Se tiver a sorte de conseguir uma vaga numa das mesas das tabernas que parecem debruçadas sobre a encosta, aí sim, terá a glória de assistir a esse tão belo quanto comum evento da natureza, provavelmente entre um gole e outro de vinho, um click e outro da câmera.

     

           MAIS de 250 igrejas com cúpolas azuis e paredes brancas serão o único concorrente possível à fabulosa vista pro mar. Fotograficamente falando. Se conseguir desvencilhar-se, por uns segundos que seja, da multidão, fotografe frenéticamente a baía de Santorini, a partir de um desses seus mirantes, uma das mais bonitas vistas que se tem desde o topo da vila de de Oia. Depois e antes do Sol ter dado seu espetáculo passeie pelas ruas de butiques e joalherias com vitrines de atrair mesmo o mais indiferente olhar masculino.

   

Ora debruçadas, ora espremidas...

            SANTORINI, geograficamente, na verdade é o nome de um pequeno grupo de ilhas situadas na região das Cíclades, cuja a ilha principal, Tira, que tem a forma de ferradura ao redor do que já foi a caldeira de um vulcão. Forma com as outras duas pequeninas Palaia e Nea Kameni e as ilhas de Tirasia e Aspronisi, o mini-arquipélago de Santorini.

 Entre nesgas, o mar...

           AINDA que Santorini seja o nome mais comumente conhecido e empregado, o grupo é oficialmente chamado de Tira, que por sua vez é o nome da maior cidade, também conhecida como Fira. Assim, se quiser comprar um ticket do ferry para Santorini, peça “um tíquete pra Thira, por favor”. Isso se você não optou por vir de avião, é claro.

    

           HÁ mais, todavia, em Santorini, do que escarpas repletas de casinhas brancas de Fira, Firostefani, Imerovigli e Oia. Há resorts com praias de areia fina e negra e um ou outro sítio arqueológico pra visitar. Isso, é claro, para quem já conheceu o que é essencialmente turístico e veio à ilha pra relaxar.

    

Elevador animal

           A visita de um dia a Santorini, a partir de um Cruzeiro pelo Mediterrâneo, pode servir para encantar o visitante que não quer mais deixá-la, tão somente para atiçar o seu apetite de retornar mais tarde, ou terá sido o suficiente. Para mim foi, assim, o suficiente.  

 

          SÃO inúmeras as ofertas de cruzeiros pelas ilhas a partir de Atenas ou da Itália, em roteiros mais longos que incluem Veneza, Turquia e Egito. Mas para quem é encantado com a Grécia e suas ilhas, o que não é meu caso, pessoalmente recomendo que fique ao menos dois dias em Rodes, Mykonos, Santorini, entre outras.

                   

                   Na linha vermelha o formato original do vulcão

A partir de Atenas pode-se chegar a Santorini por avião ou barco. De barco a viagem custa €40 e leva cerca de cinco horas. De avião a Olympic Airways e Aegean Airlines têm voos diários que custam cerca €144.

   

 

Reader Comments (16)

Meu Deus!!! Oooohhhh!!! As fotos são lindas, lindas. Eu gosto muito da foto da cúpola, o céu é puro espectáculo. Parabéns por o post!

16:50 | Unregistered CommenterCarmen

Arnaldo, nem acreditei quando vi este post de Santorini...eu achava que o lugar era só fama, mas não é mesmo! Como você mesmo fala, a ilha vale cada centavo de investimento, não me cansava de estar ali na minha varanda e hipnotizada pela paisagem...
PS: Aquela primeira foto da cúpula é simplesmente inacreditável, você se superou. Parece que a igreja está flutuando na foto e vindo na sua direção... (juro que não bebi nada!rs...)
Um abraço!

17:13 | Unregistered CommenterEmília

Ah, que saudades de Santorini! Ao contrário de vc, Arnaldo, eu adorei a Grécia! rs E AMEI Santorini - que, aliás, na minha lembrança tem extamente essas cores e essa luz intensa do sol que se vê nas suas fotos! Linda, linda, linda.

CARMEN, obrigado pelos elogios e comentário. Mas saiba que a beleza está toda ali, é dela mesma. É muito fácil fazser fotos boas em Santorini, seja lá qual for o equipamento, porque a ilha é extremamente fotogênica.

EMÍLIA, eu esperava mesmo sua visita e ia até seu blog convidá-las, mas não deu tempo, vc veio antes (e que bom!). Eu tinha certeza de que vc tendo acabado de vir de lá gostaria de rever o lugar. Agora, saiba que meu encantamento com Santorini acaba por aí. Para mim é `está visto`, nem tive vontade de dormir nem permanecer uma noite, quanto mais dias na ilha.

Gostei imensamente mais de Capri do que de Santorini (e esta foi minha segunda vez na ilha). Mykonos, então, nem se fala. Prefiro um dia em Búzios que um na ilha grega. A ilha que mais gostei na Grécia (se é que eu posso afirmar que tenha assim, digamos.... `gostado` da Grécia!) foi Rodes.

Mas Santorini foi uma agardabilíssima experiência de um dia. Um destino de navio que fiquei feliz de retornar, ao navio!, no fim do dia. Já Palma de Mallorca...

MARI CAMPOS, obrigado por sua visita e ainda mais por seu comentário.


Grande abraço a todos!

Lindas suas fotos. Concordo com você sobre ficar pouco tempo em Santorini. Eu fiquei 4 dias e achei que foi muito.

Posso fazer uma contribuição?
Todos falam do pôr-do-sol mas eu presenciei uma lua cheia incrível e mega romântica em Santorini. Inesquecível.

E para jantar, é impossível ir a Santorini e não passar pelo 1800. Preço salgado. Comida maravilhosa.

Nossas fotos não estão tão boas quanto as suas, mas esse é o endereço:
www.flickr.com/photos/arosadosventos

Fomos para Rhodes também e para mim, a praia mais linda é justamente Lindos.

18:53 | Unregistered CommenterPriscila

Santorini - Firostefani é o- meu- lugar . A mais bela e impactante
paisagem que já vi . Um lugar para contemplar e estar . Posso passar
o resto da vida sentada numa varanda de frente para a cratera .
Alem de ser totalmente apaixonada pela Grecia !!!

Como bem diz o Riq, no seu blog sempre da vontade de ir, ou voltar, como foi o caso de Santorini... PAra quem for, recomendo alugar um carro para conhecer a ilha, e seus encantos... Um cruzeiro é sempre uma boa maneira de fazer uma primeria visita as ilhas gregas. E, confesso que Santorini, junto com Rodhes são unicos lugares que eu voltaria na Grecia...

21:29 | Unregistered CommenterErnesto

Arnaldo, você já tirou muitas fotos incríveis, mas essas, realmente, estão espetaculares! As cores são lindas!
Já tinha ouvido falar que Santorini é um dos poucos lugares maravilhosos da Grécia e pelas fotos eu não tenho menos dúvida disso!
bjus

17:13 | Unregistered CommenterGuta

Nós subimos de teleférico mas optamos por descer pelo caminho dos burros. Foi uma experiência inesquecivel. Optamos por descer os 570 degraus, andando neles em diagonal que cansa menos. A altura dos degraus é mais ou menos de 12 cm e os degraus são largos (cerca de 1,20m). Curiosamente percebemos que os burros que sobem e descem carregando os turistas, faziam exatamente a mesma coisa que nós...em diagonal. Não são "tão burros" assim !!! É uma localidade linda de fato. Não fizemos nada com guias....fizemos tudo por conta própria exceto uma pequena excursão contratada lá em cima mesmo numa agencia. Em baixo, no porto, o custo é bem maior ...Izak

Santorini é realmente um lugar apaixonante. Tive um pouco de receio na hora de escolher, mas hoje devo agradecer porque foram os inumeros elogios que me fizeram ir pra lá. Além disso o povo lá é muito educado e solicito.Fiquei 6 dias na minha lua de mel e nao achei muito. As barracas de praia sao perfeitas!! Que saudade de Santorini!!

23:22 | Unregistered CommenterMara

Amei
Santorini!!!É magica!

Fantástica!,, terei o prazer de conhece-lana próxima semana!

Parabens pelas fotos! Não conheço Santorini, mas um dia quero ir lá!

Um abraço!

Rubens

ola, parabens pelo blog, estou indo pra europa neste começo de maio/2013, e no meu roteiro pessoal que programei ha mais de treis anos, eu e minha esposa, vamos a roma/napoles/pompeia/athenas/santorini/paris/rio/sao paulo. gostei das informações, gostaria saber se tem alguns detalhes a serem obsevados, tipo coisas que jamais, deve ser feitas, o jamais faria se voltasse, e cuidados. obrigado. nascimento

14:02 | Unregistered Commenternascimento

Obrigado, Nascimento, pela visita e comentário. O seu roteiro está ótimo, é bastante heterogêneo.

A minha melhor recmendação éque vocês dois decidam o que desejam ver, baseados nas suas prórpias criosidades e desejos. Não siga opiniões impositivas que definam que vc NÂO deve ir a tal lugar, porque é MUITO melhor ir e não gostar (mas ter ido) do que viver na dúvida e arrependido por não ter ido e ter gostado.

Siga seus interesses. Pesquisa, veja fotos e selecione aquilo que lher agrada. Opiniões alheias devem servir APENAS como informação e orientação, JAMAIS como rédeas.

Ótima viagem a vocês. E volte para contar sua experiência.

Por favor informar se um idoso, com mobilidade reduzida, sentira muita dificuldade em de fazer turismo em santorini ou existe possibilidades de transporte para este fim grata

16:18 | Unregistered Commenterlourdes

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.