MENSAGEM ao LEITOR
CONHEÇA QUEM ESCREVE

BEM-vindo ao Fatos & Fotos de Viagens, um blog sem jabá e não vulgar

        EXISTE no viajar e no escrever relatos de viagens um terreno fértil para demonstrações de arrogância. É algo simplesmente disseminado. Tanto no mundo virtual quanto na literatura. Mas o que o maravihoso mundo da viagens precisa é de mais viajantes humildes, não de "especialistas" caga-regras que determinam de tudo: desde como arrumar sua mala ao único tipo que você deve comprar, do lugar que você tem que ir, caso contrário sua viagem será uma merda. Nunca tão maravilhosa como a dele. As classificações dos lugares também. Tem sobrado superficialidade a egocentrismo. Autores assim não percebem que tudo é muito subjetivo e pessoal, que a experiência e o prazer de alguém não será necessariamente igual ao de outro.  Sobretudo as necessidades.

      A blogosfera "profissional e "monetizada" vulgarizou-se e tornou-se banal. Carecemos de gente que escreva para motivar e inspirar, para alargar horizontes, de viajantes que "mostrem" os lugares em vez de "ensinarem" a viajar. Moderadamente, ponderadamente, sem afetação típica de deslumbrados que viajam pela primeira vez em classe executiva e precisam espalhar para o mundo em resenhas risíveis. Ao contrário, a blogosfera

       ESTE blog, ao contrário, não fez concessões à vulgarização dos blogs depois da "profissionalização" e da monetização de alguns. Ao contrário, este é um blog singelo, simples, pequeno, inexpressivo na blogosfera, não despesperado por audiência nem seu autor se dedica mais à sua divulgação nas redes sociais do que à escrita. Tento dar graça à leitura e consolidar algo que prezo muito: confiabilidade, credibilidade.

        COMECEI a viajar tarde, você sabe. Por falta de dinheiro. Até que um dia viajei pela primeira vez ao exterior. Eu tinha 35 anos. Fui assim apresentado ao então desconhecido mas fabuloso mundo das viagens. Jamais, todavia, pensaria visitar mais de 60 países, alguns muito improváveis à época. Irã, Uzbequistão, Myanmar, Etiópia, Quirguistão entre eles. Mas foi recentemente que compreendi que as viagens ficam pra sempre, não as coisas. E que é por esse mundo ser tão diverso, por cada país ser tão diferente, que me parece tão atraente e divertido.

       NÃO sou escritor profissional. Tampouco jornalista. Mas invejo esses profissionais por dominarem o idioma, a gramática e as palavras.  Ainda assim, faço meu melhor, meu caro, estimado, raro e precioso leitor. Então, peço-lhe que considere algo: que mesmo escrevendo com sensibilidade e responsabilidade, incorro em erros. Se quiser, aponte-os. Tanto gramaticais quanto de digitação. Como tenho revisor profissional, antes de publicar dou curso a incansáveis revisões. E também submeto-os ao crivo de minha esposa. Ainda assim, alguns nos escapam.

      SOU brasileiro, empresário e casado com a Emília do blog "A Turista Acidental" e desde que a conheci (e antes mesmo de nos casarmos), tornou-se a "mais-que-perfeita" companheira de vida, de idéias, de projetos e ideais, sobretudo encantadora, adorável e inspiradora companhia de viagens e de aventuras. Com ela compreendi o que significa "prazer de viajar". Foi (e continua sendo) minha melhor fonte de inspirações e de motivações. Tanto que qualifico minhas viagens como "antes e depois" da Emília e "antes e depois" da Índia. Foi com ela que percebi o que quis dizer Érico Veríssimo com "Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado certamente chegará mais longe." Somos pais de gêmeos - uma menina e um menino - nascidos em julho de 2015, e de um filho de 34 anos do meu primeiro casamento, em quem o gosto pelas viagens pareceincorporado. Não sou avô, mas as coisas estão bem encaminhadas neste sentido.

       HOJE com 64 anos (boa parte deles dedicados à família e ao trabalho), foi apenas aos 35 que pude começar a viajar internacionalmente. Desde então visitei 61 países, entre os quais alguns dos mais fascinantes e com os sítios mais admiráveis do planeta. Felizmente, para alguns deles ainda a salvo do turismo de massa, cujos excessos arruinam qualquer lugar. Em março de 2006, quando iniciei este blog, o fiz como meio de comunicação com a família e amigos. Anos mais tarde eu descobri o poder de contar histórias em textos e fotografias, e logo ele tomou outro rumo, provavelmente porque os leitores gostavam dos textos e das fotos, ou então porque na época havia pouquíssimos blogs.

       FIZ cerca de 90 viagens internacionais, voei por 40 cias. aéreas diferentes (algumas extintas) em 391 vôos para fora do Brasil e dentro de outros países e em todas as classes possíveis. Segundo Haroldo Castro - jornalista-fotógrafo-escritor que já esteve em 160 países -, o maior viajante que conheço, em seu teste "Viajologia" que se pode fazer em seu site, que considera não apenas a quantidade de países visitados, mas lugares, monumentos e patrimônios, além de transportes, experiências e situações difícieis porque passam os viajantes, alcancei "Mestrado em Viajologia". Mas isso não é nada diante de gente que lá já "graduou-se" em pós-doutorado.

Escrevo este blog sob uma perspectiva lúcida e sem concessões à monetização sem critérios

        Eliminei o contador de visitas deste blog quando marcava mais de 6 milhões. Audiência hoje em blog é decadente. Viajar, escrever e publicar algo que inspire e icentive o leitor é o que mais me motiva. NUNCA como blogueiro interventor nas viagens alheias, ou caga-regras dizendo como alguém deve viajar e que tipo de mala usar e essas chatices que definem as pessoas homogeneamente.Parece ser o que traz os leitores até aqui. Ou porque gostem de fotografia, para além da leitura odepórica, como eu. E por este blog não ter captulado à ambição e vaidade que levou tantos autores de blogs à monetização sem critérios, sobretudo enganando leitores, cada dia torna-se menorzinho e menos importante. Se continuarem assim, os blogs precisarão ser reinventados. Este aqui nasceu livre e assim será até morrer. Por enquanto estou sempre por aqui. Nem que seja em pensamento. Só não sei até quando.

         Agradeço a visita e os comentários e desejo boa viagem aos leitores.

Em tempo: este blog não integra nenhuma associação disfarçada de incentivos à monetização. Mas se um dia fundarem a ABBLI (Associação Brasileira de Blogs Livres e Independentes), por favor, me convidem!

#blogsemjaba

COMENTÁRIOS
RSS - Quer subscrever?
AddThis Feed Button

Share/Bookmark

VIAJE neste blog

Fotos de viagens
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« Tailândia: Bangkok,Hotel Shangri-La | Main | Tailândia: Bangkok, os Tuk-tuk, taxi-riquichás-kamikaze »
Sábado
Mai032008

Tailândia: Bangkok - O Chao Phraya River Tourist Boat

               O Chao Phraya River tourist boat leva os visitantes a um circuito por nove piers localizados à margem do Rio Chao Phraya, os quais dão acesso às mais importantes atrações tuirísticas das redondezas. Na relação abaixo estão os piers mais úteis para o turista e também o que se vê de importância histórica ao longo do percurso pelo rio.  Comece seu tour em Bangkok pelo Sathorn Pier - ou Central Pier - que fica convenientemente localizado abaixo da Estação Taksin Bridge do Skytrain . O pier, assim como a rua, têm o nome Sathorn em homenagem a Luang Sathon Rachayutt, título dado a um chinês imigrante que construiu a Sathorn Road e o Sathorn canal, em 1892.

BANGKOK%20AA%20%20Blog%20%20RIO%2001.jpg

               O Pier 1, Oriental , fica próximo ao Oriental Hotel que tem origem em 1865 e ficou famoso por ser citado por escritores como Joseph Conrad, Somerset Maugham, John Le Carre, James Michener e Ian Fleming.  Depois do Oriental Hotel, o Chao Phraya River Tourist Boat passa por três edifícios muito antigos na margem direita do rio (para quem está “subindo” em direção ao Pier Phra Arthit, de número 13). Os portugueses foram os primeiros europeus na Tailândia. O primeiro deles é a Embaixada de Portugal - a mais antiga embaixada de Bangkok - fica bem próxima ao Rio Chao Phraya antes do Pier Si Phraya. O segundo prédio é a Igreja do Sagrado Rosário, católica, construída pelos mesmos portugueses em 1786 em um terreno doado pelo Rei Rama I, quatro anos depois de Bangkok ter sido estabelecida como Capital. O terceiro prédio é de 1906, o Siam Commercial Bank, primeiro da Tailândia, construído durante o reinado de Rama V, cujo projeto foi desenhado pelo arquiteto italiano Annibale Rigotti.

BANGKOK%20AA%20%20Blog%20%20RIO%2003.jpg

                NO próximo pier, o número 3, Si Phraya, fica a primeira rua construída no bairro de Rattanakosin - ou Bangkok Antiga -, a Charoen Krung Road, construída em 1861 durante o reinado do Rei Mongkut (ou Rama IV), aquele do filme Anna e o Rei. Os consultores europeus contratados pelo rei para projetarem esta avenida constataram que não havia uma rua apropriada aos cavalos e às carruagens reais como as que havia na Europa. A Charoen Krung - ou “Cidade Préspera” - começava no Wat Pho e no Grand Palace e se extendia por 8,5 km, passando por fora das muralhas da cidade, até Dao Khanong, ao sul da cidade. Ainda que seja a mais antiga avenida do bairro, seu nome não oficial em inglês é New Road. A região de Si Phraya River City é uma área comercial famosa na cidade por abrigar grande quantidade de antiquários e de artesanato e roupas de seda.  NO Pier 5, Ratchawongse, salte se quiser ir a Chinatown Bangkok, a área da comunidade chinesa. Siga a Yaowarat Road, construída em 1782 quando o Rei Rama I estabeleceu a Capital do reino em Bangkok. Os chineses originalmente viviam antes disso na área onde hoje fica o Grand Palace. O rei doou novas terras aos chineses para estabelecerem-se em Yaowarat.

BANGKOK%20AA%20%20Blog%20%20RIO%2002.jpg

              A próxima parada do Chao Phraya River Tourist Boat é no pier 6, Memorial Bridge Pier - ou Phra Buddha Yodfa - nome oficial em Thai, que é o título formal do Rei Rama I. O povo local chama esse pier de Saphan Phut, mas o nome Memorial Bridge é em referência à primeira ponte construída sobre o Chao Phraya, em 1932. A próxima ponte é a Phra Pok Klao. O Monumento ao Rei Rama I fica nas proximidades do pier. Outras atrações que se tem acesso or este pier são o Pak Klong flower market, e o bairro indiano, chamado de Pahurat - ou Little India.   NESTA altura, na margem esquerda do rio Chao Phraya, também fica Thonburi, a antiga Capital do Reino do Sião, que antes de ser transferida para o outro lado (onde estamos), Bangkok, teve um único rei que lá viveu, o Rei Taksin. A cúpola da Igreja de Santa Cruz pode ser vista através dos telhados das casas da antiga comunidade que vive naquele lado do rio. Esta igreja foi construída pelos portugueses em 1770, durante o reinado de Taksin. Próximo e ao lado desta igreja fica o templo Wat Kanlayanamit, um dos mais novos de Bangkok, construído pelo Rei Rama III, que reinou de 1824 a 1851. Próximo aos muros brancos do Forte Vichai Prasit, construído em 1688, pode ser visto o palácio do Rei Taksin. Todo o complexo pertence hoje à Marinha Real da Tailândia. Neste local ficam dois templos da antiga cidade de Ayutthaya, o Wat Arun (conhecido como Temple of Dawn), construído no século 17 durante o reinado do Rei Narai, e o Wat Rakhang, não muito visitado por turistas, mas extremamente popular entre os locais. Wat Arun e Wat Rakhang estão entre nove templos que os tailandeses visitam em ocasiões religiosas e festejos especiais. O nome rakhang, que em thai significa sino, provém de um sino encontrado durante a escavações para a construçõ deste templo.

BANGKOK%20AA%20%20Blog%20%20RIO%2006.jpg

               AGORA o Chao Phraya River Tourist Boat atracará no pier número 8, Tha Tien, dá acesso ao templo Wat Pho – o Templo do Buda Deitado -, um antigo templo de Ayutthaya. No passado, esta área abrigava o Mercado Tha Tien , uma das comunidades mais importantes da região de Rattanakosin. De 1782 a 1868 nesta área havia um palácio de um príncipe que sofreu um incêndio durante o reinado de Ramam IV, tendo sido transformada num local para abrigar um foro internacional e lugar para hospedar visitantes estrangeiros oficiais. As construções ainda guardam resquícios decorativos e características arquitetônicas da época, e que podem ser vistas nas áreas de Tha Chang e Na Phra Lan. Tha Tien , em thai, significa plano e limpo.  DEPOIS do pier 8 vem o Pier Maharaj – ou Pier Turístico - o mais turístico deles porque a partir dele se chega ao templo Wat Mahathat, ao Grand Palace, ao Templo do Buda de Esmeralda, na parte antiga da cidade, Rattanakosin.

                O Pier 10, Wang Lang, (ou pier Siriraj) fica na margem esquerda do rio, em Thonburi e leva o nome do Siriraj Hospital, o primeiro hospital público da cidade, construído em 1888 pelo Rei Rama V, e tem o nome de um de seus filhos, Siriraj, que morreu muito jovem. Neste hospital fica o Siriraj Medical Museums.   NO pier número 13 Phra Arthit (ou Banglampu) o Chao Phraya River Tourist Boat retorna ao início do circuito, fazendo o trajeto contrário. Você pode saltar aqui e caminhar até o Fort Phra Sumen, uma fortificação antiga de Bangkok construída em 1783 durante o reinado do Rei Rama I, um dos dois fortes remanescentes nesta área da cidade.

BANGKOK%20AA%20%20Blog%20%20RIO%2008.jpg

                 O Chao Phraya River tourist boat funciona diariamente de 9:30 às 15:00 horas, partindo a cada 30 minutos do Pier 1, Sathorn. Um passe diário custa 100 baht e permite viagens ilimitadas. Bilhetes unitários podem ser adquiridos do Sathorn Pier a qualquer outro pier do percurso. Os nomes alfa-numéricos dos piers ajudam a não esquecer o nome de cada pier. Os bilhetes são vendidos nos seguintes piers: Sathorn, Maharaj e Phra Arthit, assim como nas estações Siam, Nana e Taksin Bridge do BTS (Bangkok Transit System). Também é possível adquirir bilhetes num dos Tourist Information Centers da cidade. ATENÇÃO: Lembre-se de que se perder o último barco ( 15.30 - Phra Arthit ), há a opção do serviço regular de barcos Chao Phraya River boat a cada 20 minutos, até 18:40 h.

__________________________________________________

Time Table do Chao Phraya Tourist Boat

do Pier (1) – Sathorn – ao Pier Pier (9) - Phra Arthit

Pier / Viagem (saídas cada 30 min.)

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

1.

Sathorn Pier

Central Pier

09.30

10.00

10.30

11.00

11.30

12.00

12.30

13.00

13.30

14.00

14.30

15.00

2.

Oriental Pier

Pier 1

09.33

10.03

10.33

11.03

11.33

12.03

12.33

13.03

13.33

14.03

14.33

15.03

3.

Sri Phraya Pier

Pier 3

09.36

10.06

10.36

11.06

11.36

12.06

12.36

13.06

13.36

14.06

14.36

15.06

4.

Ratchawongse Pier

Pier 5

09.40

10.10

10.40

11.10

11.40

12.10

12.40

13.10

13.40

14.10

14.40

15.10

5.

Memorial Bridge

Pier 6

09.44

10.12

10.42

11.12

11.42

12.12

12.42

13.12

13.42

14.12

14.42

15.12

6.

Tha Tien Pier

Pier 8

09.47

10.17

10.47

11.17

11.47

12.17

12.47

13.17

13.47

14.17

14.47

15.17

7.

Maharaj Pier

Pier Turístico

09.52

10.22

10.52

11.22

11.52

12.22

12.52

13.22

13.52

14.22

14.52

15.22

8.

Wang Lang Pier

Pier 10

09.54

10.24

10.54

11.24

11.54

12.24

12.54

13.24

13.54

14.24

14.54

15.24

9.

Phra Arthit

Pier 13

10.00

10.30

11.00

11.30

12.00

12.30

13.00

13.30

14.00

14.30

15.00

15.30

                                             

 

Reader Comments (15)

Arnaldo

Sua série e fotos continuam cada vez mais interessantes!

17:42 | Unregistered CommenterErnesto

ERNESTO, obrigado, mas prepare-se, eu estou reduzindo drásticamente, severamente mesmo a qualidade do blog porque tenho tido diversos leitores que afirmam que o blog demora demais a carregar. NÃo colocarei mais tanto texto, tantas fotos. Não colocarei mais filmes e tantos links. Não colocarei mais utilitários. Reduzirei o número de aplicativos. farei um banner únioco, não mais temático e bem menor. Reduzirei um pouco as dimensões das colunas. O texto será mais superficial e muito menor. Também reduzirei a frequência de matérias (da média de 7 a 10 dias para 20 a 30).

Estive trocando LONGAS conversas com Rodrigo Purish aventando até a possibilidade de parar com o blog, porque se é pra fazer coisa superficial com uma ou duas fotinhas prefiro não fazer. e parece que é isso que o "mercado" tem pedido. A Lucia Malla também deu sugestões e "toques" a esse respeito (quanto ao peso das fotos).

Em primeira mão (ou segunda, se considerar que o Rodrigo é o primeiro, mas foi em off) vc que está entre os mais assíduos frequentadores, o que SEMPRE comenta e elogia, saiba que há enormes possibilidades do blog sair do ar, de eu eventualmente parar de esrcever (o que deve ocorrer até março de 2009, quando termina meu pagamento anual (que poderia ser renovado, claro). Eventualmente poderei migrar para uma coisa mais simpleszinha e limitadinha como o Wordpress, mas não creio que eu me satisfaça em ter prazer de ser "mais um".

Estou muito desmotivado a continuar tendo que reduzir tanto assim a qualidade e o conteúdo e passar a ser apenas mais um bloguinho da blogosfera com um textinho e umas fotinhas.

Ter tanto trabalho e ter tanta frequência (a visitação de "unique visitors" deste blog está entre 4 e 5 mil por dia!), pesquisar tanto, escrever com maturidade, seriedade e profundidade, sem aquela superficialidade que se vê por aí na blogosfera com duas fotinhas, mais parecendo uma sala de bate papo do que um blog "guia-relato" de viagens, não é nem nunca foi o objetivo do blog.

Depois, do jeito que está, estou numa "escravidão branca" (termo usado pelo Rodrigo para definir algo semelhante pelo qual ele está passando, a quem considero muito, e julgo que nós temos os melhores blogs de viagens de toda a blogosfera), difícil pra quem já tem uma atividade profissional que me toma bom tempo e para eu que viajo entrre 4 e 6 vezes por ano.

E também parece que uma considerável parte dos que acessam a Internet o fazem ainda por conexão discada ou banda larga 'meia bomba', o que de fato dificulta MUITO a leitura e o acesso ao blog. E ISSO é o "mercado", não dá pra fugir dele. Ou me adapto a ele ou saio dele.

Infelizmente as pessoas nÃo querem ler textos longos, querem ver fotos, meia dúzia de links, seis linhas de texto e pedirem dicas na caixa de comentários.

E pra escrever superficialmente, ou seja,num estilo pra parecer "moderninho" como algumas revistas especializadas e sites de turismo, não vai me dar a satisfação que almejo. Portanto, o fim do FATOS & FOTOS deverá ser mesmo minha opção.

Grande abraço, amigo. e não estranhe a "pobreza" daqui por diante!

Arnaldo, em outra ocasião comentei contigo sb a demora em abrir o blog.
Hoje, na mesma maquina ( que sempre uso ) foi super rapido !
Se quiseres resolver o problema de todos , não vais resolver o de nenhum.
Se desejares agilizar a conexão, creio que podes ( talvez mudando de provedor ?) colocar links para fotos e textos mais detalhados , deixando a pagina inicial mais livre e rapida para abrir .
Abraços ! Fotos liiindas :))))

SYLIVIA, bom "ver" você por aqui. Aliás, MUITO bom seu comentário e sua visita. OBRIGADO

Arnaldo, pelamordedeus, não nos prive do Fatos & Fotos, nem da qualidade e quantidade dos posts e das fotos! Embora eu não seja muito de comentar, sou frequentadora assídua do blog, estou A-M-A-N-D-O conhecer Bangkok pelas suas lentes e pelos seus relatos e, além disso, (sendo bem egoísta, confesso), não gostaria de perder "o que vem por aí em 2008" e nem os "projetos de viagem para 2009".

12:46 | Unregistered CommenterLuisa

Arnaldo

Li seu ultimo recado!

Bem acho que eu, como todos os seus fãs vão ficar muito, mas muito tristes, mesmo! Em todo o caso, com certeza valeu pela amizade, pelas boas viagens, e por tudo. Como e um hobby, acho que voce deve fazer se dá prazer, se gosta e se curte, Tudo que é obrigação, não vale a pena, pois ai fica como aquelas viagens longas de carro, onde voce começa se achando o Ayrton Senna, e no fim se sente como um caminhoneiro. Em todo o caso, eu tenho certeza de que o blog, e tudo o que ele te proporcionou foram uma experiencia poistiva e unica na sua vida. E, vamos continuar conversando, e nos reunindo, com certeza!

Quanto ao problema técnico, acho que cada vez mais a banda larga e em maior velocidade, será o padrão, e isto vai se resolver por si. Quanto aos seus textos, creio que a maioroia dos leitores o adora, e não ha o que modificar.

Em qualquer caso, fica a minha amizade, e o meu agradecimento, e o reconhecimento.

13:17 | Unregistered CommenterErnesto

Seu blog é sensacional,muito bem escrito, imagens lindas e ótimas dicas.

Estou começando um blog sobre intercâmbio, do ponto de vista da mãe. O pessoal da área tem gostado.

Apareça lá!

Um grande abraço e parabéns!!!

Obrigada Arnaldo por ter me indicado a sua visitante Diana.

Atendi também 5 brasileiros de São Paulo, mas ainda não sei quem indicou a uma agência de turismo, os funcionários da agência não deram esta informação.

Segue meu Blog,(http://guiadubaiblogspot.com) me inspirei em você!

Envie uma mensagem de email com idéias de modificação, estou super aberta a sugestões! Afinal este blog pode ajudar aos turistas que estejam precisando de um guia que fale português em Dubai.

abraços.

Arnaldo, sou um grande fã do blog tal como ele é, e exactamente por ser MUITO diferente dos outros em relação ao estilo, tamanho dos posts, rigor, qualidade das imagens,... se há pessoas que se queixam certamente não estão no lugar certo, e há centenas de blogs como elas pretendem que o seu se torne. Portanto, o meu voto é para que continue com este "nicho de mercado", as audiências falam por si!
Abraço,
José Godinho

15:59 | Unregistered Commenter

ZÉ, agradeço com muito entusiasmo seu comentário, seu incentivo, seu apoio e, especialmente, seus elogios.


MUITO grato, e por favor, NÃO deixe de comparecer e saiba que MUITO mais do que a audiência, os comentários são o maior incentivo ao blogueiro.

Grande abraço

SOLANGE BARROS, tentei entrar no seu blog e NADA aconteceu.

Arnaldo, eu adoro o mar e gosto dos barcos. Seguro que eu desfrutaría do viagem em barca em Tailandia.
Em Brasil eu gosto dos meus viagens em barcas o em transbordantes: em Morro de Sao Paulo, em Itacaré, em Arraila d'Ajuda, em Salvador...tantos e tantos lembranças.
Bonitas fotos e um grande abraço.
Carmen

4:48 | Unregistered CommenterCarmen

CARMEN, eu já não sou muito fã de barcos, mas nada é mais prático e interessante do que esse meio de transporte em Bangkok. Também gostei MUITO de um passeio que fiz a Ayuthaia (indo de ônibus e retornando de barco), vendo as populações ribeirinhas, as casas em etilo clássico tailandês, os templos e os pequenos portos das embarcações de trsnsportes coletivos. Tem-se uma visão bastante diferente daquela que se observa em terra e foi extremamente agradável o passeio, que recomendo vivamente a quem for a Bangkok.

Aliás, haverá uma matéria (bem enxuta curtinha, como será o novo FATOS & FOTOS de Viagens daqui por diante) só para a interessante cidade antiga de Ayuthaia.

Muito grato por sua visita e por seus sempre gentis e simpátios comentários. Volte sempre!

ONTEM DIA 12 DE JULHO DE 2008 FUI VISITAR A IGREJA DE SANTA CRUZ, EMBORA CONHEÇA E VIVA EM BANGKOK À MAIS DE 35 ANOS, FOI A PRIMEIRA VEZ QUE VISITEI ESTA SINGULAR E BELA IGREJA, EMBORA CONHEÇA A IGREJA DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA EM DIN DAENG - BANGKOK.

O MOSTEIRO QUE FALA WAT KANLAYANAMIT, QUE FICA PERTO DA IGREJA DE SANTA CRUZ NÃO FOI OBRA DO REI RAMA III.

GOSTEI DO SEU ARTIGO EMBORA PODERIA TER COMPLETADO COM A FOTO DA IGREJA.

Obrigado pela correção, ANTÔNIO CAMBETA. Gostei da correção mas poderia ter completado com da informação de quem mandou contruir a igreja.

Não coloquei a foto porque nãoe stive defronte à igreja, não fiz fotos dela.

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.