CONHEÇA O AUTOR

 

         Depois de estabelecer-se na Internet - em 1999 - escrevendo relatos de viagens em sites relacionados com o tema, e em 2006 ter fundado o blog Fatos & Fotos de Viagens - um dos pioneiros da blogosfera de viagens - Arnaldo foi convidado a colaborar com matérias na Revista Viagem & Turismo, da Editora Abril e, agora, prepara o lançamento de seu primeiro livro - "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia" - ingressando, assim, na literatura de viagens com um livro encantador, segundo o autor, o primeiro de uma série de pelo menos quatro que já planeja produzir, dois deles em plena fase.

Assim o autor define esta sua nova fase:

             Livro é coisa séria. O que o leitor encontrará em "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia" é diferente do que lê aqui no blog. Da narrativa ao estilo. Em vez de apenas uma "conversa" com o leitor, baseada na informalidade, o livro mistura traços desta coloquialidade e informalidade com os de uma escrita literária. Sobretudo com profundo respeito à arte de escrever. Passo a ser um escritor, o que nada mais é do que uma outra maneira de me expressar sobre viagens e de transmitir ao leitor minhas impressões. Segundo o poeta e ensaísta norte-americano Henry David Thoreau, "Muitos homens iniciaram uma nova era na sua vida a partir da leitura de um livro". A partir deste meu primeiro livro escrito, considero ter ingressado numa nova, deliciosa fase em minha vida. 

             Por bom tempo - antes de me decidir por publicar um livro - meu lado esquerdo do cérebro brigou com fúria contra o direito até certificar-se de que o leitor teria nos meus livro não os textos que escrevi no blog, porque, entre outros motivos, livro é coisa séria, e ninguém (ninguém de verdade!) merece ler posts de blogs reproduzidos em livros, especialmente textos efêmeros, perecíveis, descartáveis ou preocupados em agradarem "o mercado" e a blogosfera. Felizmente, ao que parece, posts continuarão restritos aos blogs e livros a serem livros. O tema da viagem parece ainda não ter-se banalizado na literatura universal, nem ter-se rendido às formas diversas da monetização.

           Minha ascensão na escrita de viagens com este trabalho literário não é exatamente uma novidade. Ainda que recentemente eu tenha notado a mente lampejar com a ideia: tornar-me um escritor de viagens. Todavia, ela sempre me rondou. Mesmo que a alguma distância. Não foram poucos os amigos, parentes e leitores do blog que há mais de dez anos recorrem à pergunta: “Por que não escrever um livro?”

Gente que escreve e encanta, fala sobre o autor:

Haroldo Castro:

            "Arnaldo é um dos viajantes equilibrados e sensatos que se lança escritor, o que, num Brasil de pouca leitura e onde a Literatura de Viagem não chega a ocupar meia estante nas livrarias, conta histórias que servirão de grande subsídio para qualquer leitor, além de ajudar a romper os preconceitos de que a África só oferece guerras, doenças e fome. Infelizmente, a riqueza cultural e natural do continente é quase sempre tão abafadas por notícias negativas que considero este livro um raio de luz na região."

Jornalista, fotógrafo, autor de “Luzes da África”, indicado para o Prêmio Jabuti na categoria Reportagens

Ronize Aline:

             "Minha opinião sobre o autor está refletida na resenha que escrevi de seu livro "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia": ele escreve com o coração e demonstra respeito por tudo o que viu. Este livro, mais do que o relato de uma viagem à Etiópia, é uma viagem rumo a uma experiência de imersão e contemplação do outro. É como olhar para o diferente sem estranhamento ou indiferença."

Escritora, tradutora, jornalista, professora universitária, crítica literária do jornal O Globo, do Rio de Janeiro

Rachel Verano

             "Neste livro, Arnaldo tem o poder de nos transportar a um dos cantos mais fascinantes e ainda intocados do planeta. Mas de maneira ao mesmo tempo delicada e profunda, pessoal, criando intimidade com os personagens, deixando o leitor perceber cheiros, sabores e sentir as emoções de suas descobertas. Do peso do ar à alegria de dobrar a esquina, o autor consegue transmitir todo seu fascínio de estar diante de algo realmente novo."

 Jornalista das revistas Viagem & Turismo, Veja, VejaSP, Glamour, TAM e Vamos/LATAM

Davi Carneiro

             "Há uma frase atribuída ao grande viajante do século 14, talvez o maior escritor-viajante de todos os tempos, Ibn Battuta: “Viajar, primeiro te deixa sem palavras, depois te transforma num contador de histórias.” Suspeito, caro leito, ser este o caso do Arnaldo, um autêntico viajante que vem se mostrando, cada vez mais, um talentoso contador de histórias. Conheço-o e o sigo desde 1996, através do seu blog, aquele que, na minha opinião, é um dos melhores de viagens da internet brasileira, tanto pela excelência fotográfica quanto pela qualidade dos textos. Com um currículo andarilho de respeito (mais de 60 países, entre eles Quirguistão, Miamar, Irã e Uzbesquistão), Arnaldo tem o mérito de ir na contramão da blogosfera profissional e monetizada: de maneira simples, autêntica e independente, preza, principalmente, a credibilidade e a confiança de seu leitor." 

 Escritor, jornalista e colaborador de diversas revistas nacionais e estrangeiras

 


COMENTÁRIOS
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« Tailândia: Bangkok, "Walking Tour" pela Royal Avenue | Main | Dia dos Namorados 2008 »
Sábado
Jun142008

Tailândia: Bangkok, "Walking Tour" do Marble Temple

          BANGKOK%20Blog%20Marble%20Temple%2001.jpg

Wat Benchamabophit (Templo de Mármore)

PERTO no final norte da Ratchadamnoen Nok Avenue no ponto em que ela encontra a Si Ayutthaya Road, comece este tour, que tem vários pontos relativamente próximos, relacionados com a época do Rei Chulalongkorn, ou Rama V - que governou de 1868 a 1910 - e que contribuiu imensamente para o desenvolvimento do bem-estar social da nação tailandesa. A partir da estátua equestre do Rei King Rama V, vire à direita para a Ayutthaya Road e caminhe reto até encontrar à direita o Marble Temple ou Wat Benchamabophit, construído por aquele rei em 1899.

BANGKOK%20Blog%20Marble%20Temple%2004.jpg

A primeira atração é este templo belíssimo construído em mármore de carrara branco, daí seu nome popular, Templo de Mármore. No interior do templo, um relicário abriga a imagem sagrada de Buda - Phra Phutthachinnarat – réplica da estátua original do período Sukhothai (1238-1438) que fica no Wat Mahathat, em Phitsanulok, uma província ao norte do país. Há muitas coisas interessantes a serem observadas aqui, como por exemplo as estátuas de Buda em diferentes posturas e estilos, ou as outras pequenas construções do complexo, especialmente a bela ponte em arco e ricamente decorada, Saphan Phra Rup .

BANGKOK%20Blog%20Marble%20Temple%2005.jpg

DEPOIS de admirar a beleza do templo com toda sua elegância e equilíbrio arquitetônico e ornamental, volte ao ponto inicial, ou seja, à estátua equestre, e cruze a Phitsanulok Road. Em frente a você estará a estátua e atrás dela Equestrian Statue – com um magnífico domo – o Ananta Samakom Hall, edifício construído também na era do Rei Rama V e que faz parte do complexo chamado Dusit Palaces.

BANGKOK%20Blog%20Marble%20Temple%2014.jpg

Construído com doações do povo, foi executado em mármore pelo rei para receber hóspedes do Estado e abrigar eventos oficiais, já tendo abrigado a Assembléia Nacional. É um edifício imponette que faz lembrar o Capitólio de Washington, DC, nos Estados Unidos. Atualmente serve apenas para eventos importantes de Estado e cerimônias reais. A oeste do Ananta Samakom Hall fica o Ambara Garden (Suan Amporn) enorme área onde são realizadas feiras e exposições.

BANGKOK%20Blog%20Marble%20Temple%2016.jpg

SIGA a Uthong Road até a estátua equestre e veja o Parliament Building, defronte ao qual há uma estátua do Rei Rama VII, que reinou de 1925 a 1935, o qual deu à nação a sua primeira constituição moderna, em 1932.

BANGKOK%20Blog%20Marble%20Temple%2019.jpg

NO lado oposto à rua fica o Dusit Zoo, em cujas redondezas há lugares tranquilos e sombreados, bons para um descanso depois de toda essa caminhada sob o sol e o calor típicos de Bangkok. No interior do Zoo você pode, além de ver animais em grande variedade, fazer um passeio de barco pelo lago. Se não quiser entrar, vá em direção à Vimanmek Mansion, que já foi palácio do Rei Rama V e hoje é um museu. Considerando que esta por si é uma atração para dispender bastante tempo, em razão de seu acervo de antiguidades e por sua belíssima arquitetura, sugiro deixá-lo para uma visita na parte da manhã e com mais calma.

BANGKOK%20Blog%20Marble%20Temple%2007.jpg

MAPA da área ( Map : Bangkok Metropolis Area A )

http://www.thaiwaysmagazine.com/bangkok_map/bangkok_map_metro_area_a.html

_____________________________

Próximos Capítulos:

Walking Tour do Marble Temple ( Wat Benchamabophit) e do Dusit Zoo

Reader Comments (6)

Ano que vem faço minha primeira volta do mundo e, felizmente, para alguns destinos conto com teus posts como preparação. É tudo tão lindo e perfeito que chego a sonhar, minha viagem tem tudo para ser maravilhosa com a super ajuda do teu blog. Obrigada!!

12:11 | Unregistered CommenterGísela

Oi Arnaldo! Adorei o marble temple também quando estive lá. E ainda no fim da tarde tivemos o prazer de ouvir os tantras dos monges. MARAVILHOSO!

9:11 | Unregistered CommenterRegina

Arnaldo Maravilhoso, como sempre, uma viagem compartilhada com todos nos os seus fãs.

8:21 | Unregistered Commenterernesto

Marble Temple eu não conhecia, mas as suas fotos dizem tudo!!!
Acabei de retornar de Pequim, onde visitei os principais pontos turísticos, templos, palácios, mas a Tailandia depois do Japão, ainda continua sendo disparado a minha preferida aqui na Asia.
Obrigada por compartilhar suas viagens conosco. Abracos

21:29 | Unregistered CommenterNeide

sensacional! as fotografias são lindas e o blog está de parabéns!
abraços!

15:33 | Unregistered CommenterAmanda

Muito impressionante olhar a estátua de pedra (ou do mármore, eu nã sei). Dá medo, sirve como objeto dissuasor e cumpre o seu objetivo a perfeição!.
Beleza de fotos! Cores e mais cores. É uma verdadeira orgia pra os sentidos!!!
Adoré os budas. Há muitos diferentes.
Parabéns

13:25 | Unregistered CommenterCarmen

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.