MENSAGEM ao LEITOR
CONHEÇA QUEM ESCREVE

BEM-vindo ao Fatos & Fotos de Viagens, um blog sem jabá e não vulgar

        EXISTE no viajar e no escrever relatos de viagens um terreno fértil para demonstrações de arrogância. É algo simplesmente disseminado. Tanto no mundo virtual quanto na literatura. Mas o que o maravihoso mundo da viagens precisa é de mais viajantes humildes, não de "especialistas" caga-regras que determinam de tudo: desde como arrumar sua mala ao único tipo que você deve comprar, do lugar que você tem que ir, caso contrário sua viagem será uma merda. Nunca tão maravilhosa como a dele. As classificações dos lugares também. Tem sobrado superficialidade a egocentrismo. Autores assim não percebem que tudo é muito subjetivo e pessoal, que a experiência e o prazer de alguém não será necessariamente igual ao de outro.  Sobretudo as necessidades.

      A blogosfera "profissional e "monetizada" vulgarizou-se e tornou-se banal. Carecemos de gente que escreva para motivar e inspirar, para alargar horizontes, de viajantes que "mostrem" os lugares em vez de "ensinarem" a viajar. Moderadamente, ponderadamente, sem afetação típica de deslumbrados que viajam pela primeira vez em classe executiva e precisam espalhar para o mundo em resenhas risíveis. Ao contrário, a blogosfera

       ESTE blog, ao contrário, não fez concessões à vulgarização dos blogs depois da "profissionalização" e da monetização de alguns. Ao contrário, este é um blog singelo, simples, pequeno, inexpressivo na blogosfera, não despesperado por audiência nem seu autor se dedica mais à sua divulgação nas redes sociais do que à escrita. Tento dar graça à leitura e consolidar algo que prezo muito: confiabilidade, credibilidade.

        COMECEI a viajar tarde, você sabe. Por falta de dinheiro. Até que um dia viajei pela primeira vez ao exterior. Eu tinha 35 anos. Fui assim apresentado ao então desconhecido mas fabuloso mundo das viagens. Jamais, todavia, pensaria visitar mais de 60 países, alguns muito improváveis à época. Irã, Uzbequistão, Myanmar, Etiópia, Quirguistão entre eles. Mas foi recentemente que compreendi que as viagens ficam pra sempre, não as coisas. E que é por esse mundo ser tão diverso, por cada país ser tão diferente, que me parece tão atraente e divertido.

       NÃO sou escritor profissional. Tampouco jornalista. Mas invejo esses profissionais por dominarem o idioma, a gramática e as palavras.  Ainda assim, faço meu melhor, meu caro, estimado, raro e precioso leitor. Então, peço-lhe que considere algo: que mesmo escrevendo com sensibilidade e responsabilidade, incorro em erros. Se quiser, aponte-os. Tanto gramaticais quanto de digitação. Como tenho revisor profissional, antes de publicar dou curso a incansáveis revisões. E também submeto-os ao crivo de minha esposa. Ainda assim, alguns nos escapam.

      SOU brasileiro, empresário e casado com a Emília do blog "A Turista Acidental" e desde que a conheci (e antes mesmo de nos casarmos), tornou-se a "mais-que-perfeita" companheira de vida, de idéias, de projetos e ideais, sobretudo encantadora, adorável e inspiradora companhia de viagens e de aventuras. Com ela compreendi o que significa "prazer de viajar". Foi (e continua sendo) minha melhor fonte de inspirações e de motivações. Tanto que qualifico minhas viagens como "antes e depois" da Emília e "antes e depois" da Índia. Foi com ela que percebi o que quis dizer Érico Veríssimo com "Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado certamente chegará mais longe." Somos pais de gêmeos - uma menina e um menino - nascidos em julho de 2015, e de um filho de 34 anos do meu primeiro casamento, em quem o gosto pelas viagens pareceincorporado. Não sou avô, mas as coisas estão bem encaminhadas neste sentido.

       HOJE com 64 anos (boa parte deles dedicados à família e ao trabalho), foi apenas aos 35 que pude começar a viajar internacionalmente. Desde então visitei 61 países, entre os quais alguns dos mais fascinantes e com os sítios mais admiráveis do planeta. Felizmente, para alguns deles ainda a salvo do turismo de massa, cujos excessos arruinam qualquer lugar. Em março de 2006, quando iniciei este blog, o fiz como meio de comunicação com a família e amigos. Anos mais tarde eu descobri o poder de contar histórias em textos e fotografias, e logo ele tomou outro rumo, provavelmente porque os leitores gostavam dos textos e das fotos, ou então porque na época havia pouquíssimos blogs.

       FIZ cerca de 90 viagens internacionais, voei por 40 cias. aéreas diferentes (algumas extintas) em 391 vôos para fora do Brasil e dentro de outros países e em todas as classes possíveis. Segundo Haroldo Castro - jornalista-fotógrafo-escritor que já esteve em 160 países -, o maior viajante que conheço, em seu teste "Viajologia" que se pode fazer em seu site, que considera não apenas a quantidade de países visitados, mas lugares, monumentos e patrimônios, além de transportes, experiências e situações difícieis porque passam os viajantes, alcancei "Mestrado em Viajologia". Mas isso não é nada diante de gente que lá já "graduou-se" em pós-doutorado.

Escrevo este blog sob uma perspectiva lúcida e sem concessões à monetização sem critérios

        Eliminei o contador de visitas deste blog quando marcava mais de 6 milhões. Audiência hoje em blog é decadente. Viajar, escrever e publicar algo que inspire e icentive o leitor é o que mais me motiva. NUNCA como blogueiro interventor nas viagens alheias, ou caga-regras dizendo como alguém deve viajar e que tipo de mala usar e essas chatices que definem as pessoas homogeneamente.Parece ser o que traz os leitores até aqui. Ou porque gostem de fotografia, para além da leitura odepórica, como eu. E por este blog não ter captulado à ambição e vaidade que levou tantos autores de blogs à monetização sem critérios, sobretudo enganando leitores, cada dia torna-se menorzinho e menos importante. Se continuarem assim, os blogs precisarão ser reinventados. Este aqui nasceu livre e assim será até morrer. Por enquanto estou sempre por aqui. Nem que seja em pensamento. Só não sei até quando.

         Agradeço a visita e os comentários e desejo boa viagem aos leitores.

Em tempo: este blog não integra nenhuma associação disfarçada de incentivos à monetização. Mas se um dia fundarem a ABBLI (Associação Brasileira de Blogs Livres e Independentes), por favor, me convidem!

#blogsemjaba

COMENTÁRIOS
RSS - Quer subscrever?
AddThis Feed Button

Share/Bookmark

VIAJE neste blog

Fotos de viagens
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« Cruzeiro no Mediterrâneo: MAR à vista! | Main | Tailândia: Bangkok, "Walking Tour" pela Royal Avenue »
Sexta-feira
Jun272008

Tailândia: Hospedagem em Bangkok

               O layout da cidade pode confundir o visitante. Já no trajeto do aeroporto ao hotel a megalópole assusta pelas suas dimensões. É como ocorre em qualquer outra grande capital do mundo, só que Bangkok é um pouco mais difícil porque não tem exatamente uma downtown que facilita em termos de ponto-de-referência. Pode ser difícil à primeira vista localizar-se porque os inúmeros arranha-céus, o trânsito confuso e o complexo sistema de estradas e vias elevadas tendem a confundir. Todavia, depois que chegar ao hotel e estudar melhor o seu lugar, conhecendo basicamente os bairros turísticos da cidade, tendo um bom mapa e estudando o sistema de transportes públicos, tudo fica relativamente facilitado ao ponto de fazer com que Bangkok passe a ser como qualquer outra grande metrópole, até pelo fato de que em termos turísticos tudo se resume a bem menos bairros do que a grande Bangkok comporta.

bangkok-2-panoramic-20051211-242%20Shangri%20La.jpg

Foto National Geographic Traveler (http://www.nationalgeographic.com/places/enlarge/bangkok-2-panoramic.html)

O Hotel Shangri-la, no "Riverside" (na extrema direita) feita do Restaurante Sirocco (no topo do State Tower)

              ENCONTRAR um lugar para hospedar-se em Bangkok não é problema, pois há vasta opção de hospedagem em todas as categorias. Difícil é escolher, definir-se por que área ficar, uma vez que não há uma área turística central única tampouco uma downtown.

          EM linhas gerais, a maior parte dos hotéis de preços e categorias médios até os de luxo estão concentrados na Siam Square e na Ploenchit Road, assim como entre a Rama IV Road e a Charoen Krung Road (New Road), como também na Sukhumvit Road. Alguns dos ícones da cidade ficam ao longo das margens do Rio Chao Phraya, enquanto as chamadas budget accommodation ficam em Banglampoo e na Kao San Road e suas vizinhanças.

           COMO já vimos em capítulos anteriores, em termos de hospedagem as regiões para ficar em Bangkok são as seguintes: Chatuchak, China Town / Khaosan Road, Phetburi, Pratunam / Siam, Ratchadaphisek, Riverside (Rio Chao Phraya), Silom / Sathorn, Sukhumvit, Wireless / Ploenchit, além das áreas próximas aos dois aeroportos – Don Muang e Airport Suvarnabhumi. Como em qualquer cidade, o lugar e o hotel depende exclusivamente do gosto, da disponibiliade financeira, do estilo e das preferências em viagens de cada um. É algo absolutamente pessoal.

Mapa com os hotéis e Comentários

http://www.agoda.com/asia/thailand/bangkok/map.html

Resenhas (Tripadvisor)

http://www.tripadvisor.com/Hotels-g293916-Bangkok-Hotels.html

Resenhas e reservas com MAPA (Hotel Travel)

http://www.hoteltravel.com/thailand/bangkok/hotels.htm

            CADA área tem suas vantagens e desvantagens. A mais econômica - mas que mesmo nela tem opções muito interessantes - é a área da Khaosan Road, a região da hospedagem hiper econômica de Bangkok. Hiper-econômica porque comparativamente a outras cidades turíticas do mundo, Bangkok é uma das mais baratas. O estilo e o orçamento, o gosto e o propósito da viagem é que deverão ser primeiramente levados em conta anets de definir-se pelo lugar, depois pelo hotel: sightseeing, shopping, gastronomia, relaxamento e entretenimento são as questões mais fundamentais a serem pensadas antes de escolher o lugar, só depois a questão do transporte. Decida sua prioridade, dê uma olhada no mapa, verifique os preços praticados na cidade e depois consulte os endereços da Internet acima e abaixo. Lembre-se de tentar encontrar a página oficial do hotel escolhido, além daquelas vistas nas páginas de reservas e resenhas.

BANGKOK%20Hotel%20Shangri%20la%20001.JPG

 BANGKOK Shangri la Hotel

O que é um bom hotel econômico em Bangkok?

               COM centenas de guesthouses espalhados por várias regiões da cidade, Bangkok pode ser uma das cidades mais difíceis da Tailândia para escolher e decidir-se por um lugar econômico onde ficar. Ainda que a área da Khao San Road e vizinhanças seja a mais popular, outras partes da cidade oferecem um conjunto de boas justificativas para hospedar-se, porque não dizrr até maiores do que a rua paraíso dos mochileiros, que é extremamente movimentda com toda a sorte de níveis frequentadores. Assim, se quiser sair da horda de mochileiros da Khao San Road siga outros caminhos atrás de hospedagem econômica. A primeira coisa a decidir é o objetivo fundamental de sua viagem, ao que você dá maior importância, o que você mais rpetende fazer lá. Localização é um dos fatores primordiais em Bangkok para o sucesso ou não de sua viagem. Eu posso afirmar que o mantra que você deve cantar é “localização localização localização...” quando for procurar um lugar para hospedar-se em Bangkok, notadamente se for numa guesthouse, e o quanto você pretende gastar de tempo em locomoção e perder tempo no trânsito, ou seja, leve em conta ficar o mais perto ou ter a maior acessibilidade possível de sua área de interesse. Como já vimos, o sistema de transportes do metrô e do BTS não abrangem a área da Khao San Road.

Bangkok%2021%20Fev%202008%20Sexta%200755.jpg

BANGKOK Shangri la Hotel

Khao San Road (e vizinhanças) é boa para:

          QUEM quiser agito e heterogeneidade (ocidentais de todas as idades e classes, tailandeses idem);  programar viagens econômicas pra países vizinhos, conseguir vistos para esses países, conhecer outros mochileiros e compartilhar viagens, comer muita panqueca de banana, sair à noite até altas horas, arranjar hospedagem hiper barata, ficar com muito mais ocidentais do que tailandeses, fazer visitas ao centro histórico, ver gente com dread nos cabelos e garrafa de cerveja na mão, OBS. sem BTS ou subway, mas relativamente bom acesso ao Express River Boat.

Siam Square é boa para:

               COMPRAS, compras e mais compras, conviver com tailandeses, especialmente jovens e estudantes, comer bem e barato ao redor da Siam Square, hospedar-se em boas guesthouses, fazer turismo, ter fácil acesso ao BTS.

 Sukhumvit Road é boa para:

               COMPRAS e fazer roupas sob encomenda (alfaiatarias confiáveis), comer nos melhores restaurantes tailandeses e internacionais, experimentar um thai way of life executivo e de classes média e alta,  hospedar-se nas melhores guesthouses de Bangkok, não muito bom para fazer turismo, mas... facílimo acesso ao BTS e metrô (e ao Express River Boat).

 

Bangkok%2021%20Fev%202008%20Sexta%200731.jpg

BANGKOK Shangri la Hotel

_______________________________________________

Soi Ngam Dupli é boa para:

Esta região se assemelha à da Khao San Road e é sua precursora.

          TER fácil acesso à Silom Road e seus bares e restaurantes, ter boa comida tailandesa, ficar nas proximidades do Lumpini Park, ter facilidade de acesso ao BTS e metrô e hospedar-se em guesthouses de médio e baixo padrões.

Guesthouses recomendadas em várias regiões:

http://www.tripadvisor.com/Hotel_Review-g293916-d662825-Reviews-Baan_Sukhumvit_Inn-Bangkok.html

Resenhas específicas e especializadas para os hotéis da Khaosan Road

http://www.thebackpacker.net/travelhostels/thailand_bangkok/index.htm

HOTÉIS econômicos em Bangkok há dezenas. Alguns dos bem cotados são: Rambuttri Village Inn , Cozy Bangkok Place , Refill Now! , Hotel De Moc , HI Sukhumvit , Soi 1 Guesthouse , Urban house , The Urban Age , Discovery Lodge .

Hostel World - Hotéis econômicos em Bangkok e no mundo: camas desde US$ 7,00 por dia!

http://www.hostelworld.com/findabed.php/ChosenCity.Bangkok/ChosenCountry.Thailand

15 boas guesthouses com reservas online:

Bangkok Centre Sukumvit 25

http://reservations.bookhostels.com/travelfish.org/hostel.php?HostelNumber=15108

Bhiman Inn

http://r24.org/travelfish.org/bangkok/bhimaninn/

Buddy Lodge

http://www.hotels2thailand.com/bangkok-hotels/buddy-lodge-hotel.asp

 HI-Sukhumvit

http://reservations.bookhostels.com/travelfish.org/hostel.php?HostelNumber=14616

Hotel de Moc (antigo Thai Hotel)

 http://r24.org/travelfish.org/bangkok/thaihotel/

New World Lodge Hotel

http://r24.org/travelfish.org/bangkok/newworld/

 Sawasdee Bangkok Inn

http://r24.org/travelfish.org/bangkok/sawadeebangkok/

Sawasdee Banglampu Inn

http://r24.org/travelfish.org/bangkok/woraburiks/

Sawasdee Khaosan Inn

http://r24.org/travelfish.org/bangkok/sawasdeeks/

Sawasdee Krungthep Inn

http://r24.org/travelfish.org/bangkok/sawasdeekrungthepinn/

Sawasdee Smile Inn

http://r24.org/travelfish.org/bangkok/sawasdeesmileinn/

Shambara Boutique Hostel

http://reservations.bookhostels.com/travelfish.org/hostel.php?HostelNumber=7773

Thai Cozy House Bangkok

http://www.hotels2thailand.com/bangkok-hotels/thai-cozy-house-bangkok.asp

Tuptim Bed&Breakfast

http://reservations.bookhostels.com/travelfish.org/hostel.php?HostelNumber=22019

Viengtai Hotel

http://r24.org/travelfish.org/bangkok/viengtai/

PARA sightseeing, ou seja, para praticar turismo tradicional, ver a história, a cultura e visitar as mais destacadas atrações da cidade, sem levar aqui em conta o orçamento, provavelmente o lugar mais óbvio a ficar é nas margens do rio ou nas suas proximidades, onde os destaques são os seguintes hotéis: The Oriental , Shangri-La e o Bangkok Marriott ao longo das margens do Chao Phraya, com toda a facilidade de acesso ao Chao Phraya River Express Boats – a maneira super conveniente de se locomover dos hotéis até às atrações e ao bairro de Ratakonisin, área onde ficam o Grand Palace, Wat Po e o Buda de Esmeralda.

AINDA que a maior parte dessas atrações de Bangkok situadas no bairro histórico de Ratanakosin e vizinhanças, as quais não são servidas pelo BTS e MRT (trem elevado e metrô), isto não significa necessariamente que você tenha que ficar neste bairro ou perto dele, porque são facilmente alcançáveis pelo sistema de transporte do rio e pelo transporte público que vai até a área de Sukhumvit. Em resumo, tanto as margens do rio quanto Sukhumvit são adequadas ao sightseeing, portanto você ficaria bem num Sheraton Grande Sukhumvit ou num JW Marriott na Sukhumvit Road, pegando o BTS até o rio ou um táxi de uma estação até seu destino. Isso quer dizer que há hotéis de ótimo padrão também for a da área do rio mas que não custam tão caros quanto os de lé. Alternativamente, fique ao redor da Sathorn Road ou da Silom Road, cujos rpeços são um pouco mais baixos do que na área de Sukhumvit e muito mais baixos do que da área do Chao Phraya. Nesta área de Sathorn e Silom Roads os destaques são os hotéis Sofitel Silom , Dusit Thani e Banyan Tree , e deles você estará perto do Skytrain, onde indo até a estação Saphan Taksin estará num dos mais movimentados piers para pegar um barco.

Bangkok%2021%20Fev%202008%20Sexta%200769.jpg

CASO sua orientação seja compras e proximidades de shoppings, o que pode ser muito conveniente para comer e relaxar, ficando também perto do sistema BTS, as áreas de Silom, Suriwong, Ploenchit e Sukhumvit Roads também se aplicam. Daí em achar que Sukhumvit é a área que consegue reunir o maior conjunto de vantagens para hospedar-se. Hotéis como o Four Seasons e o Arnoma são os destaques nesta área e ficam próximos aos complexos comerciais Gaysorn, Erawan Bangkok e Central World Plaza. O Sheraton Grande Sukhumvit, o Novotel Lotus, o The Davis Bangkok e o The Westin Grande Sukhumvit têm fácil acesso aos shoppings ao redor da Sukhumvit, incluindo o chic e classudo Emporium. Para ficar perto do comércio popular lojas ao redor de Siam Square e também próximo aos ótimos shoppings MBK, Siam Discovery e Siam Centre, hospede-se no Pathumwan Princess Bangkok ou no Asia Hotel Bangkok.

A área da Khao San Road sem dúvidas terá opções de hospedagem econômica apropriada a várias faixas de orçamento econômico, do mochileiro ao descolado, e também para todas as faixas etárias. São muitas as opções, desde o Nanohra Hotel até o Viengtai Hotel . Lembre-se: na área da Khao San Road há muitas opções de hospedagem econômica com várias sub-categorias dentro da classificação “budget”.

Consulte a área de Hotéis Econômicos no Tripadvisor

http://www.tripadvisor.com/Hotels-g293916-c2-Bangkok-Hotels.html

Página com tudo sobre a Khao San Road

http://www.khaosanroad.com/

Phranakorn-Nornlen Hotel, unanimidade no Tripadvisor

http://www.phranakorn-nornlen.com/

O Phranakorn-Nornlen Hotel pode ser considerado uma pedra preciosa encravada a 20 minutos da Khao San Road, uma das avenidas mais populares de Bangkok. É hotel pequeno mas famoso por causa da simplicidade e tranquilidade, o que realmente atrai neste hotel e o diferencia de tantos de sua mesma categoria na mesma região. A revista The Guardian o incluiu em sua lista “ Bangkok’s top 10 quirky hotels ” (os 10 hotéis mais peculiares de Bangkok).

OS pequenos apartamentos de 3,5×4 metros têm banheiro privativo, o indispensável ar acondicionado, telefone e tocador de CDs, mas nõ têm TVs nos quartos. O café da manhã é especial, com apenas produtos orgânicos cultivados por agricultores locais, sem carnes e aditivos. Apartamentos a partir de 1.800 bahts (single) a 2.200 bahts (para duas pesoas). É proibido fumar em qualquer dependência do hotel.

A área da Riverside (Rio Chao Phraya) é a que tem os hotéis mais luxuosos de Bangkok, também com as melhores vistas, mas aidna que fique relativamente perto da parte antiga da cidade, fica meio fora de mão para a parte mais comercial, onde há ótimos shoppings, supermercados e restaurantes, além de longe do melhor sistema de transporte, o metrô e o trem elevado, e da vida noturna mais agitada.

Bangkok%2021%20Fev%202008%20Sexta%200725.jpg

BANGKOK Shangri la Hotel

SILOM é a área da Silom Road, considerado o principal bairro comercial da cidade, com bancos e corporações nacionais e internacionais, os mais famosos shopping centres, boa variedade de entretenimento e região também da famosa Patpong , a rua com os restaurantes populares e bares de shows de sexo ao vivo e de mercados populares. Ali ficam hotéis como o Narai Hotel , Oakwood City Residence , Silom City Inn Bangkok , Silom Serene , Silom Village Inn Bangkok , The Swiss Lodge, Unico Grande Silom Hotel , Trinity Silom e o Triple Two Silom Hotel .

Página de reservas de hotéis

http://www.bangkok.com/hotels/

A área de Sukhumvit, ainda que esteja relativamente longe das atrações mais visitadas (museus, palácios, templos), pelo fato de ser servida por metrô e o Sky Train, com paradas em shoppings e integração ao sistema de barcos que navegam pelo Rio Chao Phraya (decididamente a melhor maneira de se locomover em Bangkok), e a que tem os hotéis de redes internacionais, foi a área escolhida por mim. Numa comparação bem superficial, Sukhumvit seria a Manhattan de Bangkok.

É a área dos hotéis de 3, 4 e 5 estrelas com preços mais econômicos da cidade, das grandes redes. Um bom exemplo de luxo e conforto, localização e boa posição na avaliação geral de hotéis da cidade é o Sheraton Grande Sukhumvit, que entre outras coisas tem uma ligação exclusiva e privativa, elevada, com a estação Asoke do Skytrain e com as estações de Sukhumvit do metrô. Dele, a pé e por transporte público vcê pode alcancár shoppings e entretenimento fácil e rapidamente.

O hotel tem 33 andares, categoria 5 estrelas e preço de 4, o ótimo Grande Spa and Fitness Club, alguns bons restaurantes, sendo um italiano, e um tratamento básico de massagem e relaxamento muscular com óleos de tamarindo, cânfora e outras maravilhas relaxantes custa cerca de US$53,00.

O Sheraton Grande Sukhumvit ( http://www.sheratongrandesukhumvit.com ) fica no número 259 da Sukhumvit Road, Bangkok. 10110 e é um dos 13 hotéis recomendados pela revista Travel & Leisure.

A cidade tem também entrado na onda dos hotéis design, hotéis butique e hotéis conceito. Talves o mais destacável entre eles seja o sofisticado Lebua at State Tower (http://bangkok.lebua.com/), que além de charmoso, elegante e moderno, tem no seu topo um dos restaurantes mais indicáveis da cidade, o The Dome (http://www.thedomebkk.com/web/index.html).

O Rooms at Reflections (81 Soi Ari, Phaholyothin 7 Rd., Samsennai, Phayathai) - http://www.reflections-thai.com - custa em torno de US$65 por noite num studio e US$82 para um apartamento categoria superior, incluindo café-da-manhã.

Algumas boas opções de Hotéis Design em Bangkok

http://www.splendia.com/en/bangkok-hotels.html

CASO sua orientação seja vida noturna e entretenimento, fique na área de Patpong e hospede-se no Holiday Inn Silom , Narai Hotel ou no Pan Pacific , ou, então, na área de Sukhumvit Road, em hotéis como Bel-Aire Princess Bangkok or the Landmark Hotel ou num meio de hospedagem diferente, para temporadas maiores, no President Park Serviced Apartment .

VIAJAR com crianças a Bangkok pode ser um desafio. Mas se precisar ou quiser enfrentá-lo, tente um dos hotéis com orientação family hotels da cidade, especialmente os localizados próximos à infra-estrutura de transportes urbanos, entre eles os seguintes, que oferecem um conjunto de facilidades e serviços mais adequados para as crianças: Cape House Langsuan, o Asia Hotel Bangkok, o Holiday Inn Bangkok, o Imperial Queens Park Hotel e o Bangkok Marriott Resort & Spa.

Bangkok%2021%20Fev%202008%20Sexta%20AA01.jpg

Relação de alguns hotéis 5 estrelas de Bangkok

http://www.bangkok.com/hotels/5-star-hotels.html

Relação de alguns hotéis econômicos de Bangkok

http://www.bangkok.com/hotels/frameme-deals.php?page=super-saver.htm

Relação de 13 hotéis recomendados pela revista Travel & Leisure

http://www.travelandleisure.com/hotels/list/bangkok

Patpong e Nana são daqueles lugares que você deve ir ver só pra dizer que viu, não porque seja algo extremamente recomendável ou atraente. A menos que você goste, é claro. Se você gosta de comércio popular com grande sortimento de falsificações e cuja ordem fundamental é regatear sempre, o que, convenhamos, é muito chato, este é o lugar. Se você gosta de bares de sexo explícito e de mulheres e homens cercando e fazendo de tudo pra entrar nas dezenas de inferninhos, este é o lugar. É claro que Patpong tem alguma coisa maus do que strip bars e comércio de segunda. Tem vida, é divertido e curioso e tem restaurantes bem interessantes, além de um mercado noturno especialmente destinado ao turista. A dica para não ser importunado por vendedores e agenciadores dos bares é andar pelo meio da rua, equidistante a ambas as calçadas. No comércio você encontrará de tudo, cerâmica, artesanato, relógios, bolsas, roupas, souvenirs, comida e bares de todas as orientações adultas: gays, a-go-go, pole dancing, strip, cervejarias e pubs. Não estranhe se alguém lhe convidar ou ler algum letreiro anunciando para assistir a um "amazing" show such de "pussy blowing a ping pong ball"!

Reader Comments (9)

Boas dicas e fotos como sempre, Arnaldo. Parabéns!

15:37 | Unregistered CommenterArthur

Obrigado, Arthur.

Arnaldo,
O bar au lado do río é muito chique. O cor grená das cadeiras e o pavimento dá um contraste lindo com o río e o céu.
Bonitas fotos e bom texto!

13:33 | Unregistered CommenterCarmen

CARMEN, essa foto é no Hotel Shangi lá e realmente é um lugar muito agradável pra curtir a noite e o pôr-do-sol.

Oi Arnaldo!
Você fez uma visitinha no meu blog e, séculos depois, estou retribuindo! Desculpe, andei "virtualmente ausente".
Absolutamente lindas todas as imagens de Bangkok!!

beijos

15:15 | Unregistered Commenter

Eu adoraria ficar à beira do Chao Phraya...além de estar perto de tudo, a visão deve ser inesquecível. Um abraço!

17:41 | Unregistered CommenterEmília

Arnaldo esse post está muito bom para quem vai viajar para a cidade! Animal!!!!hehehe
Sei de gente que vai aproveitar muito essas dicas! Vou fazer propaganda!:-)
bjus

19:13 | Unregistered CommenterGuta

Arnaldo,

Eu e meu esposo estamos indo para Bangkok agora em Dezembro/2008 e passamos para agradecê-lo pelas dicas FANTÁSTICAS.
Muito obrigada!

Fiz reserva no Bossotel Inn, que fica perto do BANGKOK Shangrila Hotel, onde vc se hospedou.
Gostaria de saber se realmente fica perto (caminhando) da estação de Skytrain e do pier central ?? porque penso em pegar transporte publico do aeroporto até o hotel!
Vou sozinha dia 19/12, e gostaria de ter informações seguras de quem se hospedou na região!?

11:17 | Unregistered CommenterTina

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.