CONHEÇA O AUTOR

 

         Depois de estabelecer-se na Internet - em 1999 - escrevendo relatos de viagens em sites relacionados com o tema, e em 2006 ter fundado o blog Fatos & Fotos de Viagens - um dos pioneiros da blogosfera de viagens - Arnaldo foi convidado a colaborar com matérias na Revista Viagem & Turismo, da Editora Abril e, agora, prepara o lançamento de seu primeiro livro - "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia" - ingressando, assim, na literatura de viagens com um livro encantador, segundo o autor, o primeiro de uma série de pelo menos quatro que já planeja produzir, dois deles em plena fase.

Assim o autor define esta sua nova fase:

             Livro é coisa séria. O que o leitor encontrará em "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia" é diferente do que lê aqui no blog. Da narrativa ao estilo. Em vez de apenas uma "conversa" com o leitor, baseada na informalidade, o livro mistura traços desta coloquialidade e informalidade com os de uma escrita literária. Sobretudo com profundo respeito à arte de escrever. Passo a ser um escritor, o que nada mais é do que uma outra maneira de me expressar sobre viagens e de transmitir ao leitor minhas impressões. Segundo o poeta e ensaísta norte-americano Henry David Thoreau, "Muitos homens iniciaram uma nova era na sua vida a partir da leitura de um livro". A partir deste meu primeiro livro escrito, considero ter ingressado numa nova, deliciosa fase em minha vida. 

             Por bom tempo - antes de me decidir por publicar um livro - meu lado esquerdo do cérebro brigou com fúria contra o direito até certificar-se de que o leitor teria nos meus livro não os textos que escrevi no blog, porque, entre outros motivos, livro é coisa séria, e ninguém (ninguém de verdade!) merece ler posts de blogs reproduzidos em livros, especialmente textos efêmeros, perecíveis, descartáveis ou preocupados em agradarem "o mercado" e a blogosfera. Felizmente, ao que parece, posts continuarão restritos aos blogs e livros a serem livros. O tema da viagem parece ainda não ter-se banalizado na literatura universal, nem ter-se rendido às formas diversas da monetização.

           Minha ascensão na escrita de viagens com este trabalho literário não é exatamente uma novidade. Ainda que recentemente eu tenha notado a mente lampejar com a ideia: tornar-me um escritor de viagens. Todavia, ela sempre me rondou. Mesmo que a alguma distância. Não foram poucos os amigos, parentes e leitores do blog que há mais de dez anos recorrem à pergunta: “Por que não escrever um livro?”

Gente que escreve e encanta, fala sobre o autor:

Haroldo Castro:

            "Arnaldo é um dos viajantes equilibrados e sensatos que se lança escritor, o que, num Brasil de pouca leitura e onde a Literatura de Viagem não chega a ocupar meia estante nas livrarias, conta histórias que servirão de grande subsídio para qualquer leitor, além de ajudar a romper os preconceitos de que a África só oferece guerras, doenças e fome. Infelizmente, a riqueza cultural e natural do continente é quase sempre tão abafadas por notícias negativas que considero este livro um raio de luz na região."

Jornalista, fotógrafo, autor de “Luzes da África”, indicado para o Prêmio Jabuti na categoria Reportagens

Ronize Aline:

             "Minha opinião sobre o autor está refletida na resenha que escrevi de seu livro "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia": ele escreve com o coração e demonstra respeito por tudo o que viu. Este livro, mais do que o relato de uma viagem à Etiópia, é uma viagem rumo a uma experiência de imersão e contemplação do outro. É como olhar para o diferente sem estranhamento ou indiferença."

Escritora, tradutora, jornalista, professora universitária, crítica literária do jornal O Globo, do Rio de Janeiro

Rachel Verano

             "Neste livro, Arnaldo tem o poder de nos transportar a um dos cantos mais fascinantes e ainda intocados do planeta. Mas de maneira ao mesmo tempo delicada e profunda, pessoal, criando intimidade com os personagens, deixando o leitor perceber cheiros, sabores e sentir as emoções de suas descobertas. Do peso do ar à alegria de dobrar a esquina, o autor consegue transmitir todo seu fascínio de estar diante de algo realmente novo."

 Jornalista das revistas Viagem & Turismo, Veja, VejaSP, Glamour, TAM e Vamos/LATAM

Davi Carneiro

             "Há uma frase atribuída ao grande viajante do século 14, talvez o maior escritor-viajante de todos os tempos, Ibn Battuta: “Viajar, primeiro te deixa sem palavras, depois te transforma num contador de histórias.” Suspeito, caro leito, ser este o caso do Arnaldo, um autêntico viajante que vem se mostrando, cada vez mais, um talentoso contador de histórias. Conheço-o e o sigo desde 1996, através do seu blog, aquele que, na minha opinião, é um dos melhores de viagens da internet brasileira, tanto pela excelência fotográfica quanto pela qualidade dos textos. Com um currículo andarilho de respeito (mais de 60 países, entre eles Quirguistão, Miamar, Irã e Uzbesquistão), Arnaldo tem o mérito de ir na contramão da blogosfera profissional e monetizada: de maneira simples, autêntica e independente, preza, principalmente, a credibilidade e a confiança de seu leitor." 

 Escritor, jornalista e colaborador de diversas revistas nacionais e estrangeiras

 


COMENTÁRIOS
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« Dia dos Namorados 2008 | Main | Tailândia: Bangkok, "Walking Tour" em Rattanakosin Island »
Domingo
Jun082008

Tailândia: Ayuthaya - Bang Pa In, Palácio Real de Verão

Bangkok%20AA%20Palcio%20016.JPG

Ho Withun Thasana (no Palácio Bang Pa-In Royal)

           APÓS quatro dias em Bangkok eu não imaginava que algo mais pudesse me surpreender. Até ir a Ayuthaya e conhecer o Bang Pa-In Royal Palace (em tailandês, พระราชวังบางปะอิน ), um lugar inesperado, de beleza incomum, com jardins luxuriantes e fabulosa harmonia entre arquitetura européia e oriental. 

Bangkok%20AA%20Palcio%20004.JPG

Aisawan Thiphya-Art

            Ainda que qualquer palácio real possa surpreender, quem visita o Bang Pa-In pela primeira vez será plenamente cativado pela beleza, imponência e diversidade arquitetônica deste palácio, especialmente por estar nesta cidade tão antiga e que foi violentamente destruída e pilhada, dela sobrando ruínas.

Bangkok%20AA%20Palcio%20015.JPG

Warophat Phiman

            É muito fácil chegar a Ayuthaya e de fato é a day-trip mais recomendável a partir de Bangkok. Para além das espetaculares ruínas dos templos Wat Chai Watthanaram, Wat Phra Si Sanphet, Wat Yai Chai Mongkhol, Wat Chaiwatthanaram, Wat Phra Ram, o Palácio Real de Verão de Ayuthaya - um complexo extraordinário usado pelas famílias reais como residência de verão. É uma atração absolutamente necessária.

Bangkok%20AA%20Palcio%20010.JPG 

Wehart Chamrun

           O Bang Pa-In fica na província de Ayuthaya, o que significa que está a cerca de 80 km ao norte de Bangkok, nas margens do Rio Chao Phraya. É fácil chegar por ônibus (os com ar condicionado partem do Terminal Moh Chit a cada 30 minutos). Por trem (linhas que vão para Ayutthaya e Chiang Mai, partem de Bangkok três vezes ao dia, e levam uma hora e meia).

           O Taxi de Ayutthaya ao Bang Pa-In, custa cerca de 210 Baht. Para circular em Ayutthaya, recomendo os Tuk-tuks de vários tamanhos e formatos, decorados com motivos tailandeses e da cidade. O meio mais agradável é fazer uma excursão a partir de bangkok, de ônibus, voltando de cruzeiro pelo Rio Chao Phraya.

           O Rei Prasat Thong (1629-1656) construiu o complexo em 1632, mas foi o Rei Mongkut que nos sécuos 18 e 19 construiu a maior parte dos edifícios, entre os anos 1872 and 1889. A maneira mais agradável de circular pelo imenso terreno do complexo é alugando um carrinho elétrico de golfe, por 150 baht a hora, e passeando pelos fabulosos jardins que lembram Versaiiles e seus palácios e construções, como o Wehart Chamrunt, em estilo chinês, o Warophat Phiman, a residência real, o Ho Withun Thasana, a torre pintada em cores fortes que servia como mirante, o Aisawan Thiphya-Art, um pavilhão no meio de um reservatório de água. O palácio é aberto a visitação porque raramente o atual Rei Bhumibol Adulyadej e sua família usam o lugar, apenas para banquetes oficiais e ocasiões especiais.

Bangkok%20AA%20Palcio%20013.JPG

Bang Pa In, Palácio Real de Verão

           Há histórias estranhas que rondam a vida palaciana, como a da morte da Rainha Sunanda e sua única filha, Princesa Karnabhorn Bejraratana, que em 1881estavam a caminho do palácio quando sua carruagem capotou. Segundo as leis reais tailandesas, quem tocasse um membro da família real seria punido com a morte. Imaginem que a população local apenas observou a agonia das duas por medo de serem punidos com a morte por terem salvado as duas, que sem dúvidas teriam que ser tocadas para serem retiradas dos destroços. O Rei Chulalongkorn evidentemente ficou chocado com o ocorrido e mandou construir um memorial para ambas no Bang Pa-In.

         O Aisawan Thiphya-At é o único edufício em estilo tailandês, um belo pavilhão que fica no centro de um igualmente belo lago, desenhado como um Sala Thai, um símbolo nacional da Tailândia. A estátua do centro é do Rei Rama V, mandada instalar ali por seu filho.

Bangkok%20AA%20Palcio%20001.JPG

          O Warophat Phiman é uma mansão de um pavimento onde fica o Chulalongkorn o Salão do Trono Real. Aberto à visitação, sem dúvidas vale a pena conhecê-lo por dentro, devido ao seu luxo e decortação requintada em estilo europeu fin-de-siécle, com um ou outro toque asiático aqui e ali na ornamentação.

Bangkok%20AA%20Palcio%20009.JPG

         O Wehart Chamrun é um palácio opulento, em estilo chinês, que pode ser visitado por dentro. Funcionou como Câmara de Comércio Chinesa em 1889, um belo exemplar de decorações vermelhas e douradas, de madeira e entalhes.

        O Ho Withun Thasana é uma torre em estilo de farol, pintada em cor amarela e vermelha, uma opulente (ou exagerada) construção feita apenas para observar o entorno do palácio.

Bangkok%20AA%20Palcio%20008.JPG

       O Saphakhan Ratchaprayun é uma construção em estilo colonial de dois pavimentos feita para os irmãos do rei. Atualmente abriga um museu que conta a história do palácio e da cidade. É a primeira parada recomendável para visitação assim que se entra no complexo.

       O Memorial à Rainha Sunanda Kumariratana, é o monumento simples dedicado à rainha, como vimos anteriormente, executado em mármore, tem um texto dedicado pelo Rei à Rainha.

Plano Interativo do Palácio

http://www.palaces.thai.net/bp/

Bangkok%20AA%20Palcio%20011.JPG

Reader Comments (14)

Oi Arnaldo! Está lindo esse post. Oh meu Deus como quero voltar a Tailandia e agora com todas as informaçoes que voce colocou decobrir uma nova Bangkok e visitar Ayuthaia - está muito lindo. Tenho a Ricardo Freire em Madrid, como vivo aqui...nos veremos tomaremos umas cañas y tapas a tua saúde e todas as tuas dicas estou passando a amigos que vao para la em setembro. Um beijo e espero que nao feche o blog, como anda isso? Um abraço e muitos carinhos.

8:53 | Unregistered CommenterRegina

REGINA, obrigado. Mas ainda há muita coisa a ser publicada sobre Bangkok. Acompanhe!

VOU tentar manter o blog com modificações!

Abraços ao RIQ, dê lembranças minhas a ele nesta terra maravilhosa!

Arnaldo, mais uma vez parabens!

0:18 | Unregistered Commenterernesto

Que boa noticia! Pode deixar que eu continuo lendo tudinho sobre Bangkok. Um abraço

9:11 | Unregistered CommenterRegina

Oi Arnaldo! Li nos comentarios para o Riq que voce pode tentar conseguir 2 credenciais para o Rock in Rio...nao pode transferir pra mim? Eu persigo esses festivais sempre: já fui ao Rio em 2001, as 2 ediçoes de Lisboa bati ponto e agora em Madrid. Queria muito no dia da Ivete Sangalo, que é dia 28 de junho. Pode ser? Sei que to abusando mas se eu nao perguntasse ficava aquele "e se???". Se for possivel fico te devendo pro resto da vida. Se nao puder também fico devendo, pela gentileza. E se teu filho quando estiver aqui precisar de alguma ajuda basta entrar em contato comigo. Te mando meu mail: brasil-o-brazil@telefonica.net. Pro mediterraneo agora? Vai passar por Barcelona? De repente nos vemos lá. Um abraço e desculpa uma vez mais pelo abuso...

18:38 | Unregistered CommenterRegina

REGINA, eu verifiquei com meu filho e ele disse que não há mais credenciais, que este ano serão limitadas. Seria muito prazer se tivesse eu poder lhe dar. Mas eu disse lá pro Riq que seria "eventual" (condicional de tentar conseguir). Seria um prazer e vc não precisaria me dever nada. Vou passar por Barcelona sim, mas apenas um dia (de manhã até umas 4, 5 da tarde. Estamos num cruzeiro da Costa Cruzeiros. Já cinheço Barcelona e vamos dar uma revisitada no quemais gostamos....

Nao se preocupe Arnaldo. Valeu mesmo! Poxa que pena nao poder te conhecer em Barcelona. Mas teremos outra oportunidade em algum cantinho do mundo. Espero que o cruzeiro seja legal. Vai colocar no blog? Ainda falta muito da Tailandia? Um beijo grande e muito obrigado e Boa Viagem.

5:06 | Unregistered CommenterRegina

REGINA, claro que seria um prazer. Vc. mora em Madri, certo? Em julho de 2009 iremos (eu e minha mulher e mais um casal) à Espanha (Madri e Andaluzia). Aí termos um pouco mais de tempo em Madri e certamente seria um prazer.

Sim, ainda há mais coisas sobre Bangkok e logo em seguida sobre ESTE Cruzeiro pelo Mediterrâneo, cuja matéria terá o título "MAr à Vista" e abordará não apenas o navio e o cruzeiro, como os destinos: PORTO DE PARTIDA: Savona (Gênova, Itália)
PORTOS (CIDADES) VISITADOS: Nápoles e Capri (Itália); Palermo e Monreale (Sicília, Itália); Túnis, Cartago e Sidi Bou Said (Tunísia); Palma de Maiorca e Barcelona (Espanha); Marselha (França).

Acompanhe.

Obrigado pela visita e comentários.

Eu gosto do reflexo do Ho Withun Thasana em o água. Todos os complexos arquitetônicos são refinados, muito gostoso para os sentidos. Verdadeiro refinamento oriental.

(bonito e gentil regalo para sua mulher em o dia dos namorados)
Um abraço pra os dois

15:53 | Unregistered CommenterCarmen

Que bonita a homenagem para a Alice!

8:29 | Unregistered Commenterernesto

Você não nega sua origem affonsiana! Sabe como elogiar uma mulher. Aliás, isso não é elogio, é um panegírico, um clássico da sedução.

Quando voltar, vamos clicar juntos.

Abraços, beijos na Alice e boa viagem para os dois.

AA

Arnaldo, querido.
Eu mal voltei da Tailândia e já estou extremamente nostálgica! Devo ir de novo no ano que vem... que fotos maravilhosas! Uma curiosidade: como você conseguiu tirar fotos SEM GENTE no Palácio???? Meu deus, quando eu fui era um maaaaaaaar de turistas.... E depois de Bangkok? Pra onde você vai??? Me conta! Beijos e boas viagens.

BOM mesmo é ter um irmão que sabe o que é panegírico!

pa.ne.gí.ri.co sm (gr panegyrikós)
1 Discurso em louvor de alguém. 2 Elogio pomposo. adj Laudatório.

(fonte: Dicionário Michaelis)

Quando voltar, clicaremos.

Abraços a todos

DRI SETTI, quando eu fui estava uma torrente de gente, não apenas porque é normal ter gente demais todos os dias no Grand Palace, como a irmão do rei havia falecido dois dias antes (a cidade estava vestida de preto e o corpo velado no próprio palácio), mas NESTE lugar, incrivelmente, estava muito calmo...


Bem, depois de bangkok, que foi em março, um cruzeiro pelo mediterrâneo em junho (Tunísia, Barcelona, Capri, Marselha, Palma de Maiorca e Palermo) que vai render algumas matérias.

Em setembro, Japão, que está sendo bem difícil escrever.

Obrigado e honradíssimo com a visita!

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.