MENSAGEM ao LEITOR
CONHEÇA QUEM ESCREVE

BEM-vindo ao Fatos & Fotos de Viagens, um blog sem jabá e não vulgar

        EXISTE no viajar e no escrever relatos de viagens um terreno fértil para demonstrações de arrogância. É algo simplesmente disseminado. Tanto no mundo virtual quanto na literatura. Mas o que o maravihoso mundo da viagens precisa é de mais viajantes humildes, não de "especialistas" caga-regras que determinam de tudo: desde como arrumar sua mala ao único tipo que você deve comprar, do lugar que você tem que ir, caso contrário sua viagem será uma merda. Nunca tão maravilhosa como a dele. As classificações dos lugares também. Tem sobrado superficialidade a egocentrismo. Autores assim não percebem que tudo é muito subjetivo e pessoal, que a experiência e o prazer de alguém não será necessariamente igual ao de outro.  Sobretudo as necessidades.

      A blogosfera "profissional e "monetizada" vulgarizou-se e tornou-se banal. Carecemos de gente que escreva para motivar e inspirar, para alargar horizontes, de viajantes que "mostrem" os lugares em vez de "ensinarem" a viajar. Moderadamente, ponderadamente, sem afetação típica de deslumbrados que viajam pela primeira vez em classe executiva e precisam espalhar para o mundo em resenhas risíveis. Ao contrário, a blogosfera

       ESTE blog, ao contrário, não fez concessões à vulgarização dos blogs depois da "profissionalização" e da monetização de alguns. Ao contrário, este é um blog singelo, simples, pequeno, inexpressivo na blogosfera, não despesperado por audiência nem seu autor se dedica mais à sua divulgação nas redes sociais do que à escrita. Tento dar graça à leitura e consolidar algo que prezo muito: confiabilidade, credibilidade.

        COMECEI a viajar tarde, você sabe. Por falta de dinheiro. Até que um dia viajei pela primeira vez ao exterior. Eu tinha 35 anos. Fui assim apresentado ao então desconhecido mas fabuloso mundo das viagens. Jamais, todavia, pensaria visitar mais de 60 países, alguns muito improváveis à época. Irã, Uzbequistão, Myanmar, Etiópia, Quirguistão entre eles. Mas foi recentemente que compreendi que as viagens ficam pra sempre, não as coisas. E que é por esse mundo ser tão diverso, por cada país ser tão diferente, que me parece tão atraente e divertido.

       NÃO sou escritor profissional. Tampouco jornalista. Mas invejo esses profissionais por dominarem o idioma, a gramática e as palavras.  Ainda assim, faço meu melhor, meu caro, estimado, raro e precioso leitor. Então, peço-lhe que considere algo: que mesmo escrevendo com sensibilidade e responsabilidade, incorro em erros. Se quiser, aponte-os. Tanto gramaticais quanto de digitação. Como tenho revisor profissional, antes de publicar dou curso a incansáveis revisões. E também submeto-os ao crivo de minha esposa. Ainda assim, alguns nos escapam.

      SOU brasileiro, empresário e casado com a Emília do blog "A Turista Acidental" e desde que a conheci (e antes mesmo de nos casarmos), tornou-se a "mais-que-perfeita" companheira de vida, de idéias, de projetos e ideais, sobretudo encantadora, adorável e inspiradora companhia de viagens e de aventuras. Com ela compreendi o que significa "prazer de viajar". Foi (e continua sendo) minha melhor fonte de inspirações e de motivações. Tanto que qualifico minhas viagens como "antes e depois" da Emília e "antes e depois" da Índia. Foi com ela que percebi o que quis dizer Érico Veríssimo com "Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado certamente chegará mais longe." Somos pais de gêmeos - uma menina e um menino - nascidos em julho de 2015, e de um filho de 34 anos do meu primeiro casamento, em quem o gosto pelas viagens pareceincorporado. Não sou avô, mas as coisas estão bem encaminhadas neste sentido.

       HOJE com 64 anos (boa parte deles dedicados à família e ao trabalho), foi apenas aos 35 que pude começar a viajar internacionalmente. Desde então visitei 61 países, entre os quais alguns dos mais fascinantes e com os sítios mais admiráveis do planeta. Felizmente, para alguns deles ainda a salvo do turismo de massa, cujos excessos arruinam qualquer lugar. Em março de 2006, quando iniciei este blog, o fiz como meio de comunicação com a família e amigos. Anos mais tarde eu descobri o poder de contar histórias em textos e fotografias, e logo ele tomou outro rumo, provavelmente porque os leitores gostavam dos textos e das fotos, ou então porque na época havia pouquíssimos blogs.

       FIZ cerca de 90 viagens internacionais, voei por 40 cias. aéreas diferentes (algumas extintas) em 391 vôos para fora do Brasil e dentro de outros países e em todas as classes possíveis. Segundo Haroldo Castro - jornalista-fotógrafo-escritor que já esteve em 160 países -, o maior viajante que conheço, em seu teste "Viajologia" que se pode fazer em seu site, que considera não apenas a quantidade de países visitados, mas lugares, monumentos e patrimônios, além de transportes, experiências e situações difícieis porque passam os viajantes, alcancei "Mestrado em Viajologia". Mas isso não é nada diante de gente que lá já "graduou-se" em pós-doutorado.

Escrevo este blog sob uma perspectiva lúcida e sem concessões à monetização sem critérios

        Eliminei o contador de visitas deste blog quando marcava mais de 6 milhões. Audiência hoje em blog é decadente. Viajar, escrever e publicar algo que inspire e icentive o leitor é o que mais me motiva. NUNCA como blogueiro interventor nas viagens alheias, ou caga-regras dizendo como alguém deve viajar e que tipo de mala usar e essas chatices que definem as pessoas homogeneamente.Parece ser o que traz os leitores até aqui. Ou porque gostem de fotografia, para além da leitura odepórica, como eu. E por este blog não ter captulado à ambição e vaidade que levou tantos autores de blogs à monetização sem critérios, sobretudo enganando leitores, cada dia torna-se menorzinho e menos importante. Se continuarem assim, os blogs precisarão ser reinventados. Este aqui nasceu livre e assim será até morrer. Por enquanto estou sempre por aqui. Nem que seja em pensamento. Só não sei até quando.

         Agradeço a visita e os comentários e desejo boa viagem aos leitores.

Em tempo: este blog não integra nenhuma associação disfarçada de incentivos à monetização. Mas se um dia fundarem a ABBLI (Associação Brasileira de Blogs Livres e Independentes), por favor, me convidem!

#blogsemjaba

COMENTÁRIOS
RSS - Quer subscrever?
AddThis Feed Button

Share/Bookmark

VIAJE neste blog

Fotos de viagens
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« Espanha: Palma de Maiorca - História e cultura com vista pro mar | Main | Tunísia: Túnis, a agradável »
Quarta-feira
Jul302008

Itália: Verona, muito além da varanda

 _________________________________________________________

Poetas, seresteiros, namorados correi…para Verona!

              WILLIAN Shakespeare e Franco Zefirelli.  Foram eles os responsáveis por tornarem Verona a cidade símbolo do amor e do romantismo.  A história de amor mais conhecida de todos os tempos - Romeu e Julieta -, assim como o filme homônimo do cineasta italiano, literalmente botaram Verona no mapa do turismo romântico.

 

A Arena de Verona, um espetacular anfiteatro romano. Veja por dentro apenas se puder...

     

                     E Zefirelli foi além disso: conseguiu transformar uma simples sacada na varanda mais famosa do mundo. Se não fosse por ele - o cineasta - qualquer um passaria por ela - a varanda - sem dar a mínima. A varandinha onde Julieta debruçava-se para ver Romeu no belíssimo e inesquecível filme vale mais pelo que representa no imaginário das pessoas do que de fato é do ponto-de-vista arquitetônico. Do histórico, nenhum, já que Romeu e Julieta foram criados na mente genial de um escritor genial, remotamente baseados em fatos.

       

As varandas de Verona. São lindas, mas  não tão famosas quanto a de Julieta

_________________________________

Verona. Para além de Romeu e Julieta

              A Casa de Julieta é a atração mais famosa de Verona, mas certamente não faz juz a tanta fama. A cidade encantadora - que fica a apenas 1 hora e meia de trem desde Milão - sim, tem muitas e melhores atrações. E sejam elas históricas, artísticas ou arquitetônicas.

              Elas por sinal são muito fáceis de serem visitadas. Agrupadas e próximas, as atrações podem ser vistas todas num só dia de caminhada bem racionalizada. E ainda que a Casa de Julieta seja de fato um dos lugares a serem visitados, abstendo-se do romantismo exacerbado, ela foi apenas o cenário escolhido pelo cineasta para filmar uma linda e bem contada estória de amor.

No larghetto de Julieta, a varanda mais famosa do mundo

              Todavia o marketing fez dela a varanda mais famosa do mundo. A tal varandinha de Julieta fica num discreto larghetto entre telhados vermelhos das casas da vizinhança. Vale a visita, sim.  Suba - depois de pagar alguns poucos euros - e conheça o interior da casa e alguns dos cômodos onde foram rodadas cenas do filme, entre eles o quarto com a cama e as roupas que o casal usou em sua primeira noite de amor.

   

   

              Quem vier caminhando da Praça Erbe e descer a Via Cappello procurando a “Casa de Julieta”  deve ter muita atenção, caso contrário certamente passará sem perceber que a tal casa fica no interior de um largo a que se tem acesso por uma estreita e escura via em forma de arco que desemboca num pequeno pátio. Antes dele, neste "túnel do tempo", casais genuinamente enamorados deixam os testemunhos de seu amor rabiscados entre corações e “eu te amo”. Poetas, seresteiros, namorados, correi para Verona e escrevei vossos nomes na Casa de Julieta! Dizem que perpetua o amor... Não custa nada tentar!

              Tente encontrar um cantinho para o seu  "Eu te Amo"

              No pátio fica a Casa de Julieta, sua estátua de bronze de e acima a varanda que se tornou a mais famosa varanda do mundo depois que Zefirelli filomou o romance de Shakespeare. A Casa de Julieta não existe nem existiu, mas foi neste “museu” que residia a amada de Romeu, e neste largo que brigavam os Capuletto e os Montechio.    O romance criado pelo inglês e filmado pelo italiano converteu-se num acontecimento turístico. O edifício, do século 13, foi restaurado em 1935 e serviu de cenário para a residência de Julieta e atualmente pode ser visitado por dentro e por fora.

 

Os figurinos de Romeu e de Julieta estão expostos na Casa de Julieta

              Para ser um bom turista deve-se primeiramente não ter vergonha de ser turista. Em segundo, não querer aparentar não ser turista. Em terceiro não deixar de ir a lugares turísticos. Nem que por vezes seja necessário e recomendável ceder a alguns apelos óbvios, piegas e/ou comerciais. A Cidade de Verona soube muito bem aproveitar a fama que lhe deu o filme e deitou e rolou no marketing turístico romeu-e-julieteano. A cidade soube aproveitar essa fama e fazer dela um forte apelo turístico e, consequentemente, ganhar dinheiro com isso.

Uma das janelas de onde Julieta espiava Romeu e sua linda Verona 

              Nada mais justo e adequado. Eu me incluo na categoria turista com muito desprendimento, mas me recuso a pagar certos micos como entrar numa fila para fotografar-me passando a mão no seio da estátua de bronze da Julieta, como manda a tradição. Além de mau-gosto, alisar o seio já lustrado e desgastado daquela estátua é totalmente dispensável, e chega a ser ridículo o papel que a turistada faz. Melhor é subir e conhecer a casa e olhar o bonito visual da varanda lá de cima, especialmente olhando pra baixo e vendo a turba desesperada para fazer uma foto com a mão no peito da Julieta.

Todo turista tem direito de pagar mico...

________________________________________________________________

Vibrante e compacta, Verona é muito mais do que Romeu e Julieta

              Verona parece uma cidade maior do que realmente é, turisticamente falando. É possível conhecê-la toda a pé, e a cada esquina ela se revelará interessante, orgulhosa e imponente. Seu centro histórico é repleto de igrejas, arenas, palacetes e monumentos. Verona é uma cidade com cores e luzes especiais e muito próprias. É sofisticada, elegante.

  

A cama da primeira noite de Romeu e Julieta e uma luminária medieval

              A Praça Bra é o ponto de partida para conhecer Verona e um centro da vida social veronesa, uma grande área rodeada por belos edifícios onde ficam os bares e restaurantes que normalmente são os preferidos dos turistas. Chegando de trem, pegue um taxi e em 10 minutos cruzará os Portões da Bra, construídos em 1480, dois grandes arcos por trás dos quais fica a Torre Pentagonal, construída em 1389, e logo estará na Piazza Bra. O nome “Bra” deriva da palavra "Braida" que em veronês significa “amplo espaço aberto”.

O interior da Casa de Julieta,  um museu das filmagens

              Nela vê-se a impressionante Arena, um coliseu belíssimo com sua estrutura de arcos de pedra e tijolos que é emoldurada ao fundo pelos edifícios coloridos do século XIX. Construído no século I a.C., é o terceiro maior anfiteatro da Itália, com capacidade para 25 mil pessoas, símbolo máximo da cidade, imponente e orgulhoso. No Verão torna-se palco de inúmeros espetáculos líricos e pop de fama internacional.

Porta Bra, acesso à Piazza Bra e ao centro antigo de Verona

              Seguindo-se a Via Roma chega-se Castelvecchio, situado exatamente sobre o primeiro meandro do rio Ádige. Construído em 1355 por Cangrande II della Scala, foi sua residência pessoal. A Ponte Scaligero, que pertence ao castelo, tem três arcos e é um dos monumentos arquitetônicos da cidade. Hoje o Castelvecchio abriga o "Civico Museo di Arte", um dos mais importantes da Itália, cujo rico acervo é dedicado à exposição da pintura veronesa do período dos séculos XIV ao XVIII.

 

Os arcos e os prédios coloridos da Piazza Bra

_______________________________________________________________________________

Verona é uma deliciosa combinação de história, cultura, gastronomia, arte e romantismo

           Outra ponte importante históricamente é a Ponte Pietra, que cruza o rio quase em frente do Teatro Romano. Este antigo teatro foi construído num local elevado do qual se tem uma vista bem binita do rio e da cidade. Sentar-se na escadaria do teatro é apreciar uma bela vista do Rio Ádige e da cidade.

Piazza delle Erbe, 360 graus de história e arquitetura

              A Piazza delle Erbe é uma das mais pitorescas praças de toda a Itália, o centro do Centro Histórico de Verona. Na época romana foi antigo Fórum Romano. Ainda hoje podem-se ver a cardus et decumanus maximi - a rua principal de uma cidade da época romana - cruzando uma esquina da praça. Nos tempos medievais ela transformou-se num mercado, que se mantém nela até hoje.

 

A Fontana de Madonna VErona em dois momentos             

              Na praça, há uma fonte, a Fontana de Madonna Verona, construída nos tempos medievais – em 1368 - por Cansignorio della Scala, mas retirados de partes de uma fonte termal romana, e também a Case Mazzanti, com seus afrescos na fachada e a L'Edicola de Piazza Erbe. Nesta praça ficam outros edifícios importantes, como o Palazzo del Comune, e o Palazzo dei Giudici.

              Na Piazza delle Erbe, a coluna de Veneza e o Palazzo Mafei

              Ainda na Piazza delle Erbe fica a Torre Lamberti, a construção mais alta de Verona, com 84 metros, e cuja construção iniciou-se em 1172, levou vários séculos para ser concluída. Mas o enorme relógio só foi colocado em 1779. O Palazzo Mafei, de 1668, no topo do qual podem ser vistas estátuas de seis divindades pagãs: Júpter, Mercúrio, Venus, Apolo, Hércules e Minerva.

O Leão de San Marco

              Em frente ao Palazzo Mafei fica uma coluna de mármore com a figura do Leão de San Marco, cópia do de Veneza, que fica na Piazza de San marco, colocado aqui em 1524, simbolizando as regras de Veneza que dominaram a cidade de Verona. Em 1797, quando Napoleão Bonaparte ocupou Verona, ele foi simbólicamente retirado do topo e posto no chão, tendo sido recolocado no topo apenas em 1886, depois da unificação da Itália.

 

              Os afrescos e os ombrelones dominam a Piazza delle Erbe

              O Arco della Costa (Arco da Costela) fica entre o Palazzo del Comune e o Domus Nova. Ele conecta a Piazza delle Erbe com a Piazza dei Signori. O arco foi construído no século 15 e seu nome é devido à grande costela de baleia que o decora.

Arco della Costa

              Logo após cruzar o Arco della Costa chega-se à bonita Piazza dei Signori, ou Piazza Dante ( Alighieri). Dante Alighieri nasceu em Florença em 1256 e se apaixonou à primeira vista por Beatrice Portinari quando tinha apenas 9 anos e depois a viu apenas duas vezes, aos 18 e aos 25 anos. Tornou-se o mais importante poeta de sua época, imortalizou sua amada em inúmeros poemas e escreveu "A Divina Comédia".   A estátua homenageia o peta romântico.

 

           Nesta praça estão prédios importantes política, histórica e arquitetonicamente, os mais importantes palácios medievais administrativos de Verona, como o Palazzo del Comune, o Loggia del Consiglio, o Palazzo del Governo e o Domus Nova, sendo o Loggia del Consiglio o mais interessante.

       A  Piazza Dante    

              A famosa Porta Bombardiera, construída em 1687, dá acesso ao pátio do Palazzo del Capitano na Piazza dei Signori. O pátio tem estilos renascentista e gótico com fachadas decoradas com afrescos de Altichiero, pintados no século 14.

 

 

              Há uma pequena igreja, chamada Santa Maria Antica, a cerca de 50 metros da Piazza Dante e defronte a ela pode-se ver o Arche Scaligere, as tumbas interessantes dos Scaligere, uma dinastia de nobres que governou Verona e a transformou num importante centro econômico no Século 13. As Tumbas dos Scaligeri, como era chamada a importante família Scala, são talvez o maior exemplo de arquitetura gótica da cidade. As tumbas são chamadas de Arche Scaligere.

_____________________________

Terapia das compras

              Verona é uma cidade encantadora, bonita, romantica, atraente, sedutora e ria em arquitetura e história. Mas também é bem servida de comércio variado, de popular ao turístico, do chic ao comum. Uma das maiores cidades italianas, e com forte apelo turístico, não poderia deixar de ter em seu comércio um grande apelo ao consumo.

O gradil medieval da Arche Scaligere deixando suas marcas temporárias na rua

              Em dias úteis é uma rua bastante movimentada e concorrida, não apenas por ser aquela onde fica o melhor comércio de Verona, mas por ser caminho turístico e via de acesso a algumas atrações da cidade, também especialmente pela ausência de veículos. Sua localização central – ela começa na Piazza Bra, onde fica a Arena, e termina na Piazza delle Erbe, um dos principais pontos turísticos da cidade.

               Para passear e comprar em Verona a rua chama-se Via Giuseppe Mazzini, mas que é popularmente conhecida apenas como Via Mazzini. E o que é melhor, é uma rua de pedestres. Estando na Itália não seria diferente: encontra-se de Gucci a Trussardi, de Diesel e Replay, e mais Prada, Cavalli, Valentino. E as lojas e boutiques são de todos os gêneros: de óticas a lojas especializadas em azeites, de souvenires a papelaria. Obrigatoriamente se passa por esta bela rua para explorar os pontos turísticos de Verona.

Interior da Arena: visite se puder. Não é ndispensável

              Mas também há bom comércio para além da Via Mazzini, no Corso Portoni Borsari, na Via Roma, na Via Cappello, na Piazza Erbe, entre outras.

Mapa da Via Mazzini

http://maps.google.com.br/maps?hl=pt-BR&q=Via+Mazzini+Verona&um=1&ie=UTF-8&sa=X&oi=geocode_result&resnum=1&ct=title

Na Piazza Bra há alguns restaurantes e pizzarias com vista para a Arena

______________________________________________________________________________

A Arena de Verona na Internet

http://www.arena.it/en-US/HOMEen.html

Como chegar em Verona

Por Trem e Avião

Saindo de Milão, são cerce de 1:30 h de viagem pelo Intercity


              A Estação da Cidade chama-se VERONA PORTA NUOVA. Há trens diretos e diários InterCity que fazem o roteiro entre Milão e Veneza e entre Brennero e Roma. De Pádua a viagem dura 40 minutos; de Vicenza, 30 minutos; de Veneza 1 hora e meia, de Milão cerca de 2 horas e de Roma cerca de 5 horas. Da Estação de trem em Verona pode pagar-se taxis, que custarão cerca de 8 euros a corrida até a Piazza Bra ou os ônibus urbanos linhas 11, 12, 13, 14, 72 e 73 que também vão da estação à Piazza Bra, onde fica a Arena. De avião chega-se ao Aerporto Internacional de Verona (Catullo) em Villafranca, situado aproximadamente a 10 km do Centro da Cidade. Há serviço regular de ônibus do aeroporto a cada 20 minutos, de 06.10 às 23.30 h, até a Estação Porta Nuova.

Estação ferroviária de Verona

Centro Informações Turísticas

I.A.T.

Piazza Bra, via degli Alpini 9
Stazione FS Verona Porta Nuova, Piazza XXV Aprile

 

Reader Comments (24)

E por tudo isto que tem vários apaixonados pelo seu blog... Parabens, e o bom da Italia, e que sempre tem algo que não vimos....

16:49 | Unregistered CommenterEreesto

Olá. Existe alguma forma de contatá-lo? Algum email?

Att

14:23 | Unregistered CommenterRicardo

Vim com medo de não te encontrar. Ainda bem que você esta firme aqui.

Abraços da Córsega

Maria Lina

RICARDO, existe sim. No menú ao lado (coluna mais estreita, à esquerda), na seção "Navegando pelo Blog" e depois em "Contato"> Escreva que recebo por e mail.

MARIA LINA, obrigado pela visita.

ERNESTO, sempre presente, agradeço também.

Lindas fotos (como sempre!)! Lugar lindo!
Paula*

18:06 | Unregistered CommenterPaula

Beijos e um saludo des de Porto Rico

10:52 | Unregistered CommenterCarmen

boa viagem, CArmen

Eu sei que estou ligeiramente no post errado, mas como não sabia se vc teria acesso a novos comments em posts antigos ... resolvi arriscar: vc acha inviável uma viagem tipo independente pelo Marrocos? Chegando em Marrakesh,como conseguir um guia? E qual melhor região para se hospedar?
Obrigada desde já.

23:26 | Unregistered CommenterGisele

Oi Arnaldo..Te vi lá no blog da Majo..Que festa! Quanta energia positiva, essa é finalmente o sentimento que nos dá cada experiencia viajeira. Muitos abraços. Agora to ficando em dia depois dos 15 dias de Caminho de Santiago, mas é tanta coisa interessante pra ler...mas eu chego lá.

8:14 | Unregistered CommenterRegina

A pessoa mais indicada para responder a você, GISELE, é a Rachel Verano, editora da revista Viagem & Turismo, que não apenas ESTEVE no Marrocos em viagem solo, como escreveu sobre ela em seu blog:

http://viajeaqui.abril.com.br/indices/conteudo/blog/70467_comentarios.shtml?5881928

Suriro que pergunte a ela e tire suas dúvidas acerca de tudo o que precisa. E BOA VIAGEM!

Obrigada pela dica. Abraços

16:05 | Unregistered CommenterGisele

Estou conhecendo este blog agora e to apaixonada. Era o que eu estava procurando pra fazer meu roteiro independente para Italia, viajarei em novembro. Até os tiquetes vc colocou, muito cuidadoso, isso nos dá, aos marinheiros de primeira viagem, mais seguraça. Não para não viu. Ganhe o mundo cada vez mais. Parabéns e obrigada.

Olá, parabéns pelo blog. Gostei bastante. Uma informação: Estou indo de milano pra venezia e pretendo para durante o dia em verona. Recomenda ou acha melhor dormir um dia em verona? existe locais para guardar bagagem nas estações de trem?

Desde já agradeço. abs

22:34 | Unregistered CommenterAnderson

ANDERSON, obrigado. Bem em acho que ficaria uma noite sim em Verona e, sendo assim, não seria preciso deixar as malas na estação. Não sei dizer se há guarda-volumes na estação.

Oi Anderson - eu dormir duas noites em Verona - como estavamos com 2 malas decidimos deixar uma no guarda-volumes na estacao - que alias e muito boa. E um guarda volume igual o de Veneza - com homens recebendo e guardando (nao eletronica).
Arnaldo eu adorei Verona - assistimos Aida na Arena (fenomenal) - comprei os ingressos 3 meses antes via internet - quando ainda estava organizando minha viagem.
um abraco

Olá Arnaldo!
Muito impressionante o teu Blog. Tantas viagens, tantas expereiências únicas, tanta coisa para contar. Uma vida de coisas novas já vividas ou por descobrir...um fascínio!
Eu sou Catarina, uma portuguesa trabalhando em Madrid. Em nome de minube, gostava de fazer-te uma proposta. Por favor entra em contacto comigo, catarina@minube.com

eu gostaria desber qual éuma boa lacalização p hotel em Verona... Gostaria de conhecer Verona e aproveitar a hospedagem lá e visitar Lago di Garda, qto tempo acha legal , 2 dias ? Depois pretendo ir p Veneza.
Obrigada>

18:21 | Unregistered Commentermaira

Perfeito o seu blog, nao desanima nao viu, são tesouros como estes que precisamos na internet. Paz e Bem!

Excelente blog. Já está nos favoritos!

Grande abraço, Flávio.

Meu Deus não sabia que Verona era tão linda,estou indo pra passear em agosto de 2011. que legal amei o blog.

13:05 | Unregistered CommenterJuliana

ameiiiiiiiiiiii muitooooooooo

Parabéns, seu blog esta uma maravilha, e eu estou tendo o prazer de morar em Verona , estamos , eu e meu marido ,apaixonados ...por essa cidade, tem vida com uma energia contagiante.

13:43 | Unregistered CommenterOrdalia

Meu caro, parabéns pelo post sobre Verona. Muito enriquecedor para quem vai passar apenas um dia nessa cidade.

Grande abraço, Carlos Almir

Adorei e gostaria de saber se podes me informa sobre o exame para guia turistico!!

11:43 | Unregistered Commenterdanielle

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.