MENSAGEM ao LEITOR
CONHEÇA QUEM ESCREVE

BEM-vindo ao Fatos & Fotos de Viagens, um blog sem jabá e não vulgar

        EXISTE no viajar e no escrever relatos de viagens um terreno fértil para demonstrações de arrogância. É algo simplesmente disseminado. Tanto no mundo virtual quanto na literatura. Mas o que o maravihoso mundo da viagens precisa é de mais viajantes humildes, não de "especialistas" caga-regras que determinam de tudo: desde como arrumar sua mala ao único tipo que você deve comprar, do lugar que você tem que ir, caso contrário sua viagem será uma merda. Nunca tão maravilhosa como a dele. As classificações dos lugares também. Tem sobrado superficialidade a egocentrismo. Autores assim não percebem que tudo é muito subjetivo e pessoal, que a experiência e o prazer de alguém não será necessariamente igual ao de outro.  Sobretudo as necessidades.

      A blogosfera "profissional e "monetizada" vulgarizou-se e tornou-se banal. Carecemos de gente que escreva para motivar e inspirar, para alargar horizontes, de viajantes que "mostrem" os lugares em vez de "ensinarem" a viajar. Moderadamente, ponderadamente, sem afetação típica de deslumbrados que viajam pela primeira vez em classe executiva e precisam espalhar para o mundo em resenhas risíveis. Ao contrário, a blogosfera

       ESTE blog, ao contrário, não fez concessões à vulgarização dos blogs depois da "profissionalização" e da monetização de alguns. Ao contrário, este é um blog singelo, simples, pequeno, inexpressivo na blogosfera, não despesperado por audiência nem seu autor se dedica mais à sua divulgação nas redes sociais do que à escrita. Tento dar graça à leitura e consolidar algo que prezo muito: confiabilidade, credibilidade.

        COMECEI a viajar tarde, você sabe. Por falta de dinheiro. Até que um dia viajei pela primeira vez ao exterior. Eu tinha 35 anos. Fui assim apresentado ao então desconhecido mas fabuloso mundo das viagens. Jamais, todavia, pensaria visitar mais de 60 países, alguns muito improváveis à época. Irã, Uzbequistão, Myanmar, Etiópia, Quirguistão entre eles. Mas foi recentemente que compreendi que as viagens ficam pra sempre, não as coisas. E que é por esse mundo ser tão diverso, por cada país ser tão diferente, que me parece tão atraente e divertido.

       NÃO sou escritor profissional. Tampouco jornalista. Mas invejo esses profissionais por dominarem o idioma, a gramática e as palavras.  Ainda assim, faço meu melhor, meu caro, estimado, raro e precioso leitor. Então, peço-lhe que considere algo: que mesmo escrevendo com sensibilidade e responsabilidade, incorro em erros. Se quiser, aponte-os. Tanto gramaticais quanto de digitação. Como tenho revisor profissional, antes de publicar dou curso a incansáveis revisões. E também submeto-os ao crivo de minha esposa. Ainda assim, alguns nos escapam.

      SOU brasileiro, empresário e casado com a Emília do blog "A Turista Acidental" e desde que a conheci (e antes mesmo de nos casarmos), tornou-se a "mais-que-perfeita" companheira de vida, de idéias, de projetos e ideais, sobretudo encantadora, adorável e inspiradora companhia de viagens e de aventuras. Com ela compreendi o que significa "prazer de viajar". Foi (e continua sendo) minha melhor fonte de inspirações e de motivações. Tanto que qualifico minhas viagens como "antes e depois" da Emília e "antes e depois" da Índia. Foi com ela que percebi o que quis dizer Érico Veríssimo com "Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado certamente chegará mais longe." Somos pais de gêmeos - uma menina e um menino - nascidos em julho de 2015, e de um filho de 34 anos do meu primeiro casamento, em quem o gosto pelas viagens pareceincorporado. Não sou avô, mas as coisas estão bem encaminhadas neste sentido.

       HOJE com 64 anos (boa parte deles dedicados à família e ao trabalho), foi apenas aos 35 que pude começar a viajar internacionalmente. Desde então visitei 61 países, entre os quais alguns dos mais fascinantes e com os sítios mais admiráveis do planeta. Felizmente, para alguns deles ainda a salvo do turismo de massa, cujos excessos arruinam qualquer lugar. Em março de 2006, quando iniciei este blog, o fiz como meio de comunicação com a família e amigos. Anos mais tarde eu descobri o poder de contar histórias em textos e fotografias, e logo ele tomou outro rumo, provavelmente porque os leitores gostavam dos textos e das fotos, ou então porque na época havia pouquíssimos blogs.

       FIZ cerca de 90 viagens internacionais, voei por 40 cias. aéreas diferentes (algumas extintas) em 391 vôos para fora do Brasil e dentro de outros países e em todas as classes possíveis. Segundo Haroldo Castro - jornalista-fotógrafo-escritor que já esteve em 160 países -, o maior viajante que conheço, em seu teste "Viajologia" que se pode fazer em seu site, que considera não apenas a quantidade de países visitados, mas lugares, monumentos e patrimônios, além de transportes, experiências e situações difícieis porque passam os viajantes, alcancei "Mestrado em Viajologia". Mas isso não é nada diante de gente que lá já "graduou-se" em pós-doutorado.

Escrevo este blog sob uma perspectiva lúcida e sem concessões à monetização sem critérios

        Eliminei o contador de visitas deste blog quando marcava mais de 6 milhões. Audiência hoje em blog é decadente. Viajar, escrever e publicar algo que inspire e icentive o leitor é o que mais me motiva. NUNCA como blogueiro interventor nas viagens alheias, ou caga-regras dizendo como alguém deve viajar e que tipo de mala usar e essas chatices que definem as pessoas homogeneamente.Parece ser o que traz os leitores até aqui. Ou porque gostem de fotografia, para além da leitura odepórica, como eu. E por este blog não ter captulado à ambição e vaidade que levou tantos autores de blogs à monetização sem critérios, sobretudo enganando leitores, cada dia torna-se menorzinho e menos importante. Se continuarem assim, os blogs precisarão ser reinventados. Este aqui nasceu livre e assim será até morrer. Por enquanto estou sempre por aqui. Nem que seja em pensamento. Só não sei até quando.

         Agradeço a visita e os comentários e desejo boa viagem aos leitores.

Em tempo: este blog não integra nenhuma associação disfarçada de incentivos à monetização. Mas se um dia fundarem a ABBLI (Associação Brasileira de Blogs Livres e Independentes), por favor, me convidem!

#blogsemjaba

COMENTÁRIOS
RSS - Quer subscrever?
AddThis Feed Button

Share/Bookmark

VIAJE neste blog

Fotos de viagens
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« FOMOS para a Etiópia | Main | GENTE, o maior patrimônio do Irã »
Quarta-feira
Dez182013

Felicidade é ter amigos! 

NÃO existe melhor época do ano para reflexões, para os balanços e projetos do que esta. Sobre o que fizemos, o que desejamos e também o que precisamos fazer. De alguma maneira, todos nós analisamos e celebramos. E nos recordamos das novas pessoas que entraram em nossas vidas, dos relacionamentos, do que aprendemos, de tudo mais que nos marcou no ano que termina. Nada mais natural, então, do que pensarmos com doçura no que realmente dá sentido à própria vida: a felicidade.

DIA desses eu conversava com minha doce Emília sobre o tema. Divergíamos nuns pontos, concordávamos noutros, mas sobretudo celebrávamos mais uma vez o quanto nos tornamos mais felizes com nosso encontro. Ao fazermos um balanço das mudanças radicais que nosso encontro provocou em nossas vidas, e no quanto nos tornamos mais apaixonados a cada dia, falamos sobre a vida, a felicidade, os amigos, as pessoas. Saímos ainda mais felizes ao fim daquele almoço, tanto pelo assunto quanto por conhecermos um delicioso novo restaurante na Cidade Maravilhosa, o "Volta", onde tivemos uma experiência marcante.

TAMBÉM não deixamos de falar das viagens que fizemos no ano que termina, das programadas para 2014 - que para nós começa em 2 de janeiro, para a Etiópia - e nos destinos que desejamos.  Todavia, para mim, viajar nunca foi um plano, meio ou meta de vida. Tem importância sim, mas não para o encontro com a felicidade. Esta está nas boas relações humanas, mais do que em qualquer outra coisa. Inclusive a conquista de bens materiais. A felicidade encontro nas pessoas, naquelas que nos apaixonamos numa conversa, nas que demoram um pouco mais para revelarem-se amigas, nas que já fazem parte de nossas vidas e também nas que descartamos por nos terem feito mal. 

MAS há os que acreditam que é na saúde que se encontra a felicidade, outros que para ser feliz é preciso estar só. Já não discordo de ninguém e de nenhuma das maneiras dignas de cada um ser feliz. Quem sabe de si, sabe o que é melhor pra si. Mas quando jovem em não pensava assim. Acreditava que havia apenas uma maneira ser feliz: ter (bens materiais). O resto, ser (feliz), era conseqüência.

AFORTUNADAMENTE evoluí. Não apenas no que efetivamente preciso para ser feliz, também em estar focado nisso. Até mesmo na arte de viajar evoluí, embora ainda não consiga deixar meu lap top em casa. Considero que em tudo mais, sobretudo ao perceber que seria nas relações humanas onde eu encontraria minha felicidade. Na família, na empresa, nos amigos e em conhecer o amor de minha vida. Sobretudo deixei de acreditar que ter (bens materiais) é o único caminho para ser feliz. E desde então passei a dar maior atenção e importância ao trato com as pessoas, a investir nas positivas, assim como livrar-me o mais rapidamente e sem dó das nocivas. Dedicar meu tempo nas relações com os amigos e familiares e não disperdiçá-lo com desafetos.

NA hora de fazer uma lista de amigos, por exemplo, aprendi que devo escrevê-la a lápis. E se há algo positivo em passar por dificuldades nas relações humanas durante a vida, é fazer-nos reconhecer os verdadeiros amigos.

       É nesses monentos natalinos e de fim de ano, próprios às reflexões, aos balanços e aos novos projetos que recordo-me de Aristóteles. Nas priscas eras ele teria dito que "a felicidade é um princípio, mas para alcançá-la devemos realizar todos os demais atos”. Interpreto isso como uma miríade de possibilidades e alternativas, sobretudo nas relações humanas, em não confundir sinceridade com grosseria, falsidade com educação, coleguismo com amizade.

       DURANTE a vida conheci muita gente. E nunca entrei em conflito ao reconhecer que umas poucas tornaram-se efetivamente amigas. E também quando passei a saber diferir gente conhecida e gente amiga. Especialmente a capacidade (antes tarde do que nunca) de “realizar todos os demais atos” a que se referiu Aristóteles: identificar amigos falsos, pessoas que me abraçam com inveja ou despeito, fofoqueiros, intrigueiros, os despeitados e invejosos, os complexados, os com segundas intenções, pernósticos, prepotentes, interesseiros e, finalmente, mas não menos desprezíveis, os que não apuram a verdade e preferem acreditar na intriga.

       COMO se não bastasse, a vida foi ainda mais generosa comigo: proporcionou-me saúde, uma família que me ensinou acreditar em valores humanos importantes - como generosidade e caráter-, proporcionou-me sucesso e reconhecimento profissional, alguma inteligência, um pouco de cultura, , minha doce Emília, um filho espetacular e sobretudo a admiração e o respeito dos que me cercam. Foi tão espetacular  a vida comigo que de lambuja ainda me deu aquilo que na adolescência eu acreditava ser a chave para a felicidade: poder adquirir tudo de material que desejo. Sobretudo viajar. Para onde, como e quando desejo. A vida me deu esse bom gosto ao escolher viajar como meu maior investimento, apreciar as artes e a cultura e reconhecer que experiências sociais são verdadeiramente úteis.

A vida é curta, as oportunidades pequenas, os azares espertos, os verdadeiros amigos poucos, as experiências traiçoeiras e as decisões difíceis. Tudo parece conspirar contra nossa felicidade. Todavia nada mais necessário do que estar atento, ser capaz de reconhecer a naturalidade dos contratempos, a positividade enfrentá-los, a determinação de vencê-los.  

ENTÃO, gente boa virtual e presencial que frequenta este blog, conhecida ou não, anônima ou que tenha registrado sua visita em 2013, agradeço e desejo um maravilhoso Natal e um ótimo 2014. Com tudo o que cada um possa acreditar ser fundamental para alcançar a felicidade: saúde, paz, amor, sucesso e grandes relações humanas. E se possível, muitas e boas viagens!

Obrigado.

Reader Comments (9)

Adorei! Perfeito o que mencionou sobre amizades!
Prefiro ter poucos amigos, mas que posso dizer que são para uma vida inteira.
Bela reflexão em muitos tópicos abordados.

Viva em paz sempre!
Obrigada pelos seus belos textos e que tenhamos mais tantos no próximo ano.

20:28 | Unregistered CommenterTatiane

Desejo, igualmente, a você Arnaldo e sua doce Emília, e demais presenças virtuais, um maravilhoso Natal e um ótimo 2014! Sensacionais e calorosas viagens!

13:59 | Unregistered CommenterRosa

Seu blog é uma inspiração!! Parabéns! O aprendizado sobre as relacoes humanas é o mais essencial na vida. Obrigada por partilhar suas reflexões. Sua escrita clara e precisa ajuda a traduzir sentimentos e impressões por vezes nebulosos. Desejo muitos encontros felizes, sabedoria (mais) e viagens em 2014!

20:22 | Unregistered CommenterOdaleia

¡Feliz 2014! ¡Les deseo lo mejor para ustedes dos y sus familias!
Boas Festas!

15:26 | Unregistered CommenterCarmen L.

Tem uma frase de Dom Hélder Câmara de que há pessoas, independentemente da idade, que, pelo que são, pelo que fazem e pelo que dizem, são pessoas meio-dia.
Seu texto revela que vc, Arnaldo, é uma dessas pessoas meio-dia.
Parabéns por conseguir traduzir o sentimento de tantas pessoas com simplicidade e sabedoria, mas, principalmente, por ser uma pessoa meio-dia!!!!
Feliz 2014 e boa sorte nas viagens!!!

23:14 | Unregistered CommenterBernah

Gosto do que e como escreves, do enfoque e da finalidade do que contas.E gosto mais ainda de ver que o horizonte pra ti, é bem mais longe , bem mais bonito e bem mais sincero.
Parabéns

Olá,
Passeando pela rede, navegando no Viaje na Viagem, encontrei o seu blog!!
Perfeito...Acalento a idéia de ir a Etiópia, conhecer Lalibela......Estou muito contente!
Vou aguardar seu retorno e relatos.
Um bom ano para vocês.
Boa Viagem.
Ana Silvia

Moro no Estado de SP.
Eu não sei como encontrei seu magnifico blog
com imagens deslumbrantes e as explicações que você
deixa é uma verdadeira aula.
O assunto não poderia ser melhor ,
pois conheci uma parte apenas do tudo que tenho certeza ainda vai postar.
Meu espaço é diferente do seu mais vou deixar um convite
para uma visita.
Ficarei feliz com certeza em poder seguir você.
Um abraço feliz tarde de Domingo.
Evanir.

14:34 | Unregistered CommenterEvanir

Olá meu caro! Você não tem ideia do que está sendo a satisfação de ter descoberto o seu fantástico site nesta noite de hoje e assim por acaso! Impressionante a sua capacidade de nos impressionar. Espero que você nunca pare com ele, e siga sempre em frente, proporcionando a nós, simples mortais enclausurados nestas selvas de concreto como eu aqui em Brasília-DF, capital do Brasil, que embora sendo u ma das maiores maravilhas do mundo moderno, ainda está longe de ser tão bela quanto estas paisagens naturais que você nos mostra! Estarei seguindo-o e publicando sempre que possível algo seu em meus sites! Felicidades e parabéns, e siga seu destino privilegiado. Carlos Alberto, in:carlossam.Blogspot.com

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.