CONHEÇA O AUTOR

 

         Depois de estabelecer-se na Internet - em 1999 - escrevendo relatos de viagens em sites relacionados com o tema, e em 2006 ter fundado o blog Fatos & Fotos de Viagens - um dos pioneiros da blogosfera de viagens - Arnaldo foi convidado a colaborar com matérias na Revista Viagem & Turismo, da Editora Abril e, agora, prepara o lançamento de seu primeiro livro - "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia" - ingressando, assim, na literatura de viagens com um livro encantador, segundo o autor, o primeiro de uma série de pelo menos quatro que já planeja produzir, dois deles em plena fase.

Assim o autor define esta sua nova fase:

             "Livro é coisa séria. O que o leitor encontrará em "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia" é diferente do que lê aqui no blog. Da narrativa ao estilo. Em vez de apenas uma "conversa" com o leitor, baseada na informalidade, o livro mistura traços desta coloquialidade e informalidade com os de uma escrita literária. Sobretudo com profundo respeito à arte de escrever. Passo a ser um escritor, o que nada mais é do que uma outra maneira de me expressar sobre viagens e de transmitir ao leitor minhas impressões. Segundo o poeta e ensaísta norte-americano Henry David Thoreau, "Muitos homens iniciaram uma nova era na sua vida a partir da leitura de um livro". A partir deste meu primeiro livro escrito, considero ter ingressado numa nova, deliciosa fase em minha vida. 

              Minha ascensão na escrita de viagens com este trabalho literário não é exatamente uma novidade. Ainda que recentemente eu tenha notado a mente lampejar com a ideia: tornar-me um escritor de viagens. Todavia, ela sempre me rondou. Mesmo que a alguma distância. Não foram poucos os amigos, parentes e leitores do blog que há mais de dez anos recorrem à pergunta: “Por que não escrever um livro?”

Gente que escreve e encanta, fala sobre o autor:

Haroldo Castro:

            "Arnaldo é um dos viajantes equilibrados e sensatos que se lança escritor, o que, num Brasil de pouca leitura e onde a Literatura de Viagem não chega a ocupar meia estante nas livrarias, conta histórias que servirão de grande subsídio para qualquer leitor, além de ajudar a romper os preconceitos de que a África só oferece guerras, doenças e fome. Infelizmente, a riqueza cultural e natural do continente é quase sempre tão abafadas por notícias negativas que considero este livro um raio de luz na região."

Jornalista, fotógrafo, autor de “Luzes da África”, indicado para o Prêmio Jabuti na categoria Reportagens

Ronize Aline:

             "Minha opinião sobre o autor está refletida na resenha que escrevi de seu livro "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia": ele escreve com o coração e demonstra respeito por tudo o que viu. Este livro, mais do que o relato de uma viagem à Etiópia, é uma viagem rumo a uma experiência de imersão e contemplação do outro. É como olhar para o diferente sem estranhamento ou indiferença."

Escritora, tradutora, jornalista, professora universitária, crítica literária do jornal O Globo, do Rio de Janeiro

Rachel Verano

             "Neste livro, Arnaldo tem o poder de nos transportar a um dos cantos mais fascinantes e ainda intocados do planeta. Mas de maneira ao mesmo tempo delicada e profunda, pessoal, criando intimidade com os personagens, deixando o leitor perceber cheiros, sabores e sentir as emoções de suas descobertas. Do peso do ar à alegria de dobrar a esquina, o autor consegue transmitir todo seu fascínio de estar diante de algo realmente novo."

 Jornalista das revistas Viagem & Turismo, Veja, VejaSP, Glamour, TAM e Vamos/LATAM

Davi Carneiro

             "Há uma frase atribuída ao grande viajante do século 14, talvez o maior escritor-viajante de todos os tempos, Ibn Battuta: “Viajar, primeiro te deixa sem palavras, depois te transforma num contador de histórias.” Suspeito, caro leito, ser este o caso do Arnaldo, um autêntico viajante que vem se mostrando, cada vez mais, um talentoso contador de histórias. Conheço-o e o sigo desde 1996, através do seu blog, aquele que, na minha opinião, é um dos melhores de viagens da internet brasileira, tanto pela excelência fotográfica quanto pela qualidade dos textos. Com um currículo andarilho de respeito (mais de 60 países, entre eles Quirguistão, Miamar, Irã e Uzbesquistão), Arnaldo tem o mérito de ir na contramão da blogosfera profissional e monetizada: de maneira simples, autêntica e independente, preza, principalmente, a credibilidade e a confiança de seu leitor." 

 Escritor, jornalista e colaborador de diversas revistas nacionais e estrangeiras

 


COMENTÁRIOS
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« FOMOS para a Etiópia | Main | GENTE, o maior patrimônio do Irã »
Quarta-feira
Dez182013

Felicidade é ter amigos! 

NÃO existe melhor época do ano para reflexões, para os balanços e projetos do que esta. Sobre o que fizemos, o que desejamos e também o que precisamos fazer. De alguma maneira, todos nós analisamos e celebramos. E nos recordamos das novas pessoas que entraram em nossas vidas, dos relacionamentos, do que aprendemos, de tudo mais que nos marcou no ano que termina. Nada mais natural, então, do que pensarmos com doçura no que realmente dá sentido à própria vida: a felicidade.

DIA desses eu conversava com minha doce Emília sobre o tema. Divergíamos nuns pontos, concordávamos noutros, mas sobretudo celebrávamos mais uma vez o quanto nos tornamos mais felizes com nosso encontro. Ao fazermos um balanço das mudanças radicais que nosso encontro provocou em nossas vidas, e no quanto nos tornamos mais apaixonados a cada dia, falamos sobre a vida, a felicidade, os amigos, as pessoas. Saímos ainda mais felizes ao fim daquele almoço, tanto pelo assunto quanto por conhecermos um delicioso novo restaurante na Cidade Maravilhosa, o "Volta", onde tivemos uma experiência marcante.

TAMBÉM não deixamos de falar das viagens que fizemos no ano que termina, das programadas para 2014 - que para nós começa em 2 de janeiro, para a Etiópia - e nos destinos que desejamos.  Todavia, para mim, viajar nunca foi um plano, meio ou meta de vida. Tem importância sim, mas não para o encontro com a felicidade. Esta está nas boas relações humanas, mais do que em qualquer outra coisa. Inclusive a conquista de bens materiais. A felicidade encontro nas pessoas, naquelas que nos apaixonamos numa conversa, nas que demoram um pouco mais para revelarem-se amigas, nas que já fazem parte de nossas vidas e também nas que descartamos por nos terem feito mal. 

MAS há os que acreditam que é na saúde que se encontra a felicidade, outros que para ser feliz é preciso estar só. Já não discordo de ninguém e de nenhuma das maneiras dignas de cada um ser feliz. Quem sabe de si, sabe o que é melhor pra si. Mas quando jovem em não pensava assim. Acreditava que havia apenas uma maneira ser feliz: ter (bens materiais). O resto, ser (feliz), era conseqüência.

AFORTUNADAMENTE evoluí. Não apenas no que efetivamente preciso para ser feliz, também em estar focado nisso. Até mesmo na arte de viajar evoluí, embora ainda não consiga deixar meu lap top em casa. Considero que em tudo mais, sobretudo ao perceber que seria nas relações humanas onde eu encontraria minha felicidade. Na família, na empresa, nos amigos e em conhecer o amor de minha vida. Sobretudo deixei de acreditar que ter (bens materiais) é o único caminho para ser feliz. E desde então passei a dar maior atenção e importância ao trato com as pessoas, a investir nas positivas, assim como livrar-me o mais rapidamente e sem dó das nocivas. Dedicar meu tempo nas relações com os amigos e familiares e não disperdiçá-lo com desafetos.

NA hora de fazer uma lista de amigos, por exemplo, aprendi que devo escrevê-la a lápis. E se há algo positivo em passar por dificuldades nas relações humanas durante a vida, é fazer-nos reconhecer os verdadeiros amigos.

       É nesses monentos natalinos e de fim de ano, próprios às reflexões, aos balanços e aos novos projetos que recordo-me de Aristóteles. Nas priscas eras ele teria dito que "a felicidade é um princípio, mas para alcançá-la devemos realizar todos os demais atos”. Interpreto isso como uma miríade de possibilidades e alternativas, sobretudo nas relações humanas, em não confundir sinceridade com grosseria, falsidade com educação, coleguismo com amizade.

       DURANTE a vida conheci muita gente. E nunca entrei em conflito ao reconhecer que umas poucas tornaram-se efetivamente amigas. E também quando passei a saber diferir gente conhecida e gente amiga. Especialmente a capacidade (antes tarde do que nunca) de “realizar todos os demais atos” a que se referiu Aristóteles: identificar amigos falsos, pessoas que me abraçam com inveja ou despeito, fofoqueiros, intrigueiros, os despeitados e invejosos, os complexados, os com segundas intenções, pernósticos, prepotentes, interesseiros e, finalmente, mas não menos desprezíveis, os que não apuram a verdade e preferem acreditar na intriga.

       COMO se não bastasse, a vida foi ainda mais generosa comigo: proporcionou-me saúde, uma família que me ensinou acreditar em valores humanos importantes - como generosidade e caráter-, proporcionou-me sucesso e reconhecimento profissional, alguma inteligência, um pouco de cultura, , minha doce Emília, um filho espetacular e sobretudo a admiração e o respeito dos que me cercam. Foi tão espetacular  a vida comigo que de lambuja ainda me deu aquilo que na adolescência eu acreditava ser a chave para a felicidade: poder adquirir tudo de material que desejo. Sobretudo viajar. Para onde, como e quando desejo. A vida me deu esse bom gosto ao escolher viajar como meu maior investimento, apreciar as artes e a cultura e reconhecer que experiências sociais são verdadeiramente úteis.

A vida é curta, as oportunidades pequenas, os azares espertos, os verdadeiros amigos poucos, as experiências traiçoeiras e as decisões difíceis. Tudo parece conspirar contra nossa felicidade. Todavia nada mais necessário do que estar atento, ser capaz de reconhecer a naturalidade dos contratempos, a positividade enfrentá-los, a determinação de vencê-los.  

ENTÃO, gente boa virtual e presencial que frequenta este blog, conhecida ou não, anônima ou que tenha registrado sua visita em 2013, agradeço e desejo um maravilhoso Natal e um ótimo 2014. Com tudo o que cada um possa acreditar ser fundamental para alcançar a felicidade: saúde, paz, amor, sucesso e grandes relações humanas. E se possível, muitas e boas viagens!

Obrigado.

Reader Comments (9)

Adorei! Perfeito o que mencionou sobre amizades!
Prefiro ter poucos amigos, mas que posso dizer que são para uma vida inteira.
Bela reflexão em muitos tópicos abordados.

Viva em paz sempre!
Obrigada pelos seus belos textos e que tenhamos mais tantos no próximo ano.

20:28 | Unregistered CommenterTatiane

Desejo, igualmente, a você Arnaldo e sua doce Emília, e demais presenças virtuais, um maravilhoso Natal e um ótimo 2014! Sensacionais e calorosas viagens!

13:59 | Unregistered CommenterRosa

Seu blog é uma inspiração!! Parabéns! O aprendizado sobre as relacoes humanas é o mais essencial na vida. Obrigada por partilhar suas reflexões. Sua escrita clara e precisa ajuda a traduzir sentimentos e impressões por vezes nebulosos. Desejo muitos encontros felizes, sabedoria (mais) e viagens em 2014!

20:22 | Unregistered CommenterOdaleia

¡Feliz 2014! ¡Les deseo lo mejor para ustedes dos y sus familias!
Boas Festas!

15:26 | Unregistered CommenterCarmen L.

Tem uma frase de Dom Hélder Câmara de que há pessoas, independentemente da idade, que, pelo que são, pelo que fazem e pelo que dizem, são pessoas meio-dia.
Seu texto revela que vc, Arnaldo, é uma dessas pessoas meio-dia.
Parabéns por conseguir traduzir o sentimento de tantas pessoas com simplicidade e sabedoria, mas, principalmente, por ser uma pessoa meio-dia!!!!
Feliz 2014 e boa sorte nas viagens!!!

23:14 | Unregistered CommenterBernah

Gosto do que e como escreves, do enfoque e da finalidade do que contas.E gosto mais ainda de ver que o horizonte pra ti, é bem mais longe , bem mais bonito e bem mais sincero.
Parabéns

Olá,
Passeando pela rede, navegando no Viaje na Viagem, encontrei o seu blog!!
Perfeito...Acalento a idéia de ir a Etiópia, conhecer Lalibela......Estou muito contente!
Vou aguardar seu retorno e relatos.
Um bom ano para vocês.
Boa Viagem.
Ana Silvia

Moro no Estado de SP.
Eu não sei como encontrei seu magnifico blog
com imagens deslumbrantes e as explicações que você
deixa é uma verdadeira aula.
O assunto não poderia ser melhor ,
pois conheci uma parte apenas do tudo que tenho certeza ainda vai postar.
Meu espaço é diferente do seu mais vou deixar um convite
para uma visita.
Ficarei feliz com certeza em poder seguir você.
Um abraço feliz tarde de Domingo.
Evanir.

14:34 | Unregistered CommenterEvanir

Olá meu caro! Você não tem ideia do que está sendo a satisfação de ter descoberto o seu fantástico site nesta noite de hoje e assim por acaso! Impressionante a sua capacidade de nos impressionar. Espero que você nunca pare com ele, e siga sempre em frente, proporcionando a nós, simples mortais enclausurados nestas selvas de concreto como eu aqui em Brasília-DF, capital do Brasil, que embora sendo u ma das maiores maravilhas do mundo moderno, ainda está longe de ser tão bela quanto estas paisagens naturais que você nos mostra! Estarei seguindo-o e publicando sempre que possível algo seu em meus sites! Felicidades e parabéns, e siga seu destino privilegiado. Carlos Alberto, in:carlossam.Blogspot.com

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.