CONHEÇA O AUTOR

 

         Depois de estabelecer-se na Internet - em 1999 - escrevendo relatos de viagens em sites relacionados com o tema, e em 2006 ter fundado o blog Fatos & Fotos de Viagens - um dos pioneiros da blogosfera de viagens - Arnaldo foi convidado a colaborar com matérias na Revista Viagem & Turismo, da Editora Abril e, agora, prepara o lançamento de seu primeiro livro - "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia" - ingressando, assim, na literatura de viagens com um livro encantador, segundo o autor, o primeiro de uma série de pelo menos quatro que já planeja produzir, dois deles em plena fase.

Assim o autor define esta sua nova fase:

             "Livro é coisa séria. O que o leitor encontrará em "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia" é diferente do que lê aqui no blog. Da narrativa ao estilo. Em vez de apenas uma "conversa" com o leitor, baseada na informalidade, o livro mistura traços desta coloquialidade e informalidade com os de uma escrita literária. Sobretudo com profundo respeito à arte de escrever. Passo a ser um escritor, o que nada mais é do que uma outra maneira de me expressar sobre viagens e de transmitir ao leitor minhas impressões. Segundo o poeta e ensaísta norte-americano Henry David Thoreau, "Muitos homens iniciaram uma nova era na sua vida a partir da leitura de um livro". A partir deste meu primeiro livro escrito, considero ter ingressado numa nova, deliciosa fase em minha vida. 

              Minha ascensão na escrita de viagens com este trabalho literário não é exatamente uma novidade. Ainda que recentemente eu tenha notado a mente lampejar com a ideia: tornar-me um escritor de viagens. Todavia, ela sempre me rondou. Mesmo que a alguma distância. Não foram poucos os amigos, parentes e leitores do blog que há mais de dez anos recorrem à pergunta: “Por que não escrever um livro?”

Gente que escreve e encanta, fala sobre o autor:

Haroldo Castro:

            "Arnaldo é um dos viajantes equilibrados e sensatos que se lança escritor, o que, num Brasil de pouca leitura e onde a Literatura de Viagem não chega a ocupar meia estante nas livrarias, conta histórias que servirão de grande subsídio para qualquer leitor, além de ajudar a romper os preconceitos de que a África só oferece guerras, doenças e fome. Infelizmente, a riqueza cultural e natural do continente é quase sempre tão abafadas por notícias negativas que considero este livro um raio de luz na região."

Jornalista, fotógrafo, autor de “Luzes da África”, indicado para o Prêmio Jabuti na categoria Reportagens

Ronize Aline:

             "Minha opinião sobre o autor está refletida na resenha que escrevi de seu livro "Bom dia, Addis. Adeus Etiópia": ele escreve com o coração e demonstra respeito por tudo o que viu. Este livro, mais do que o relato de uma viagem à Etiópia, é uma viagem rumo a uma experiência de imersão e contemplação do outro. É como olhar para o diferente sem estranhamento ou indiferença."

Escritora, tradutora, jornalista, professora universitária, crítica literária do jornal O Globo, do Rio de Janeiro

Rachel Verano

             "Neste livro, Arnaldo tem o poder de nos transportar a um dos cantos mais fascinantes e ainda intocados do planeta. Mas de maneira ao mesmo tempo delicada e profunda, pessoal, criando intimidade com os personagens, deixando o leitor perceber cheiros, sabores e sentir as emoções de suas descobertas. Do peso do ar à alegria de dobrar a esquina, o autor consegue transmitir todo seu fascínio de estar diante de algo realmente novo."

 Jornalista das revistas Viagem & Turismo, Veja, VejaSP, Glamour, TAM e Vamos/LATAM

Davi Carneiro

             "Há uma frase atribuída ao grande viajante do século 14, talvez o maior escritor-viajante de todos os tempos, Ibn Battuta: “Viajar, primeiro te deixa sem palavras, depois te transforma num contador de histórias.” Suspeito, caro leito, ser este o caso do Arnaldo, um autêntico viajante que vem se mostrando, cada vez mais, um talentoso contador de histórias. Conheço-o e o sigo desde 1996, através do seu blog, aquele que, na minha opinião, é um dos melhores de viagens da internet brasileira, tanto pela excelência fotográfica quanto pela qualidade dos textos. Com um currículo andarilho de respeito (mais de 60 países, entre eles Quirguistão, Miamar, Irã e Uzbesquistão), Arnaldo tem o mérito de ir na contramão da blogosfera profissional e monetizada: de maneira simples, autêntica e independente, preza, principalmente, a credibilidade e a confiança de seu leitor." 

 Escritor, jornalista e colaborador de diversas revistas nacionais e estrangeiras

 


COMENTÁRIOS
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« DORDONHA, França - Um segredo bem guardado para três | Main | MANDALAY - Mianmar, já não é mais romântica »
Sexta-feira
Mar152013

BAGAN - Võo de Balão, meu "déjà vu" sobre os templos 

                        NÃO era passado. E até parecia um sonho. Mas a cena era presente. E eu sabia que logo terminaria. Afinal, quem já experimentou sabe o quanto dura um déjà vu. É rápido e potente como uma faísca. Uma fração tão mínima de segundo que nem dá pra contar. Mas se percebe a deliciosa, fugaz, estranha sensação de ver o já visto sem nunca ter visto.

                        A imagem parecia de sonho, a paisagem quase irreal. Não fosse produzida por James Stanfields (*) e publicada na National Geographic, seria uma das mais notáveis criações da imaginação e da computação gráfica. Mas era uma fotografia. E uma das mais belas que eu já vira. Guardada num cantinho do cérebro, foi ela quem promoveu aquele bug cerebral enquanto eu sobrevoava Bagan.

                        O registro - uma vista aérea dos templos do antigo Reino de Bagan - fora tomado a partir de um balão. E retratava a planície semi-árida, um mar de templos ruinosos brotando da terra vermelha. Eles exalam antiguidade e mistério. Especialmente sob a luz e a bruma do alvorecer, quando entre árvores da rala floresta que os parece engolir tornam o cenário espetacular.

                     Ao longe, outros balões sobrevoavam o cenário incrível. Tinham a mesma padronagem, a mesma cor que as primeiras luzes da manhã atenuam: dos tijolos dos templos, da terra e até do fogo que os mantêm mais leves que o ar. A composição era perfeita. O enquadramento, de mestre. Uma belíssima fotografia de paisagem. Dessas que teimo em tentar produzir. Sem sucesso.

                          Anos depois eu estava ali, no mesmo lugar, à mesma hora, no mesmo cenário incrível e experimentando um dos maiores privilégios que as viagens têm me proporcionado: voar de balão sobre os templos de Bagan. Extasiado, quase incrédulo, olhava sem respirar, vivia momentos efêmeros, de sonho-realidade. Silenciosamente como voam os pássaros, observava milhares de pagodas e stupas da outrora grandiosa Bagan. E disparava minha nova full-frame como se o mundo fosse acabar ali, tão rapidamente quanto um déjà vu. Tentando vergonhosamente copiar James Stanfields.

                   As fotos são minhas, feitas a partir do nascer do sol do dia 13 de Fevereiro de 2013, com uma NIKON D800 e uma lente Nikon 28-200mm F3.5-5.6 durante um vôo de balão sobre Bagan.

_______

(*) Nota: James Stanfields vive aventuras invejáveis para quem é um curioso natural pelo mundo. Já esteve em mais de 120 países fotografando para reportagens, dedicando-se a um serviço que já lhe rendeu inúmeros prêmios, além de uma vida fascinante e de muitas histórias para contar. Juntou-se ao pessoal de fotografia da National Geographic magazine em 1967. É como o nosso Haroldo Castro.

   _____________________________________________

Reader Comments (10)

Recomendo o voo de balão. É considerado como um dos 5 ou 7 mais belos do mundo!

Amigo, você já deve tê-lo feito umas cinco vezes. Este foi meu primeiro vôo de balão, e achai absolutamente sensacional, especialmente porque a equipe é muito profissional (ingleses e australianos).

Grande abraço

Que sonho Arnaldo! E esse post está uma pérola. Parabéns e muito obrigada por dividir conosco esse momento. As fotos estão fantásticas. Abraços. Sandra.

Os sonhos se alimentam de imagens como as do James Stanfields ou como as suas. Que fotos tão incríveis dos balões, Arnaldo, parabéns por dar ainda mais comidinha para nossos sonhos viajantes com suas belissimas imagens (e as da Emília também). Grande abraço.

6:59 | Unregistered CommenterTony

Muitíssimo obrigado, Tony. Vindo de um homem que sabe escrever e fotografar, com livres publicados, é uma homenagem, mais do que um elogio. Um grande prazer sua visita e comentário. Um grande abraço à Cecília. Lamentamos muito que sua visita ao Rio de Janeiro em maio conincidirá com nosso próxima viagem. Muito mesmo. Não dá pra modificar as datas?

Grande abraço ao casal amigo.

Muito gentil, Sandra. Obrigado pela visita e comentários.

Boa dia, entro em contacto para saber se está interessado em participar numa campanha com o seu blog.
Em caso de interesse, por favor entre em contato comigo e em seguida envio mais detalhes.

12:34 | Unregistered CommenterMarco

Arnaldo,
Fotos fantásticas! Sou apaixonada por passeios de balão e fiquei encantada.
Que você possa viver muitos privilégios como este!

3:06 | Unregistered CommenterLucila

Obrigado, Lucila. Que todos os seus votos tornem-se realidade!

Saúde!

Arnaldo,
Que espetáculo! Fiquei fascinada pela beleza!

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.