MENSAGEM ao LEITOR
CONHEÇA QUEM ESCREVE

BEM-vindo ao Fatos & Fotos de Viagens, um blog sem jabá e não vulgar

        EXISTE no viajar e no escrever relatos de viagens um terreno fértil para demonstrações de arrogância. É algo simplesmente disseminado. Tanto no mundo virtual quanto na literatura. Mas o que o maravihoso mundo da viagens precisa é de mais viajantes humildes, não de "especialistas" caga-regras que determinam de tudo: desde como arrumar sua mala ao único tipo que você deve comprar, do lugar que você tem que ir, caso contrário sua viagem será uma merda. Nunca tão maravilhosa como a dele. As classificações dos lugares também. Tem sobrado superficialidade a egocentrismo. Autores assim não percebem que tudo é muito subjetivo e pessoal, que a experiência e o prazer de alguém não será necessariamente igual ao de outro.  Sobretudo as necessidades.

      A blogosfera "profissional e "monetizada" vulgarizou-se e tornou-se banal. Carecemos de gente que escreva para motivar e inspirar, para alargar horizontes, de viajantes que "mostrem" os lugares em vez de "ensinarem" a viajar. Moderadamente, ponderadamente, sem afetação típica de deslumbrados que viajam pela primeira vez em classe executiva e precisam espalhar para o mundo em resenhas risíveis. Ao contrário, a blogosfera

       ESTE blog, ao contrário, não fez concessões à vulgarização dos blogs depois da "profissionalização" e da monetização de alguns. Ao contrário, este é um blog singelo, simples, pequeno, inexpressivo na blogosfera, não despesperado por audiência nem seu autor se dedica mais à sua divulgação nas redes sociais do que à escrita. Tento dar graça à leitura e consolidar algo que prezo muito: confiabilidade, credibilidade.

        COMECEI a viajar tarde, você sabe. Por falta de dinheiro. Até que um dia viajei pela primeira vez ao exterior. Eu tinha 35 anos. Fui assim apresentado ao então desconhecido mas fabuloso mundo das viagens. Jamais, todavia, pensaria visitar mais de 60 países, alguns muito improváveis à época. Irã, Uzbequistão, Myanmar, Etiópia, Quirguistão entre eles. Mas foi recentemente que compreendi que as viagens ficam pra sempre, não as coisas. E que é por esse mundo ser tão diverso, por cada país ser tão diferente, que me parece tão atraente e divertido.

       NÃO sou escritor profissional. Tampouco jornalista. Mas invejo esses profissionais por dominarem o idioma, a gramática e as palavras.  Ainda assim, faço meu melhor, meu caro, estimado, raro e precioso leitor. Então, peço-lhe que considere algo: que mesmo escrevendo com sensibilidade e responsabilidade, incorro em erros. Se quiser, aponte-os. Tanto gramaticais quanto de digitação. Como tenho revisor profissional, antes de publicar dou curso a incansáveis revisões. E também submeto-os ao crivo de minha esposa. Ainda assim, alguns nos escapam.

      SOU brasileiro, empresário e casado com a Emília do blog "A Turista Acidental" e desde que a conheci (e antes mesmo de nos casarmos), tornou-se a "mais-que-perfeita" companheira de vida, de idéias, de projetos e ideais, sobretudo encantadora, adorável e inspiradora companhia de viagens e de aventuras. Com ela compreendi o que significa "prazer de viajar". Foi (e continua sendo) minha melhor fonte de inspirações e de motivações. Tanto que qualifico minhas viagens como "antes e depois" da Emília e "antes e depois" da Índia. Foi com ela que percebi o que quis dizer Érico Veríssimo com "Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado certamente chegará mais longe." Somos pais de gêmeos - uma menina e um menino - nascidos em julho de 2015, e de um filho de 34 anos do meu primeiro casamento, em quem o gosto pelas viagens pareceincorporado. Não sou avô, mas as coisas estão bem encaminhadas neste sentido.

       HOJE com 64 anos (boa parte deles dedicados à família e ao trabalho), foi apenas aos 35 que pude começar a viajar internacionalmente. Desde então visitei 61 países, entre os quais alguns dos mais fascinantes e com os sítios mais admiráveis do planeta. Felizmente, para alguns deles ainda a salvo do turismo de massa, cujos excessos arruinam qualquer lugar. Em março de 2006, quando iniciei este blog, o fiz como meio de comunicação com a família e amigos. Anos mais tarde eu descobri o poder de contar histórias em textos e fotografias, e logo ele tomou outro rumo, provavelmente porque os leitores gostavam dos textos e das fotos, ou então porque na época havia pouquíssimos blogs.

       FIZ cerca de 90 viagens internacionais, voei por 40 cias. aéreas diferentes (algumas extintas) em 391 vôos para fora do Brasil e dentro de outros países e em todas as classes possíveis. Segundo Haroldo Castro - jornalista-fotógrafo-escritor que já esteve em 160 países -, o maior viajante que conheço, em seu teste "Viajologia" que se pode fazer em seu site, que considera não apenas a quantidade de países visitados, mas lugares, monumentos e patrimônios, além de transportes, experiências e situações difícieis porque passam os viajantes, alcancei "Mestrado em Viajologia". Mas isso não é nada diante de gente que lá já "graduou-se" em pós-doutorado.

Escrevo este blog sob uma perspectiva lúcida e sem concessões à monetização sem critérios

        Eliminei o contador de visitas deste blog quando marcava mais de 6 milhões. Audiência hoje em blog é decadente. Viajar, escrever e publicar algo que inspire e icentive o leitor é o que mais me motiva. NUNCA como blogueiro interventor nas viagens alheias, ou caga-regras dizendo como alguém deve viajar e que tipo de mala usar e essas chatices que definem as pessoas homogeneamente.Parece ser o que traz os leitores até aqui. Ou porque gostem de fotografia, para além da leitura odepórica, como eu. E por este blog não ter captulado à ambição e vaidade que levou tantos autores de blogs à monetização sem critérios, sobretudo enganando leitores, cada dia torna-se menorzinho e menos importante. Se continuarem assim, os blogs precisarão ser reinventados. Este aqui nasceu livre e assim será até morrer. Por enquanto estou sempre por aqui. Nem que seja em pensamento. Só não sei até quando.

         Agradeço a visita e os comentários e desejo boa viagem aos leitores.

Em tempo: este blog não integra nenhuma associação disfarçada de incentivos à monetização. Mas se um dia fundarem a ABBLI (Associação Brasileira de Blogs Livres e Independentes), por favor, me convidem!

#blogsemjaba

COMENTÁRIOS
RSS - Quer subscrever?
AddThis Feed Button

Share/Bookmark

VIAJE neste blog

Fotos de viagens
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« RANAKPUR, Índia e o Templo Adinatha | Main | A mais incrível viagem de nossas vidas »
Terça-feira
Dez302014

GÊMEOS a bordo. Ou o que acontece com um cérebro em êxtase 

 Bebê 1

                 - Emília, seu Beta deu 300! Você está grávida!

                 Não estou bem certo, mas foi perto disso: notícia dada que nem twitter: curta e rasa (não é à toa que não gosto do twitter). Pra quem não sabe, basta dar 50 no tal exame para que certifique-se a gravidez. Mas me lembro muito bem de como eu a recebi a notícia. Minha doce Emília veio caminhando em minha direção. Tinha um olhar fixo nos meus olhos e um sorriso "mona lisa", pseudo enigmático, mais pra instagram do que pra twitter. Sem legendas ela me abraçou e pronto, estava dada a notícia: "Você vai ser papai!"

                  Dias depois fomos fazer o primeiro ultrasom. Aliás, "ultrasom" é palavra que pais de gêmeos escutarão muito. O dobro de vezes dos pais de gravidez não gemelar.

                 - Não vai dar pra saber o sexo ainda não, disse a doutora.

                 - Como assim, doutora? Nessa hora meu coração deu uma disparadinha. Todo pai sempre acha que toda notícia dada é de problema com o bebê.

                 - Porque são gêmeos!, respondeu a doutora.

                 Existe um meio de matar a curiosidade mais cedo, saber o sexo do feto antes dele ter "idade" para mostrar sua intimidade dentro da barriga da mãe. Quem tem pressa não precisa esperar até a 17ª semana de gravidez e pela ultrasonografia que mostrará se será menino ou menina. Há um exame sanguíneo de sexagem fetal, teste para identificar fragmentos do cromossomo Y no sangue materno. O problema é que determina o sexo de apenas um dos fetos, no caso de gêmeos. Ou de ambos, no caso de meninas. Vale a pena arriscar? Você quem sabe, o sangue é seu.

Bebê 2

                  CÉREBRO, êxtase e paixão  __________________________________________________

                  Dizem os espertos que uma paixão para instalar-se na gente leva um quinto de segundo. Rápido, não? Pensa bem: um quinto de segundo nem dá pra gente medir. E que nesse tempinho um tantão de dopamina, ocitocina, adrenalina e vasopressina são despejados no sangue e deixam o cérebro em êxtase.

                 Desde que o exame de sangue deu positivo (em 300!), número alto que supostamente indicava gravidez gemelar, venho pensando nisso, no quanto vivo novamente um êxtase cerebral e uma nova paixão na vida. E que se minha vida teria tanto sentido antes e depois dela. Meu cérebro anda em êxtase. Eu todo ando assim! Porque não sei se existe algo mais encantador, precioso e magnífico do que ser pai novamente. E agora de gêmeos. E mais, se depois de tê-los, conseguirei imaginar minha vida sem eles. Porque ser pai de gêmeos é um privilégio raro. Duas vezes de uma vez só.

                  Mas também se descobre que gravidez de gêmeos não significa apenas o dobro de filhos em gestação. E de felicidade. Também são duas vezes mais preocupações, necessidades de cuidados. É mais angustiante, é mais arriscada, há um zilhão de coisas que nos ocorrem desde então e as sensações aqui têm variado muito. De tempestades de preocupações a calmarias de felicidades. Porque gravidez de múltiplos significa viver riscos e cuidados proporcionais ao número de bebês. Dos desafios às recompensas tudo se multiplica na mesma ordem.

                Desde o primeiro ultra-som de uma série que virará rotina daqui em diante, ainda maior por serem gêmeos, quando soubemos que teríamos bebês bivitelinos a alegria veio acompanhada de preocupação. Tratam-se de duas gestações independentes e simultâneas, razão porque os bebês tem diferenças no peso, na altura e eventualmente no sexo. Mas também duplicam-se os problemas com a mãe e com a gravidez. Tudo é dobrado. E assim estamos assim, desde que soubemos que estamos muito grávidos.

                 A gravidez do pai não ocorre "nas entranhas" como na mãe, claro. Ou melhor, pai não serve pra nada na gravidez. Só pra dar apoio. E olhe lá. A "gravidez" paterna é infinitamente menos complexa e sofrida do que a da mãe, sobretudo pela ausência de seus inconvenientes físicos. Diz a ciência, todavia, que cada dia existem mais pais desenvolvendo sintomas de depressão pós-parto e psicológicas durante a gravidez. Devem ser os hormônios. Já pra mim, que não sou dado a depressões, o melhor que como grávido tenho a fazer nessas horas é dedicar-me aos preparativos para o nascimento e apoiar e acompanhar minha doce Emília no que for preciso. Acho também que até mesmo no que não for preciso. A gravidez é diferente entre nós. Só a alegria é a mesma. E cada dia renovada.

                Desde que soubemos ainda na sala de ultra-som da nossa gravidez gemelar, comecei a mandar notícias instantâneas por celular, pra amigos e familiares. O "zap-zap" chegou a esquentar meu Samsung. Mandei fotos da examinada no ato e da TV de 42 polegadas com aquela imagem cinza e borrada do que pareciam ser dois olhos de coruja, mas eram as duas bolsas amnióticas. Minha vontade foi sair gritando. De alegria, claro. E um certo orgulho. Especialmente depois de ouvir os dois coraçõezinhos batento. Que tum, tum, tuns mais lindinhos!

               Rimos primeiro, choramos depois. Em harmonia. Como tudo em nós. Peguei a mão dela, olhei nos seus olhos ainda mais radiantes do que já são todos os dias, e por um bom tempo ficamos assim, meio bobos, meio foras do ar, sentindo aquilo tão especial quanto minhas palavras não sabem descrever. Saímos dali percebendo que nossas fisionomias não escondiam o que sentíamos: eram tão óbvias as reações que bastava olharem pra nós pra sabermos que estamos grávidos. De gêmeos. Eu estava com uma baita vontade de falar pra "Deus e todo mundo" (da vendedora da loja das primeiras roupinhas que comprei até aos porteiros do nosso prédio: "Vou ser pai. Vou ser pai de gêmeos!"

                 Quem sabe esse blog tome um novo impulso. Sobretudo vocação? Fatos & Fotos de Viagens com Gêmeos. Ou Fatos, Fotos & Fraldas de Viagens, como sugeriu o leitor Jesus Pires aqui mesmo, no post anterior. Se for assim, continuarei a escrever minhas reflexões da vida e de viagens de um viajante vivo, agora grávido, daqui a seis meses, pai de gêmeos. Ainda não sei. Tenho um caminhão de dúvidas, motivações e novidades desembarcando todo dia na minha porta. São tantas que ainda não dou conta de processá-las. Apenas de uma coisa estou certo: se o fizer, o blog terá os mesmos princípios do original: ética, transparência, honestidade, franqueza, bons valores, caráter, aversão a esnobismo, superficialidades, banalidades e ostentação. Também não será um blog twitter, porque blog não é twitter não. Nem de fotos de celular. Nem de fraudes (viajeiras ou não) cada dia mais comuns na Internet. Especialmente agora, sob tema tão digno e sério quanto gravidez gemelar, sobre criação e educação de filhos gêmeos, a respeito de tudo mais que se relacione com viagens com filhos ou durante gravidez gemelar.

                 Há alguns blogs sobre viagens com os filhos. Uns bons, outros não. Uns só falam de Miami e Orlando. Outros do resto do mundo. Mas blog de viagens com gêmeos? Sei não. Escritos pelos pais? Sei menos ainda. Seja como for, esse aqui será mais pragmático, não muito familiar ao olhar feminino. Estou pronto para enfrentar os desafios de ser um bom pai de gêmeos e acho que isso é coisa boa de se contar e compartilhar. Será sobre muito do eu que penso de como prepará-los para a vida, para o gosto por viagens, para viajar com e sem os filhos, sobre minhas certezas e dúvidas do que fazer para bem educá-los e de como preparar-me para oferecer-lhes o melhor.

                 EMBRIÕES ou fetos? Feto é caramba, são meus filhos!  ___________________________

                 Ontem fizemos o segundo ultrasom. Até então parecia que a ficha não havia caído direitinho: agora os embriões foram elevados à categoria de fetos. Confesso que eu, que nunca pensei poder achar beleza nas imagens de ultrasom (nem mesmo as cloridas e tridimensionais), me apaixonei vendo meus dois filhos assim: um dormindo, outro se mexendo acordado. Daqui a um mês, novo ultra, nova etapa de emoções e descobertas. Rumo ao terceiro mês de gravidez. Por enquanto não sabemos os sexos, daí chamá-los ainda por "bebê 1" e "bebê 2", mas já escolhemos os nomes.

Os dois bebês

                UM caminhão de dúvidas e muita leitura para evitá-las ____________________________

                 Estamos lendo muito. Entre tudo, um ótimo livro que ganhamos de uma querida prima: "Crianças francesas não fazem manha". Tudo a ver com nossa visão e intenções de educação dos gêmeos. Tremo só de pensar em não saber como educá-los. Ainda que eu já tenha um filho bem educado. Mas sei lá se os impedirei de ataques de birra em público, de não saberem se comportar à mesa, de que nos dominem e à casa, que arremessam batata frita no restaurante, que só comem Mc Donalds, Toddynho e porcarias com gorduras trans. Saberei impedí-los de se viciarem em Globo, SBT e Discovery Kids? Mesmo sendo um pai que não assiste TV aberta nem acha que o "Jornal Nacional" uma boa "janela para o mundo"?  Conseguirei ensiná-los a naturalmente usarem 'por favor' e 'obrigado'? Sem sacrifícios? Saberei educar gêmeos não chiliquentos? Serei um pai sem autoridade? Terei bom senso ara não fazer festas de aniversário mais produzidas do que efstas de casamento ou as farei em casa mesmo (salão de festas me dão arrepios!)? Será que apenas minha intenção e empenho evitarão criar filhos que tenham seus desejos, mas não a gana de comprarem mochilas da Barbie, notebooks "Princesas Disney", consumistas de propaganda? Saberei como fazê-los detestarem refrigerantes? E a pisarem descalços na terra e na grama sem terem espasmos de nojo?

                 PRIMEIRA e última viagem grávidos  ___________________________________________

                 Ainda dentro da barriga da futura mãe eles já mudaram nossas vidas. Nos impõem cuidados, restrições e preocupações. Especialmente em viagens. Em dobro, porque você já sabe, gêmeos são assim. Viajar grávida significa restringir gigantescamente os destinos. O problema não está no avião, mas para onde ele nos leva. Mês que vem vamos viajar. Será a primeira (e única) viagem enquanto grávidos. Para grávidas, o problema não é o avião, mas para onde ele as leva. Então iremos à Espanha e França. Visitaremos Barcelona (especialmente porque desejamos rever nossos queridos amigos Tony e Cecília Gálvez), Paris, Vale do Loire e Mont Saint Michel. Será uma escapada de Carnaval. Com minha querida sogra, amiga e futura vovó de gêmeos Mariliana.

                Obrigado, minha doce Emília. Te amo. Ainda mais (se isso for possível...). E cada vez que te olho, penso se devo mesmo fazer vasectomia. Porque pra mim a paixão não é apenas essa tal de "química" despejada no sangue, nem do êxtase cerebral. Tem  muito mais a ver com o coração.

                Para você, querido leitor, desejo um Novo Ano espetacular. Sob todos os pontos-de-vista.

 

Reader Comments (16)

Arnaldo, adorei o post!!! E cá pra nós, se já amo seu blog, serei a seguidora mais assídua do mundo se começar a postar sobre viagens com crianças (e sobre facilidades para os bebês nesses passeios)!!! 🙏🙏👌👌😍😍 Qto ao sentimento do pai moderno durante a gestação, é isso mesmo. Hj o pai sente, chora, fica eufórico, inseguro, super seguro, enfim, vive a mesma montanha-russa de emoções da mãe. Aliás, toda vez que reclamo do momento "sensível" do Edu (rss), até pq a gestação e seus hormônios me deixaram um pco mais "impaciente" com ele (rss again), recebo emails dele me mostrando estudos que comprovam que hj em dia o pai, como participa mto de todo o processo, consultas, compra de enxoval etc, sofre até mudanças hormonais tb. Há um estudo da Universidade da Califórnia, se não me engano, que identificou queda de testosterona e até surgimento de um dos hormônios da lactação em um número alto de pais considerados "sentimentais" ou "emotivos" (sim, eu disse lactação! Mas obviamente em proporção pqnininha...! Rss), do tipo de papai-to-be que fica sempre com a mãozinha na barriga da esposa ou é pego falando com a barriga, conversando com o bebê. Pra vc, provavelmente será td mto único, pois mta coisa mudou desde seu primeiro baby, né? Rs! Hj pai é mãe tb, e as crianças crescem ainda mais rapidamente..! Continue postando para irmos curtindo todo o processo com vcs! E se ficar emocionado, fique com orgulho dos seus próprios "hormônios alterados da gestação"! Rss! Meu namo passa metade do tempo com os olhinhos marejados, todo bobo, e olha que com todo o desconforto que tive nos primeiros 4 meses, quem devia estar chorando era eu! Rss! Tb estamos amando esse livro, já estamos terminando e todos que nos indicaram a leitura disseram que foi um life changer na rotina com bebês, na continuidade do sono noturno etc.. Bjs e um excelente ano novo pra vc, Emilia e os babies!!! (Continuo na torcida por pelo menos uma baby girl, apesar de que o importante é a saúde! Os morfológicos que o digam! A cada um que passamos, dou um suspiro de alívio! ;-).bjsss!

Emocionada, que lindeza tudo isso! Feliz 2015 para você, Emília e os Bebês!

9:18 | Unregistered CommenterRosa

Eu tenho um amiga com os gêmeos. No início é um pouco difícil ... mas, em seguida, a vida com eles é muito mais divertida. Minha amiga é a pessoa mais positiva que eu conheço. Certo! Ela sempre tem um grande sorriso!!!

16:31 | Unregistered CommenterCarmen

Lendo o texto lindo que escreveu me emocionei muito, e me lembrei do dia em que também recebi a notícia de que seria mãe de gêmeos, aos 19 anos. Hoje tenho 50, e meus filhos gêmeos, univitelinos, 31. Lembrei de tudo o que vivi naquele dia da notícia pelo médico, e o que seguiu a partir dali. Desejo muitas felicidades a vocês. Descansem e durmam bastante durante a gravidez de sua linda esposa. Ter filhos gêmeos, se pudesse definir, diria que é um grande presente de Deus, pois são sorrisos em dobro, emoção em dobro, felicidade em dobro! Parabéns!

17:32 | Unregistered CommenterMarina

Arnaldo e Emília: parabéns por partilhar o que de tão intímo e pessoal tem vindo a fazê-lo, desejando um 2015 pleno de felicidades a dobrar...

Obrigado, José Faria, pela visita, comentário e votos. Desejo um 2015 espetacular em todos os sentidos. Grande abraço!

Não há nada mais delicioso do que conseguir tocar, emocionar um leitor. Muito feliz e encantado com seu comentário. Desejo a vcs todos um ano novo espetacular, sobretudo com muita felicidade, saúde, paz e tudo que desejarem.

Sempre muito gentil e presente, semrpe comentando. Desjo a vcs tudo do melhor que possam desejar neste ano. Saúde!

Rosa, encantadores são sempre seus comentários. Jamais esquecerei a todos, desde que me recordo de quando começou a ler o F&F e comentar. Desejo a vocês um ano espetacularl, sobretudo com saúde e paz. Grande abraço. E obrigado sempre.

Olá Arnaldo, fiquei duplamente feliz com essa maravilhosa noticia: por um lado, teremos Fatos e Fotos de Viagem por muitos anos e por outro imagino como será agradável acompanharmos a iniciação dessas crianças no universo das viagens. Vivo um momento de felicidade semelhante ao seu e em dois meses serei pai pela primeira vez, aos 53 anos. Também sou um apaixonado por viagens e pela fotografia, hobby que eu levo muito a sério e você se tornou uma espécie de guru para mim e para uma multidão de pessoas que, como disse Amyr Klink, "...precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser...".
Parabéns pela gravidez de sua esposa! Desejo muita saúde e muito mais viagens para essa família inspiradora!
Um abraço

Caro Lecio Narciso, é um grande privilégio saber que eu o incentivo e inspiro e me sinto muito orgulhoso por isso. De verdade. E é um grande prazer saber que será pai aos 53. Desejo que tudo seja sempre do melhor para vocês e que retorne aqui para dar notícias e perguntar o que desejar.

Um grande abraço e um maravilhoso ano novo.

Um texto emocionante. Sua habilidade em escrever é notória e dividir este momento, tão especial para você e sua família, com seus leitores é de uma sensibilidade e carinho sem tamanho.
Saúde, paz e muita felicidade para vocês!

Obrigado, Vaneza. Um comentário gentil e encantador.

Muito gratopelos votos. Felicidades

Eu achei o bebê 1 a sua cara e o bebê 2 a Emília exatinha! :-D
Lindo post, Arnaldo! Beijo pros 4!

21:57 | Unregistered CommenterMô Gribel

Obrigado, Mô Gribel, pelo comentário e votos.

Bem, por aqui sao só suspiros! :)
Nunca vi um Blog de viagens escrito com tanta paixao. O que mais pode querer um homem?
Grande abraco! :))

9:48 | Unregistered CommenterRenata

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.