MENSAGEM ao LEITOR
CONHEÇA QUEM ESCREVE

BEM-vindo ao Fatos & Fotos de Viagens, um blog sem jabá e não vulgar

        EXISTE no viajar e no escrever relatos de viagens um terreno fértil para demonstrações de arrogância. É algo simplesmente disseminado. Tanto no mundo virtual quanto na literatura. Mas o que o maravihoso mundo da viagens precisa é de mais viajantes humildes, não de "especialistas" caga-regras que determinam de tudo: desde como arrumar sua mala ao único tipo que você deve comprar, do lugar que você tem que ir, caso contrário sua viagem será uma merda. Nunca tão maravilhosa como a dele. As classificações dos lugares também. Tem sobrado superficialidade a egocentrismo. Autores assim não percebem que tudo é muito subjetivo e pessoal, que a experiência e o prazer de alguém não será necessariamente igual ao de outro.  Sobretudo as necessidades.

      A blogosfera "profissional e "monetizada" vulgarizou-se e tornou-se banal. Carecemos de gente que escreva para motivar e inspirar, para alargar horizontes, de viajantes que "mostrem" os lugares em vez de "ensinarem" a viajar. Moderadamente, ponderadamente, sem afetação típica de deslumbrados que viajam pela primeira vez em classe executiva e precisam espalhar para o mundo em resenhas risíveis. Ao contrário, a blogosfera

       ESTE blog, ao contrário, não fez concessões à vulgarização dos blogs depois da "profissionalização" e da monetização de alguns. Ao contrário, este é um blog singelo, simples, pequeno, inexpressivo na blogosfera, não despesperado por audiência nem seu autor se dedica mais à sua divulgação nas redes sociais do que à escrita. Tento dar graça à leitura e consolidar algo que prezo muito: confiabilidade, credibilidade.

        COMECEI a viajar tarde, você sabe. Por falta de dinheiro. Até que um dia viajei pela primeira vez ao exterior. Eu tinha 35 anos. Fui assim apresentado ao então desconhecido mas fabuloso mundo das viagens. Jamais, todavia, pensaria visitar mais de 60 países, alguns muito improváveis à época. Irã, Uzbequistão, Myanmar, Etiópia, Quirguistão entre eles. Mas foi recentemente que compreendi que as viagens ficam pra sempre, não as coisas. E que é por esse mundo ser tão diverso, por cada país ser tão diferente, que me parece tão atraente e divertido.

       NÃO sou escritor profissional. Tampouco jornalista. Mas invejo esses profissionais por dominarem o idioma, a gramática e as palavras.  Ainda assim, faço meu melhor, meu caro, estimado, raro e precioso leitor. Então, peço-lhe que considere algo: que mesmo escrevendo com sensibilidade e responsabilidade, incorro em erros. Se quiser, aponte-os. Tanto gramaticais quanto de digitação. Como tenho revisor profissional, antes de publicar dou curso a incansáveis revisões. E também submeto-os ao crivo de minha esposa. Ainda assim, alguns nos escapam.

      SOU brasileiro, empresário e casado com a Emília do blog "A Turista Acidental" e desde que a conheci (e antes mesmo de nos casarmos), tornou-se a "mais-que-perfeita" companheira de vida, de idéias, de projetos e ideais, sobretudo encantadora, adorável e inspiradora companhia de viagens e de aventuras. Com ela compreendi o que significa "prazer de viajar". Foi (e continua sendo) minha melhor fonte de inspirações e de motivações. Tanto que qualifico minhas viagens como "antes e depois" da Emília e "antes e depois" da Índia. Foi com ela que percebi o que quis dizer Érico Veríssimo com "Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado certamente chegará mais longe." Somos pais de gêmeos - uma menina e um menino - nascidos em julho de 2015, e de um filho de 34 anos do meu primeiro casamento, em quem o gosto pelas viagens pareceincorporado. Não sou avô, mas as coisas estão bem encaminhadas neste sentido.

       HOJE com 64 anos (boa parte deles dedicados à família e ao trabalho), foi apenas aos 35 que pude começar a viajar internacionalmente. Desde então visitei 61 países, entre os quais alguns dos mais fascinantes e com os sítios mais admiráveis do planeta. Felizmente, para alguns deles ainda a salvo do turismo de massa, cujos excessos arruinam qualquer lugar. Em março de 2006, quando iniciei este blog, o fiz como meio de comunicação com a família e amigos. Anos mais tarde eu descobri o poder de contar histórias em textos e fotografias, e logo ele tomou outro rumo, provavelmente porque os leitores gostavam dos textos e das fotos, ou então porque na época havia pouquíssimos blogs.

       FIZ cerca de 90 viagens internacionais, voei por 40 cias. aéreas diferentes (algumas extintas) em 391 vôos para fora do Brasil e dentro de outros países e em todas as classes possíveis. Segundo Haroldo Castro - jornalista-fotógrafo-escritor que já esteve em 160 países -, o maior viajante que conheço, em seu teste "Viajologia" que se pode fazer em seu site, que considera não apenas a quantidade de países visitados, mas lugares, monumentos e patrimônios, além de transportes, experiências e situações difícieis porque passam os viajantes, alcancei "Mestrado em Viajologia". Mas isso não é nada diante de gente que lá já "graduou-se" em pós-doutorado.

Escrevo este blog sob uma perspectiva lúcida e sem concessões à monetização sem critérios

        Eliminei o contador de visitas deste blog quando marcava mais de 6 milhões. Audiência hoje em blog é decadente. Viajar, escrever e publicar algo que inspire e icentive o leitor é o que mais me motiva. NUNCA como blogueiro interventor nas viagens alheias, ou caga-regras dizendo como alguém deve viajar e que tipo de mala usar e essas chatices que definem as pessoas homogeneamente.Parece ser o que traz os leitores até aqui. Ou porque gostem de fotografia, para além da leitura odepórica, como eu. E por este blog não ter captulado à ambição e vaidade que levou tantos autores de blogs à monetização sem critérios, sobretudo enganando leitores, cada dia torna-se menorzinho e menos importante. Se continuarem assim, os blogs precisarão ser reinventados. Este aqui nasceu livre e assim será até morrer. Por enquanto estou sempre por aqui. Nem que seja em pensamento. Só não sei até quando.

         Agradeço a visita e os comentários e desejo boa viagem aos leitores.

Em tempo: este blog não integra nenhuma associação disfarçada de incentivos à monetização. Mas se um dia fundarem a ABBLI (Associação Brasileira de Blogs Livres e Independentes), por favor, me convidem!

#blogsemjaba

COMENTÁRIOS
RSS - Quer subscrever?
AddThis Feed Button

Share/Bookmark

VIAJE neste blog

Fotos de viagens
PROCURA
Quer ler outras viagens?
De onde chegam os visitantes
« JODHPUR, Índia - Momentos longos, dias curtos | Main | ESFAHAN, Irã - Masjed-e Jāme, a Mesquita de Sexta-feira »
Segunda-feira
Ago112014

BÁLTICO - Estônia, Letônia e Lituânia, as três senhoras 

                      EU gosto de "falar" ao leitor. Sei que ele está aí, que ele vive, que pensa e respira. Mesmo que eu não o veja nem ouça. Ainda mais porque sei que ele gosta de viagens. É o que me motiva a lhe escrever. E o tenho feito com um prazer renovado, porque não escrevo guias de viagens, mas impressões e reflexões pessoais ligadas ao tema. Então o tenho feito como se escrevesse cartas, quase como se estivesse proseando com você, caro leitor. E sei que você sabe que imagens valem mais que mil palavras, que não seria razoável um amante da fotografia como eu discordar do pensamento. Mas também creio que você deva reconhecer que palavras podem enriquecer muito as imagens. Sobretudo as de um relato de viagens. Você sabe, apenas os mestres da literatura de viagens podem prescindir das imagens. E mesmo assim conseguirem transporá-lo.

                     SE aqui, nesse ambiente eletrônico os textos longos são inadequados, se para os padrões de um blog eles não conseguem mantê-lo atraído, as imagens valem muito, um pouco mais. Quando então consigo que imagens e palavras complementem-se afinadamente, um relato de viagens torna-se perfeito. Se isoladamente já não é fácil fazê-los assim, que dirá afinaram-se quando juntinhas.

                    PARA quem não escreve burocraticamente(*) como eu, se os relatos são extensos, não prendem, o leitor reclama. Se curtos, não atendem, e o viajante que espera dicas decepciona-se. Quem relata viagens como eu - sobretudo tendo coragem de reconhecer sua falta talento e amadorismo - sabe bem do que falo.

                    EU não passo mesmo é de um turista. Bem aquele do clichê definido pela pretensiosa "sabedoria" que classifica “turista” como ser inferior a “viajante”. Conceito antiquado! Mas veja lá!, adoro ser turista, só lamento ser um pretensioso escritor de viagens e metido a fotógrafo. Reconheço. E alguns leitores também. Mas sou desses turistas que como todo viajante que viaja a turismo é tão turista quanto alguém pode ser: busca seus prazeres turísticos como qualquer turista padrão. E se assim o faço, se sou turístico, se viajo pelo simples deleite que é viajar e explorar, quem me lê sabe que aqui encontrará relatos e fotos dessas viagens que faço e minhas impressões sobre os destinos, mas também um pouco de divagações viajantes.

                      DESTA vez, caro leitor, não vou me estender muito na introdução desta viagem. Da próxima viagem. Mas preciso lhe dizer algo: minhas últimas viagens têm sido por lugares tão exóticos e tão pouco explorados que tenho sido levado a pensar que já não há mais mistérios no planeta. A idade avança e prega suas peças. Mas basta que olhe um mapa com olhar explorador para encontrar uma centena de razões para pensar diferente. E a continuar com minha vontade de conhecer o mundo. Largar mão de ser tolo, de achar que só há o que descobrir em lugares que ninguém foi. Ela não passa, essa minha vontade de conhecer o mundo não passa. Sei que um dia me cansarei disso, desse complexo, trabalhoso, oneroso ato de viajar. E que o cansaço matará o desejo de viajar. A idade é implacável. Ela incondicionalmente nos pega, e provavelmente nos faz deixar de ter tesão de sair da zona de conforto. Só espero que comigo isso venha tarde, bem tarde. Por isso vou sonhando e cuidando da saúde e do trabalho, para que o entusiasmo e as possibilidades continuem me permitindo o imenso desejo de conhecer o mundo, o enorme prazer que viajar me proporciona.

                     ESTOU entusiasmado. Basta surgir a possibilidade de viajar novamente para logo perceber que é tolice achar que descobrir já não é mais possível. Que nosso mundo tornou-se tão plano que já não estimula, que nada mais atrai nem surpreende. Mas até mesmo redescobrindo o já visto é possível entusiasmar-se numa viagem. E agora acabamos de definir nossa próxima: desta vez vamos "descobrir" três países europeus em que jamais estivemos. E dos menos visitados. E se toda viagem que faço é com esperança de novas descobertas, se estou certo de que elas acontecerão, se a mente é exploradora, o corpo nunca sabe o que virá pela frente. E então, mesmo que às vezes descobertas ocorram mais no intelecto que no olhar, na imaginação que no concreto, elas acontecem. E se bastam. É assim que viajo, caro leitor. Por gosto. E por iniciativa. Com olhar viajante, a mente livre, os sensos de receptividade e curiosidade despertos. É assim que me torno pronto para que toda a magia de viajar acabe deixando de ser só uma esperança. Sobretudo com minha doce Emília, quem tirou da cartola esse coelho: Estônia, Letônia e Lituânia.

                     IREMOS aos países bálticos. Ou a "Nova Europa", como definem os modernos. A Tallin, Estônia; Riga, Letônia e Vilnius, Lituânia(**). Voaremos pela Lufthansa(***) do Brasil, via Frankfurt, até Vilinus, de Air Baltic(***) entre Vilnius, Riga e Talin, e depois de Talin ao Brasil via Frankfurt novamente de Lufthansa. Em Vilnius ficaremos no Kempinski Hotel Cathedral Square, em Riga no Dome Hotel e em Tallinn no Hotel Telegraaf.

                      EU voltarei aqui pra te contar. Mas só depois, porque agora tenho muitos posts mal escritos com imagens mal feitas para publicar.

                      FOI boa a prosa, caro leitor. Obrigado por me "ouvir" e um grande abraço!

_______________________________________

(*) Este não é um blog burocrático. Aqui não tem jabá! O que escrevo não tem filtros, é reflexo do que vejo, sou e penso. Não sou blogueiro que escreve por comissão, nem buricraticamente (para pagar fam trips ou receber agrados, mimos, presentes e afins). Não faço viagens que não sejam de nossa escolha e todos os produtos e serviços mencionados aqui não têm o conhecimento dos mesmos, não são recompensados de qualquer forma - anterior ou posteriormente à publicação - e se o fiz foi por liberalidade, apenas com o intuito de informar o leitor. 

 (**) Em setembro de 1991 as repúblicas bálticas - Estônia, Letônia e Lituânia - declararam a Moscou sua independência da União Soviética. Tornaram-se os Estados Bálticos, nome genérico que das três repúblicas na costa leste do mar Báltico, nordeste da Europa, compostos pelas novas nações independentes.  A União Soviética, após 69 anos, então se dissolveu oficialmente em 31 de dezembro de 1991, tornando-se a Federeção Russa.

 (***) Os hotéis e cias. aéreas aqui mencionados foram pagos por mim e a preços de mercado, assim como todas as demais despesas da viagem. Não viajamos a convite de hotéis, cias. aéreas nem empresas de turismo. As opiniões, escolhas, elogios, críticas, menções e relatos são independentes e francos. Não têm compromisso que não seja com a informação, a motivação, a orientação e a inspiração do leitor. E ainda assim feito com a suposição de que o leitor saiba identificar os objetivos deste blog, diferenciá-lo dos blogs jabá e sobretudo que verificará com o fabricante, fornecedor ou prestador do serviço em questão todas as informações aqui obtidas.  Fique seguro: este é um blog gratuito para o leitor: não é necessário doar dinheiro, desconfiar de que as matérias são pagas, ler anúncios disfarçados ou receber propagandas subliminarem enquanto lê.

Reader Comments (11)

Três lugares tão perto e tão diferentes entre si. Riga, a mais interessante com sua arte nouveau e tramas de espionagem. Tallin, a romântica dos contos de fadas e Vilnius, a mais histórica, pobre e sofrida. Você vai gostar.
A idade pode até diminuir a motivacão de viajar, a experiência de tantos lugares até diminuir o surpreender mas o estar lá, a volta, as lembranças e o aprendizado compensam. Boa viagem.

11:36 | Unregistered CommenterElizabeth

Obrigado, Elizabeth. Uma ótima curta definição dos três países. Estamos muito, muito motivados a visitá-los. Srá em outubro. Não vemos a hora de chegar!

Grato pelos votos

Oi Arnaldo, da uma conferida nesse link, nao sei se voce conhece mas pode ser uma opçao aos trechos "internos" pela air Baltic
http://www.luxexpress.eu/en
Boa viagem!

9:43 | Unregistered CommenterAndre

ÓTIMA dica e sugestão, ANDRE. Obrigado.

Dei uma olhada rápida nos ônibus e no timetable, me pareceu muito boa opção não apenas para o Báltico. Todavia eu já comprei os bilhetes internos também. Entretanto, assim que escrever para publicar sobre os destinos, e também melhor explorar o site indicado, vou mencioná-lo nos posts.

Muito grato!

Obrigado por me levar indiretamente pra conhecer lugares incríveis.Lugares belíssimos que estão fora dos roteiros turísticos convencionais. Viajo por esse espaço e sonho um dia poder fazer uma dessas viagens.
Aproveite bastante esses três países ao lado de sua Emília.Boa viagem!!Depois por favor me apresente esses países que conheço apenas pelo nome.

15:25 | Unregistered CommenterAline Melo

Conheci os três países bálticos há exatos dois anos, no final de agosto de 2012. Voltei fascinado pela arquitetura das cidades, pela história e pela cultura bálticas. É impressionante como cada país tem suas peculiaridades, com a influência russa e nórdica na Estônia e polonesa na Lituânia. Quando estive por lá, ainda não havia sinais de turismo em massa (com exceção de Tallinn), o que me permitiu conhecer melhor cada atração. Tenho certeza de que vocês vão aproveitar bastante a viagem. Não deixem de visitar os castelos de Trakai e de Turaida, a alguns quilômetros de Vilnius e Riga – valem muito a pena.

17:50 | Unregistered CommenterMarcelo

Caro Marcelo, que coincidência. Esta semana, pesquisando os países que visitaremos, vi que os destinos foram muito bem abordados em seu blog. Inclusive o mencionarei no post de inauguração da série "Estônia, Letônia e Lituânia - Os últimos segredos do continente" que comecei a alinhavar e publicarei depois da viagem, em outubro próximo.

Quero agradecer sua visita e comentário e dizer-lhe que seu blog - Álbum de Viagens - (http://albumdeviagens.blogspot.com.br) foi bastante útil.

Grande abraço e grato pela visita.

Arnaldo,
Seu blog é um oásis no mundo blogueiro de hoje, onde muitos blogs que começaram bem partiram para uma linha fortemente comercial, seja ela escancarada ou nem tanto. É irritante e decepcionante perceber que a opinião do autor pode estar muito enviesada pelos interesses comerciais ocultos, e isso, nós leitores percebemos claramente. Mas aqui não, aqui viajamos junto com vocês em uma viagem de descobertas e encantamento com os lugares visitados. Suas fotos deslumbrantes complementadas por relatos preciosos (sim, um blog de viagem precisa da foto mas também precisa do texto por mais espetacular que aquela seja!) além dos inúmeros destinos incomuns ou improváveis, fazem daqui um lugar especial onde, como amante das viagens e da fotografia, volto sempre. Aproveitem muito a viagem à "Nova Europa" e depois venham nos contar, estaremos esperando!!
abraços,
Anna

8:09 | Unregistered CommenterAnna

QUE post! Uma chance de ler um pouco sobre três países incríveis e muito peculiares. As fotos estão belíssimas. Cada visita minha ao blog é uma experiência muito bacana. Parabéns!,

Tenho total certeza que seu blog hoje é um dos mais leais à realidade do lugar visitado. Um texto desprentensioso de alguém que possui um olhar humano, captando o que há de melhor. Passivo de falhas? Todos somos. Mas humano, real. Muito obrigado pelo conteúdo. Continue fazendo "posts mal escritos com imagens mal feitas". Nós aprecimaos muito.

Muitíssimo grato, Renato. Muito gentil seu comentário. Um grande abraço.

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
All HTML will be escaped. Textile formatting is allowed.